Fortalecimento de políticas públicas em defesa da criança e do adolescente

Vereador Ricardo Diniz levou discussão sobre abusos contra crianças e adolescentes para o parlamento.

Vereador Ricardo Diniz levou discussão sobre abusos contra crianças e adolescentes para o parlamento.

A criação de um grupo para discutir as políticas públicas de crianças e adolescentes em São Luís foi um dos resultados da Audiência Pública com o tema Políticas Públicas de Combate à Violência contra Crianças e Adolescentes em São Luís, realizada nesta segunda-feira, na Câmara dos Vereadores de São Luís. Hoje, terça-feira, é o Dia Mundial para a Prevenção de Abuso contra as Crianças.

O vereador Ricardo Diniz (PHS), autor da audiência, deu o prazo de 10 dias para uma nova reunião com as entidades e órgãos que estiveram presentes à Audiência, que aconteceu no mesmo dia em que se comemora do Dia Nacional do Conselheiro Titular, segundo Lei Federal 11.622/2007. Representantes dos conselhos lotaram as dependências da Câmara para pedir melhores estruturas para o atendimento às crianças e adolescentes, principalmente na educação.

De acordo com a secretária Municipal da Criança e Adolescente de São Luís, Andréa Lauande, existe uma rede de trabalho para o atendimento à criança e ao adolescente, mas que precisa ser fortalecida. Segundo ela, a secretaria está trabalhando em várias frentes para combater aos abusos e maus tratos às crianças e os adolescentes. Entre os projetos em andamento está a adesão ao “Plano Crack: é preciso vencer!”, construção do 1º Conselho Tutelar Modelo na área do Coroadinho e outro no Centro, além do funcionamento do projeto Municipal Família Guardiã.

A delegada da DPCA, Igliana Terezinha, ressaltou que a atual estrutura da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente não atende às demandas. “Essa estrutura que temos foi o ideal para 10 anos atrás. Precisamos de mais profissionais para o atendimento”, ressaltou a delegada. Na opinião dela, a ação preventiva é o melhor para ajudar, pois as sequelas não saram. “Só entende a dor de uma criança quem vê o rosto de cada uma daquelas que foram abusadas”, destacou. Na opinião da delegada, as campanhas nas escolas são essenciais. “As crianças precisam aprender a se proteger. Hoje temos muitas outras formas de abuso, principalmente pela internet. O clico tem que ser: conscientização, denúncia e prisão do agressor”, informou.

O presidente do Conselho Municipal da Criança e Adolescência, Roberto Heluy, todos os agentes públicos são importantes para fortalecer esse trabalho. “O Conselho estará presente sempre que for chamado ou não”, relatou. Para Carlos Sérgio, coordenador Estadual da Associação dos Conselheiros Tutelares do Maranhão, a luta contra o abuso infantil é contínua. “Precisamos somar esforços para ajudar a causa, que é muito complexa”, relatou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *