Maranhão tem melhor saldo de geração de emprego do Nordeste em junho

Com geração de 2.001 empregos celetistas no mês de junho, o Maranhão apresentou saldo positivo no Castrado Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. O resultado representa que o Maranhão foi o estado do Nordeste com o melhor desempenho na criação de novos postos de trabalho e o terceiro melhor do país.

Os dados nacionais do Caged disponibilizados no final da semana revelam que os principais postos de trabalho criados no Maranhão foram da construção civil, com carteira assinada. Em seguida na criação de vagas aparecem o comércio, indústria de transformação e serviços de utilidade pública.

O governador Flávio Dino comentou pelas redes sociais o resultado positivo na criação de empregos no mês de junho. “Os dados oficiais Caged mostram efeitos de medidas anticíclicas que adotamos: obras públicas; redução de impostos; aumentos para servidores”, disse. No acumulado de 2015, o Maranhão concedeu aumento aos professores, policiais e servidores públicos em geral.

A avaliação do governador é balizada nas iniciativas já tomadas no primeiro semestre para garantir melhores desempenhos do Estado na economia e na geração de emprego. Para tornar o Estado competitivo, o Governo do Estado melhorou a política fiscal e garantiu investimentos importantes na construção de novas rodovias e obras na Educação e na Saúde.

A criação do programa Mais Empresas, que permite renúncia fiscal do Estado para estimular a instalação de novos empreendimentos no Maranhão é uma delas. O conjunto de estratégias elaborado pela Secretaria de Fazenda nos primeiros meses de Governo tem por objetivo incentivar setores estratégicos da geração de emprego e renda, como as micro e pequenas empresas aqui instaladas.

O secretário de Estado da Fazenda, Marcellus Ribeiro, afirmou que a redução de alíquotas para esses setores faz parte de um planejamento para favorecer o crescimento dos postos de trabalho e da renda dos maranhenses. “Em tempos de crise é preciso adotar medidas contracíclicas p’ara, pelo menos, manter os patamares de demanda agregada. É importante lembrar que os benefícios que estamos concedendo aos empreendimentos são os maiores já concedidos na história do Estado,” pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *