O que Thiago Diaz tenta esconder nas contas da OAB?

O presidente da seccional maranhense da OAB, Thiago Diaz, teve a candidatura à reeleição impugnada pela falta de prestação de contas do exercício financeiro de 2017 junto ao Conselho Federal. Segundo o Regulamento Geral da Ordem, o “lapso” pode deixá-lo inelegível.
Mas afinal, o que será que o presidente da OAB-MA teme revelar nas contas da milionária entidade de classe dos advogados. Ou melhor, o que Thiago Diaz tenta esconder?

Nos bastidores da advocacia maranhense, comenta-se que vícios no balancete contábil da OAB/MA estariam por trás da ausência de declaração das despesas da entidade no ano passado.

Diaz foi eleito em 2015 sob o signo da mudança e da renovação, mas em pouco mais de um ano de gestão seu nome foi citado em vários escândalos, que comprometem suas chances de conquistar o eleitorado.

Denúncias

Uma das denúncias que vêm tirando o sono do presidente da OAB/MA é a construção da Subseção da Ordem em São João dos Patos. Há indícios de suposto esquema de superfaturamento na obra. O valor inicial destinado pelo Conselho Federal foi de R$ 300 mil e teve um inexplicável aditivo solicitado pelo presidente Thiago Diaz de R$ 289 mil, quase o dobro do valor inicial.

Também pesa contra Diaz acusação de ter contratado empresa de comunicação criada seis dias após a sua posse, além da inauguração da reforma incompleta da sede da OAB/MA, em São Luís.

Não se sabe ao certo por que Diaz insiste em não apresentar as cifras gastas pela entidade em 2017. Só é possível afirmar que a falta de esclarecimento fiscal pode acabar tirando Diaz do páreo eleitoral e aniquilar suas chances de permanência na direção da Ordem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *