Infrequência na Câmara Municipal causa bate-boca entre vereadores

Astro de Ogum e Chaguinhas discutiram por conta da infrequência parlamentar.

A falta de frequência de alguns vereadores causou clima de tensão na Câmara Municipal de São Luís nesta segunda-feira (27). O bate-boca foi entre o vereador Chaguinhas (PRP) e Astro de Ogum, que apareceu ontem pela primeira vez em 2012 no parlamento municipal e tentou se justificar das faltas alegando que trabalhava nas bases e que os colegas também faltariam pelos mesmos motivos.

Astro de Ogum utilizou a tribuna da casa para se referir a Chaguinhas, que teria cobrado em sessão anterior mais presença dos colegas. Astro ainda disse que se o presidente Isaías Pereirinha (PSL) quiser, pode descontar do seu salário as faltas. A Legislação diz que a falta equivale a um desconto de R$ 500.

Com exceção do problema de saúde, as desculpas de Astro para sua infrequência é que foram as mais absurdas. “É obrigação estarmos aqui sim. Mas eu trabalho também nas minhas bases que precisam de mim. Estamos em ano eleitoral e nessa hora, vaca não conhece bezerro. Viemos para cá aprovar Requerimentos que não são atendidos e Leis que não são cumpridas. Cada um faz seu mandato como quer. No meu, manda Deus, o povo e eu”.

Chaguinhas disse que todos os vereadores têm o compromisso moral de comparecerem às sessões. E ainda elencou os campeões das faltas na Casa: Umbelino Júnior, Severino Sales, Barbosa Lages e o próprio Astro de Ogum. Ainda falou que Astro faz politicagem ao se relacionar com a governadora Roseana Sarney e o prefeito João Castelo. O clima esquentou.

Falta por alagamento?

O que mais chamou atenção foi um dos motivos que o vereador Astro de Ogum utilizou como desculpa para suas faltas na Casa: alagamento. Segundo Astro, próximo à sua residência alaga muito, um dos fatores que o faz ter uma maior infrequência.

De fato o bairro do Barreto fica em uma área mais profunda, mas dizer que falta por isso é um pouco demais. Será que os demais moradores do bairro faltam ao trabalho em virtude disso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *