Depois de várias derrotas, grupo Sarney agora quer inflar Wellington do Curso

Wellington do Curso é a bola da vez do grupo Sarney

Wellington do Curso é a bola da vez do grupo Sarney

O desespero é grande dentro do grupo Sarney para criar dissidências dentro do grupo de oposição e garantir alguma candidatura que force o segundo turno na eleição para o governo do Maranhão. A oligarquia tentou e naufragou na tentativa de insuflar pré-candidatos ao governo da oposição. Com o final do período de convenções se aproximando, tentam a última cartada: Wellington do Curso (PPS).

A oligarquia apostava primeiro em Eliziane Gama (PPS), insuflando todos os dias a candidatura da deputada, que teve sua história sempre ligada aos movimentos sociais e à oposição. Como disse a deputada ao aderir a campanha de Flávio Dino (PCdoB), ela “não poderia dormir sabendo que seu projeto pessoal atrapalhou o Maranhão a entrar em um novo ciclo”. Por isso, em nome da alternância de poder, se juntou ao grupo oposicionista. Eliziane então, antes emergente liderança, diferencial e a melhor candidata passou a ser vista pelo grupo que domina o estado como “fraca, sem personalidade, apequenada, etc”.

Depois, todas as atenções do grupo Sarney se voltaram para Hilton Gonçalo (PDT), quando a mídia oligarca praticamente exigiu que o PDT abandonasse o grupo de Flávio por não ter indicado o vice-governador e desse legenda ao ex-prefeito de Santa Rita. Também não deu certo, e a mídia do Clã passou a considerar o PDT como um partido pequeno que vai com o rebanho e “patinho feio”. O mesmo partido que antes era tido como gigante pela história no Maranhão pelo Clã.

O grupo também apostou em um rompimento do vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB), rompimento este que poderia garantir uma outra candidatura. O grupo inflamou a possível candidatura de João Castelo (PSDB) ao Senado para causar a saída do PSB do grupo oposicionista. Acredito que o PSB não romperia nem com a candidatura de Castelo. Mas não deu certo a outra tentativa.

A última cartada é com Wellington do Curso. O pré-candidato a deputado estadual tem tudo para resolver sua situação em uma boa chapa no diálogo. Porém, a grupo Sarney aposta em insuflá-lo para causar um novo problema e inventar uma candidatura que ocasione o segundo turno falando de sua brilhante trajetória política. Mas quando Wellington resolver sua situação na oposição, será taxado como fraco e sem posição pelo grupo Sarney. Mais um para a coleção de fracassos na tentativa de cizânia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *