Wellington é o candidato das propostas mirabolantes

Wellington queria colocar o VLT na Litorânea para passeio de turistas

Nada de povo! Wellington queria colocar o VLT na Litorânea para passeio de turistas

Todo eleitor espera que um prefeito seja experiente e apto para enfrentar o desafio de gerenciar uma cidade. Partindo desse pressuposto, o candidato da Coligação “Por Amor a São Luís”, Wellington do Curso (PP), tem usado em seu discurso, de forma maçante, que é o mais preparado para assumir a prefeitura da capital maranhense. Nos programas eleitorais, o pepista tenta demonstrar, através de um roteiro preparado pela coordenação de campanha, conhecimento e domínio sobre mobilidade urbana, geração de empregos, saúde, segurança e educação.

Mas a tentativa de “ensaiar” o candidato tem sido frustrada, talvez pela própria coordenação da campanha, que desconhece a realidade da cidade, ou pela ousadia de Wellington de querer mostrar atitude para trabalhar. Algumas de suas propostas são inviáveis, beiram o ridículo, e podem custar caro à sua campanha.

Uma das pérolas de Wellington do Curso é a solução para o destino do VLT de Castelo. Em sua fala, durante sabatina promovida por um jornal local da cidade, o prefeiturável afirma que é possível instalar o VLT na avenida Litorânea. O veículo, que custou aos cofres públicos R$ 7 milhões, não pode ser transformado em uma espécie de trenzinho na avenida litorânea. Até os mais leigos no assunto, sabem que colocar o VLT na orla de São Luís não seria eficiente. Um investimento de milhões em benefício de poucos. Mal assessorado e demonstrando falta de conhecimento, Wellington deveria ter a consciência de que o VLT seria um importante meio de integração dos transportes, solucionando problemas de quem realmente precisa.

Também na área da mobilidade urbana,  Wellington do Curso comete outra gafe, ao prometer realizar um estudo de viabilidade da implantação do passe livre estudantil. Se com o preço da passagem a R$2,90, os empresários do setor já alegam dificuldades para administrar, imagina  com o passe livre estudantil. Seria um colapso no Sistema de Transporte Público da capital. Não é falta de disposição e boa vontade, trata-se de inviabilidade financeira. Tudo é um custo. Combustível, manutenção dos veículos, salário dos rodoviários, planos de saúde, ticket alimentação, renovação da frota, entre outros gastos. Se a prefeitura fosse arcar, teria que tirar milhões de outra área. O que não tem viabilidade.

Noutra proposta de campanha, Wellington do Curso promete abrir muitos postos de trabalho, facilitando a implantação da Zona de Processamento de São Luís. Além disso, o pepista garante que vai trabalhar na revitalização do Porto do Itaqui. Só não explicou como. Será que o candidato não sabe que o porto não é da competência da gestão municipal?!

Wellington do Curso não passa de um candidato com propostas mirabolantes, pois não tem a exata noção do que um prefeito faz e das responsabilidades das esferas estadual e privada. Sua falta de conhecimento na área administrativa é surpreendente. Parece que nem os vários anos de trabalho, como administrador de curso preparatório e deputado estadual, serviram para alguma coisa.

3 pensou em “Wellington é o candidato das propostas mirabolantes

  1. BOMBA..BOMBA..HOJE EM GREVE.
    22 de set de 2016

    Cleomar Tema é flagrado fazendo saque de alta soma em dinheiro no Banco do Brasil de Tuntum, apesar da greve

    O clima da eleição em Tuntum esquentou nesta quarta-feira (21), depois que o prefeito Cleomar Tema (PSB) foi flagrado no interior da agência do Banco do Brasil, por volta das 17h, fazendo um saque de grande soma de dinheiro. A operação bancária foi flagrada por seus adversários político, que filmaram e vão entregar à Justiça Eleitoral. Um pequeno tumulto teria se formado dentro da agência e no empurra-empurra vários títulos eleitorais teriam se espalhado no chão.

    A ida do prefeito, que é candidato à reeleição, ao banco, despertou curiosidade por três motivos. Primeiro o fato de as agências estarem com funcionamento paralisado por causa da greve dos bancários, segundo porque se aproxima a data de realização da eleição quando o uso de dinheiro para fins duvidosos é comum e terceiro a razão para alguém querer tirar de um banco uma soma tão alta dinheiro.

    Os adversários de Cleomar foram alertados de sua presença dentro do Banco do Brasil por populares. Pelas estimativas, o saque teria sido de algo em torno de R$ 500 mil.

    Os advogados do candidato Rhicardo Helirval Baptista (PR) prometem entrar com uma representação contra o prefeito nesta quinta-feira (22) e devem representar também contra o gerente do BB, para que explique o funcionamento do banco fora do expediente normal e em dia de greve.

  2. Excelente colocação. Você está de parabéns. O primeiro blogueiro a ter coragem de mostrar o absurdo que é essa proposta do passe livre. Coisa absurda e eleitoreira. Vale lembrar que além de tudo isso ele ainda fala no retorno da domingueira. Esse candidato de araque iria desconstruir tudo o que foi feito de bom pelo transporte público de São Luís nessa gestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *