A pressão dos deputados contra secretários-candidatos

Com o reinício dos trabalhos da Assembleia Legislativo no ano da eleição, afloraram as brigas por redutos eleitorais entre quem tem mandato e quem busca a vaga. O período carnavalesco será fundamental para o governo Flávio Dino equacionar os problemas com os deputados que se sentem prejudicados pelas pré-candidaturas de secretários estaduais.

Em um movimento articulado e apoiado por quase todos os deputados, Raimundo Cutrim, Stênio Rezende, Josimar de Maranhãozinho, Vinícius Louro e Sérgio Frota se manifestaram contra secretários que estariam “roubando” bases de deputados que são aliados do governo Flávio.

Deputados reclamam que secretários que irão buscar as urnas se promovem com obras de suas pastas até quando estas são frutos de emendas dos parlamentares.

A crise é semelhante a que sempre ocorre neste tipo de situação. Quem não lembra das guerras de deputados da base aliada do governo Roseana contra Hildo Rocha, Cláudio Trinchão e Fábio Gondim quando eram secretários e trabalhavam diuturnamente por suas pré-candidaturas?

Apesar dos deputados citarem apenas o nome de Márcio Honaiser, nos bastidores eles reclamam de todos os secretários pré-candidatos, excluindo apenas Marcelo Tavares e Márcio Jerry. Mas em especial. os alvos são Honaiser e Adelmo Soares.

O discurso de Josimar alegando que os deputados esperam que os adjuntos não assumam as secretarias quando os secretários-candidatos se desincompatibilizarem deixa mais claro o objetivo: assegurar que as trocas ocorram logo e não deixar que os secretários deixem em seus lugares pessoas que trabalhem por suas candidaturas.

O governador anunciou que faria a reforma administrativa logo depois do carnaval. Esperando que o chefe do Executivo mantenha a promessa, os dias de folia serão fundamentais na resolução da crise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *