Política maranhense em notas

Deputados pró-impeachment mantêm cargos 

hildoitaparyO deputado estadual Zé Inácio criticou duramente os deputados federais pró-impeachment que sequer entregaram seus cargos no governo federal. “São deputados que não tiveram ou não têm a hombridade, o senso ético de dizer: entrego aqueles cargos que um aliado meu ocupa no estado, isso ocorre e ocorreu em vários estados. A partir de agora eu peço que seja exonerado. Talvez a hombridade e ética não estejam em seus dicionários, mas era o mínimo que eles deveriam fazer.”, criticou. Zé Inácio lembrou os cargos que possuem Cléber Verde (Incra) e Hildo Rocha (DNIT e EBC). Zé Inácio afirmou que a luta continuará pela democracia. Nunca é demais lembrar que o aliado de Hildo é o responsável pela buraqueira da BR-135, Maurício Itapary (foto).

Bira pede novas eleições

biraO deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) conclamou por novas eleições diretas para presidente. Para ele, ao invés de debater o mérito, os deputados federais transformaram a sessão em eleição indireta para presidente da república. Para ele,  é necessário resgatar a luta pelas ‘Diretas Já’ para assegurar ao povo o direito de escolher o seu presidente, já que as pesquisas confirmam a rejeição do vice Michel Temer para o cargo de Presidente.

O preço da incoerência

dilmatemerNunca é demais lembrar o preço da incoerência das alianças do PT. Tudo, claro, em nome da governabilidade, que fez o partido se aliar a partidos como o PMDB. A coligação que elegeu Dilma tinha PT, PMDB, PSD, PP, PR, PROS, PDT, PCdoB e PRB. Na hora da verdade, só quem esteve com o governo foram os partidos que tem ideologia como PCdoB. Até o PSOL, que é oposição, mas que não vota com a direita, votou com Dilma. A governabilidade mata mais um governo de esquerda.

Gastão lamenta traição do PROS

gastaoDurante o ato no qual o PROS declarou apoio à pré-candidatura do prefeito Edivaldo à reeleição, o presidente do FNDE, Gastão Vieira, se mostrou extremamente constrangido com a traição dos deputados do PROS, sendo que quatro dos seis deputados do partido votaram a favor do impeachment da presidente Dilma. Ele lembrou que sua indicação foi acertada pelos membros da bancada com a presidente, justamente atrelado à votação do impeachment. “A presidente tem todo direito de me demitir. Foi feito um acordo. E quando eu vi a votação, o líder do meu partido foi o primeiro a votar contra o governo. Depois continuaram os demais”. E disse que servia de exemplo para seus filiados no Maranhão: “Partido tem que ter posição e comando. Acordos são feitos para serem cumpridos”.

Erro estratégico com voto frágil I

IMG-20160415-WA0002Houve um erro estratégico muito grande na articulação do governador Flávio Dino pelo voto do deputado Zé Reinaldo Tavares. Era público e notório que Reinaldo não queria votar contra o impeachment. Quem acompanhou a conversa que selou o voto viu Zé Reinaldo dizer um “sim” bem fraco a Flávio, mas ainda com aquela cara de quem “comeu e não gostou”. Parecia extremamente contraído. O voto já estava muito frágil e quando Reinaldo soube que um secretário estadual ainda ficou tirando onda contando vantagem do voto, se irritou de vez e fez o que fez.

Erro estratégico com voto frágil II

vistoriaobrasO governador Flávio Dino fez todos os movimentos corretos antes. Mas deveria ter ficado em Brasília articulando para garantir os votos que tinha e talvez conseguir até mais votos. Ele se deixou levar pela conversa tola de que “o governador fica em Brasília e não trabalha pelo Maranhão”. Veio para o estado vistoriar obras para dar satisfação. O povo reconhece que Flávio é o governador do Bolsa Escola, do Mais Asfalto com recuperação de milhares de quilômetros de estrada, do Escola Digna, do concurso para professores, reajustes e antecipação de pagamento de salário para funcionários, etc. Ninguém com o mínimo de coerência diz que Flávio não trabalha. Errou em cair no discurso da Mirante e não ficar em Brasília.

Ato em defesa da democracia

atodemocraciaO “Ato em Defesa da Democracia e da Constituição” será realizado na Assembleia Legislativa do Maranhão (Calhau), às 18h. Os deputados federais da bancada maranhense que votaram contra o impeachment serão homenageados durante o ato. O governador Flávio Dino faz questão de homenagear e agradecer aos deputados do Maranhão que votaram contra o golpe, pelo respeito à Constituição e à democracia.

PDT Também fará ato

Convite Ato PDT pela DemocraciaO PDT do Maranhão fará, nesta quarta-feira (20), na sede do partido, um ato pela democracia e contra o golpe. O encontro contará com a presença do presidente do Diretório Estadual do PDT, Weverton Rocha, de lideranças da sigla, de movimentos da legenda, entre eles, Juventude Socialista, Ação da Mulher Trabalhista, Movimento Negro, e Movimento Popular de Ação e Cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *