Rei dos precatórios confirma que Mariano se suicidou por conta da divulgação das anotações

A entrevista do advogado Jorge Arturo ao jornalista Marco Deça começa a deixar mais claro em quais circunstâncias se deu a morte do médico Mariano de Castro e Silva. O médico era acusado de participação em esquema de desvio da secretaria estadual de Saúde do Maranhão e estava respondendo em liberdade. Ele se suicidou logo após suas anotações serem divulgadas na mídia.

Jorge Arturo ficou conhecido como “rei dos precatórios” e foi acusado de ser o “braço jurídico” no esquema de isenções irregulares da secretaria estadual de fazenda, a Máfia da Sefaz. Segundo a denúncia do Ministério Público da Máfia da Sefaz, Arturo negociava os precatórios para virarem crédito de ICMS e depois fechava um ‘acordão’ com as empresas para poderem pagar imposto mais barato. A partir disso, ele negociava com as empresas o crédito e o dono do precatório ficava com menos de 50% do dinheiro, deixando todo resto para o responsável pela negociação.

O advogado disse que Mariano entregou a carta a um advogado chamado Zé Carlos e este teria entregado à imprensa. Ele acredita de fato que a divulgação fez com que o médico tomasse a atitude extrema de recorrer ao suicídio.

Mas a proximidade de Arturo com a vítima leva a crer que ela saiba além do que foi publicado neste domingo. Assim como o advogado Zé Carlos e o blogueiro Neto Ferreira para que se saiba a circunstância da morte. Qual a intencionalidade da divulgação já que, segundo Arturo, o próprio Mariano ficou surpreso ao saber que a carta ainda existia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *