Assembleia comemora três anos de um dos maiores crimes ambientais de São Luís

Placa que sinalizava a Reserva do Rangedor durante a construção da nova sede da AL em 2008

Cara de pau da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de comemorar os três anos do crime ambiental promovido pelo parlamento maranhense. Isso porque a Assessoria da Casa produziu texto alusivo aos três anos de inauguração da nova sede, “comemorada” dia 18 de novembro. Mas a nova sede da Assembleia foi instalada no meio de uma reserva ambiental: o sítio do Rangedor. Coisas que só acontecem no Maranhão.

A antiga sede da Assembleia ficava na Rua do Egito, no Centro de São Luís. Lógico que o local não suportava mais o atual momento do legislativo maranhense em uma estrutura idealizada em 1885, que não condizia com os padrões atuais. Porém, a solução encontrada não foi a melhor: colocar o parlamento no meio da estação ecológica do rangedor, que é uma área de proteção ambiental. A Justificativa da diretoria legislativa na época era que o projeto era anterior ao decreto que transformou o Rangedor em reserva ambiental.

A Assembleia ainda alega que está tomando medidas de sustentabilidade no que sobrou do Sítio do Rangedor, como sistemas de tratamento de esgoto e climatização com o objetivo de reduzir o impacto ambiental, o que não ameniza praticamente nada do que foi desmatado ali.

Ainda se discute a construção de um hospital municipal e da nova sede da Famem (Federação dos Municípios do Maranhão) no sopro de vida que ainda existe no Rangedor. Já que a Assembleia abriu a porteira, não deveria nem ter moral agora para reclamar se destruírem o que sobrou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *