Cutrim parte para a ofensiva contra Aluísio Mendes

“Moleque”, “nojento”, “infame”, “não serve nem para ser faxineiro”. estas foram algumas das formas como o deputado Raimundo Cutrim tratou nesta terça-feira (26) o secretário de segurança do estado, Aluísio Mendes.

O deputado não economizou ao falar de Aluísio em meio a palavrões. “Não vou virar bandido depois de 60 anos. Um moleque travestido de secretário vem fazer esta molecagem comigo. Eu não aceito. É uma pessoa tão nojenta, tão infame. Isso não tem condições de ser nem faxineiro, quanto mais secretário”, afirmou. Cutrim, que já foi secretário de segurança por 10 anos, criticou muito o sistema de segurança do estado no ano passado. Ele é declaradamente desafeto do atual secretário de segurança.

Cutrim ficou revoltado quando soube que a Polícia iria reabrir o caso Bertim. Segundo ele, se durante a sua gestão houvesse alguma manipulação no caso, o governo estaria manipulando até agora. Bertim era prefeito de Presidente Vargas, quando foi morto em uma emboscada. O caso foi elucidado na gestão de Cutrim à frente da Secretaria de Segurança. “Ouvi o deputado Magno Bacelar dizer que iriam reabrir o caso Bertim. Então reabre essa p… Quer dizer que o governo ficou todo este tempo manipulando a segurança? Que diabo de governo é esse? Eu o desafio a achar alguma coisa contra mim”.

O deputado reafirmou que não tinha nada contra o jornalista Décio Sá, mas se o tivesse, resolveria direto com ele na porrada ou na bala, se fosse preciso, mas não mandaria ninguém fazer o serviço no lugar dele. “Ele disse que tem escuta de que eu faria algo. Que p.. de escuta. Não tenho medo de cara de homem. Não sou de mandar fazer. Não tinha nada contra Décio, pois se tivesse, resolveria direto com ele na porrada, ou na bala, como fosse. O Cutrim é macho”, enfatizou. Cutrim disse ainda que continua com sua rotina de quando era policial federal, de sempre andar muito bem armado. O deputado revelou que anda com cinco ou seis armas até para ir ao banheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *