Caso Levi deve ser apurado, mas Andrea pedir investigação é muita incoerência

Caso Levi do Peixe é sério e grave. Mas não se compara aos escândalos milionários da Máfia da saúde associados à campanha da deputada Andrea Murad

A possível compra de apoio eleitoral em troca de distribuição de peixes comprados com recurso da prefeitura de Chapadinha é grave e deve ser apurado. Áudios do deputado Levi Pontes, provavelmente vazados pelo próprio interlocutor da conversa telefônica, mostram o deputado pedindo cotas de peixes para vereadores.

“Agora, eu conversei muito com o dr. Magno, como sempre, vai distribuir cotas de peixe pra zona rural e cidade, pra todos. Às lideranças políticas… Inclusive, já comunicou a minha cota, que eu não sei qual é. (…) Por favor, veja a sua… a dos vereadores todos nossos… estão satisfeitos …” diz trecho da conversa do comunista.

Do que dá para se depreender dos áudios, Levi afirma que combinou com o prefeito Magno Bacelar, de Chapadinha, para fazer a distribuição dos peixes a partir de critério político para garantir sua eleição.

O deputado alega que não utilizou dinheiro público e sempre faz distribuição de peixes de recursos próprios para pessoas carentes.

O caso é grave e deve de fato ser apurado. Mas a cobrança de apuração veio do lado menos apropriado.

A deputada Andrea Murad protocolou requerimento à Mesa Diretora solicitando representação na Comissão de Ética da Assembleia. Outro deputado poderia até pedir investigação contra Levi, mas é incoerência a peemedebista.

Como pode a deputada Andrea pedir investigação sobre abuso de poder econômico e político? Se a comissão de ética resolvesse investigar o uso de helicópteros na campanha de Andrea e as doações de campanha de empresas que tinham ligação com a secretaria estadual de saúde comandada pelo pai da deputada durante a campanha, o caso de Levi pareceria bobagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *