Sindicato começa a prejudicar os próprios professores

Pequeno grupo que protestou na BR-135, insatisfeitos com ação do MP exigindo retorno das aulas

Pequeno grupo que protestou na BR-135, insatisfeitos com ação do MP exigindo retorno das aulas

O SindiEducação e suas ações não só prejudicaram o calendário escolar e os alunos como começam a prejudicar a própria classe. O Ministério Público ingressou, na última quinta-feira (31) com uma Ação Civil Pública contra o Município de São Luís, na qual requer a imediata retomada das aulas na rede municipal de ensino da capital. 

Em caso de descumprimento da decisão, o Ministério Público pede que seja aplicada multa diária no valor de R$ 5 mil. Além disso, foi solicitado prazo de 48 horas para a solução do impasse. 

Como resposta, o Sindicato levou um pequeno grupo para fechar a Avenida dos Portugueses, em um trecho da Barragem do Bacanga na manhã desta quarta-feira (6). Eles também fizeram manifestação no Km 15 da mesma rodovia federal, em Pedrinhas.

Com a determinação do retorno às aulas, a prefeitura pode começar a cortar o ponto dos professores que não retornarem. Afinal, o reajuste já foi aprovado na Câmara Municipal e não pode mais mudar, além da greve ter sido decretada ilegal. A truculência da presidente do Sindicato deverá prejudicar os próprios professores nos próximos capítulos desta novela.

2 pensou em “Sindicato começa a prejudicar os próprios professores

  1. Com certeza sem sombra de dúvidas o sindicato passou dos limites, claramente vemos a politicagem, várias faixas, camisas, som, muito dinehiro gasto p quem está “exiJindo” direitos e dinheiro… acho bom logo a justiça mandar esse povo trabalhar. já chega.

  2. Intrasigente e incosequente é o que se pode dizer desta greve, como que a sociedade pode apoiar ou acha correto uma greve dessa? Os professores só prejudicaram os alunos, não cedem nenhum pouco, vejo várioas professoreas que passam o dia a xindar e bater boca com quem discorda deles e quer que os seus filhos não sejam mais prejudicados. sei da importancia desta profissão mas não concordo que tantas crianças sejam prejudicadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *