Roberto Jr. pede urgência na votação de projeto que libera terreno para construção da maternidade

Roberto Rocha Jr, pede celeridade para que maternidade da Cidade Operária possa ser construída

Roberto Rocha Jr, pede celeridade para que maternidade da Cidade Operária possa ser construída

O vereador Roberto Rocha Júnior (PSB) usou o pequeno expediente da sessão ordinária desta segunda-feira (19), na Câmara Municipal, para pedir em caráter de urgência, a votação do Projeto de Lei que dispõe sobre a desafetação da área verde, para área institucional do terreno que deverá sediar a maior maternidade pública de São Luís. O terreno fica localizado no bairro Cidade Operária e foi escolhido pela própria comunidade do bairro, por meio das associações que representam o Conselho da Cidade Operária e Áreas Adjascentes.

Em seu pronunciamento, o Parlamentar ressaltou sobre a importância de o projeto entrar em pauta para ser votado já na próxima sessão, tendo em vista que o prazo para a liberação dos recursos já está se esgotando. Ele lembrou ainda que já foi realizada uma audiência pública na Câmara para discutir com a população e com demais vereadores, sobre a importância da maternidade para a população de São Luís.

“É necessário que a Câmara dê prioridade na votação deste projeto, pois sabemos que existe uma lei de ordem federal, que estipula um prazo máximo para liberação de recursos em ano eleitoral. Se até o dia 10 de junho não for entregue a primeira medição da construção da maternidade, nós iremos perder 25 milhões de reais e uma maternidade de 132 leitos, que irá beneficiar não somente o bairro da Cidade Operária, mas toda a capital”, argumentou.

Segundo Roberto Júnior, na área já foi feito todo um estudo pela Secretaria Municipal de Urbanismo (SEMURH), e o recurso para construção da maternidade municipal é de 25 milhões de reais, que será disponibilizado pelo Governo Federal, desde que o terreno escolhido atenda a todas as exigências legais.

“Para que uma obra seja construída em área verde, é preciso que seja feito primeiro uma desafetação para que o terreno seja liberado. Esse projeto de libaração já está na Câmara, e precisa ser discutido e votado com extrema urgência pelos demais vereadores. Essa urgência é necessária, porque o prazo está se esgotando e o município corre o risco de perder os recursos que irá garantir a construção de uma obra de grande importancia social para a nossa cidade e nossa população”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *