Wellington, o vice e Roberto Rocha: Todos com acusações até o pescoço

wellingtonrobertorocha

Não tem o que contestar. Colocando na balança os podres dos candidatos a prefeito e vice de São Luís, Wellington do Curso (PP) e Roberto Rocha Júnior (PSB) tem mais peso sobre os demais prefeituráveis.

Enquanto o pepista tem sua conduta questionada por estar envolvido em denúncias graves como uso de laranjas em suas empresas, sonegação de impostos, invasão de um terreno público e por responder na justiça pelo não pagamento de 60,9 mil à empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), o vice Roberto Rocha Júnior não deixa por menos. Carrega junto na bagagem o escândalo da agiotagem em que ele se envolveu no ano passado, quando a Polícia Civil encontrou, durante as Operações “Maharaja” e “Morta-Viva”, um cheque (R$ 120 mil do Banco do Brasil) do vereador dentro do cofre do agiota Josival Cavalcante da Silva, o Pacovan.

As acusações de atos fraudulentos na família Rocha não param por aí. O pai do candidato a vice Roberto Rocha Júnior, o senador Roberto Rocha (PSB), foi alvo de uma Representação por Captação Ilícita de Recursos nas eleições de 2014. Teriam sido encontrados vários ‘buracos’, como utilização de notas frias, de empresas de fachada, prática de caixa dois, entre outras possíveis maracutaias.

Papai quero ser vice

Para emplacar o filhinho Roberto Rocha Júnior como vice, foi um trabalho de articulação desgastante para o senador Roberto Rocha. Primeiro tentou na chapa de Edivaldo. Não colou. Eliziane Gama teria dito “Não recebo”, jargão muito comum na doutrina protestante.

Mas para o senador Roberto Rocha, tão antipatizado pela classe política e odiado pela população maranhense, era uma questão de honra fazer o seu filho vice, mesmo que ele estivesse ligado, supostamente, a esquemas ilícitos. O senador não dá a mínima importância para as ideias e a vida pregressa de quem quer que seja. O que está em jogo é o poder, é o seu projeto pessoal, o “Roberto 2018”, quando é certo que ele disputará o governo estadual.

E Wellington do Curso entrou nesse barco, aceitando Roberto Rocha Júnior como vice. Só nos resta saber se a população de São Luís vai “engolir” Robertinho Rocha como candidato.

6 pensou em “Wellington, o vice e Roberto Rocha: Todos com acusações até o pescoço

  1. Desde que se juntaram , eu ja sabia que atacariam frequentemente o Edivaldo. os dois ai sao farinha do mesmo saco . e agora qu eos podres estão começando a aparecer. Eles que se cuidem.

  2. Bateu o desespero nas orteas palacianas(estadual e municipal),tudo porque o Welington do ameaçar perigosamente a reeleiçao do atual prefeito,parece que essas acusaçoes não tá surtino efeito,porque quanto mais bate nele mais ele cresce nas pesquisas de intenção de voto.

  3. Duas colocações:
    – Roberto Rocha era o vice prefeito de Holandinha e foi eleito senador com o apoio de do prefeito de São Luís e governador do Maranhão (nesse tempo os Rochas prestavam);
    – Flávio Dino se aliou com tudo que existe de pior no Maranhão para eleger governador (agora vem com esse papo que Wellington se colocou com quem não presta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *