Para PRE, Wellington, Braide, Bira e Edivaldo usaram inserção partidária de forma irregular

wellingtonbirabraideedivaldo

A Procuradoria Regional Eleitoral no Maranhão (PRE/MA) representou contra o Partido Progressista (PP), Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Partido Socialista Brasileiro (PSB) e Partido da Mobilização Nacional (PMN) junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão por prática de propaganda partidária irregular. De acordo com a ação, os partidos utilizaram o tempo destinado à propaganda partidária para promover pré-candidatos à Prefeitura Municipal de São Luís nas próximas eleições.

Em junho desse ano, os deputados estaduais Wellington do Curso (PP), Bira do Pindaré (PSB), e Eduardo Braide (PMN) participaram ativamente de inserções de seus respectivos partidos em emissora de televisão local com o objetivo de atender a interesses pessoais, já que são apontados como pré-candidatos a prefeito da capital maranhense. Na inserção do PP, o deputado Wellington do Curso falou abertamente estar “lançando, oficialmente, a pré-candidatura a prefeito de São Luís”. Wellington inclusive entrou com ação contra o prefeito Edivaldo pelo uso da inserção, e foi acionado pelo mesmo motivo.

De acordo com o procurador regional eleitoral, Thiago Ferreira de Oliveira, os três partidos “desvirtuaram a propaganda partidária, que tem como finalidade promover as ideias e programas do partido, e não ser usada como instrumento de promoção pessoal de qualquer filiado”.

Já o PTB, no mesmo mês, teria promovido o atual prefeito da capital maranhense, Edivaldo de Holanda Braga Júnior, filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT). Nas inserções do partido, Edivaldo anunciou suas realizações no exercício do cargo. Segundo a ação, o “PTB submeteu-se a ser um veículo de propaganda do PDT e da futura candidatura do Sr. Edivaldo Holanda Júnior à reeleição ao cargo de Prefeito de São Luís”.

A Procuradoria Regional Eleitoral no Maranhão pede que o direito de transmissão de PP, PSB, PMN e PTB seja reduzido em cinco vezes o tempo das inserções irregulares no primeiro semestre de 2017, já que a pena não pode ser aplicada no segundo semestre de 2016, por ser proibida a veiculação de propaganda partidária gratuita nesse período.

E Eliziane?

Estranho o critério da PRE por não ter incluído o Partido Popular-Socialista entre os acionados. As inserções do PPS também foram claramente uma campanha da pré-candidata Eliziane Gama, que se aponta possíveis problemas da gestão municipal e se coloca como solução para uma “São Luís de verdade”.

3 pensou em “Para PRE, Wellington, Braide, Bira e Edivaldo usaram inserção partidária de forma irregular

  1. Não vi todas as propagandas, mas a do PTB eu assisti no dia, e não achei que teve nenhuma tentativa de promoção para as eleições de outubro, achei como uma outra propaganda eleitoral normal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *