PCdoB entra com ação acusando a Mirante de abuso de poder econômico nas eleições

O PCdoB deu entrada em uma “notícia de fato” ao Ministério Público eleitoral informando sobre o abuso de poder econômico do sistema Mirante nessas eleições. Além de uma das pré-candidatas ao governo do Estado serem a dona do sistema, o grupo de comunicação têm excluído o nome do governador Flávio Dino de todas as informações sobre eleições, tentando não o tratar como um pré-candidato e enganar o eleitor.

A ação lembra que estão registrados como sócios da Mirante os irmãos Roseana Sarney, Fernando Sarney e Sarney Filho. Também é lembrado que Flávio já foi atacado por fake news em 2014 quando um preso deu falso testemunho de que o atual governadora era chefe de quadrilha.

Nesta pré-campanha, já existe vasta documentação do uso do sistema de comunicação. Um dos principais casos é do médico Mariano, que mesmo tendo comprovadamente se suicidado, teve sua morte associada diretamente ao secretário de Saúde Carlos Lula, como se fosse mandante de um assassinato. Ainda, de forma clara, as matérias afirmaram que o Secretário de Saúde, Carlos Lula, teria impetrado Habeas Corpus no dia 12 de abril, ou seja, no mesmo dia da morte do médico, construindo, a partir daí, uma narrativa que impõe “culpa” aos agentes públicos como se estes fossem, de fato, partícipes de um assassinato.

Outro caso foi mais uma fake news, afirmando que o show de Agnaldo Timóteo no São João foi contratado por R$ 250 mil, quando o governo comprovou que o valor pago foi muito inferior, de R$ 38,5 mil.

O PCdoB pede que seja investigada a atitude da emissora para coibir estas atitudes e a consequente responsabilização em âmbito eleitoral, civil e criminal. O Ministério Público analisa a ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *