Sérgio Frota assume atraso de salários e fala sobre fase decisiva da Série B

Para o Gestor do Sampaio Corrêa quitar a folha de pagamento do Time trará tranquilidade para os jogadores.

sbfrota
O presidente do Sampaio do Sampaio Sérgio Frota, informa que está trabalhando para dar tranquilidade aos jogadores na questão financeira. Ontem dia 10 o time completou dois meses de atraso, além disso na partida contra o Santa Cruz um torcedor arremessou uma cadeira no campo, o Tribunal de Justiça Desportiva entrou com ação é o time vai recorrer para não pagar multa. Entre tantos desafios dentro e fora do campo o presidente reitera que o time é competitivo e comunica que ao jogo contra o Paysandu é mantida a data original.
“Mesmo com algumas correntes contrárias, seguimos firmes no nosso propósito. Temos um time competitivo, que não passou risco de cair em nenhum momento da competição, apesar de todas as dificuldades, e chegamos vivos nessas oito rodadas finais. Vamos brigar até o fim”, destacou o otimista o dirigente, confiante.
Com o time vivo na briga pelo acesso, Frota revela que está batalhando para dar tranquilidade aos jogadores nessa reta final, e tenta viabilizar, até a próxima semana, a quitação de uma folha de pagamento, já que neste dia 10 de outubro o elenco completou dois meses de atraso: “Não é novidade pra ninguém as dificuldades que enfrentamos, mas, com muito esforço, vamos tentando equacionar as despesas. Neste sábado, ficamos com duas folhas em atraso, mas vamos tentar fechar pelo menos uma nos próximos dias, mesmo com a greve dos bancos”, afirmou o presidente.
O próximo jogo contra o Paysandu está mantido é será dia 24 às 16:30 h no estádio Castelão.
A cadeira
Outro assunto despertou preocupação para o presidente. A cadeira arremessada no campo durante o jogo contra o Santa Cruz pode trazer complicações ao Sampaio. Apesar do autor do arremesso ter sido identificado e o caso citado na súmula, o procurador ofereceu denúncia junto ao STJD, e agora o clube terá que se defender.
“É outra questão que nos deixa aborrecidos, porque não podemos correr o risco de ficar sem um dos nossos principais trunfos, que é o Castelão, além do prejuízo financeiro que será imenso. Outro aspecto é que teremos custos com a defesa, passagens, e isso em nada colabora neste momento”, frisou Sergio Frota.
“Às vezes até entendo o destempero do torcedor, que sempre quer ver seu time ganhar e fica a aborrecido com determinadas situações que ocorrem dentro de campo, mas é preciso ter consciência que atitudes dessa natureza só tendem a prejudicar o clube. Por isso peço que não atirem nenhum objeto em campo e todas as forças se concentrem apenas em incentivar a nossa Bolívia Querida nessa reta decisiva do campeonato”, afirmou.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *