Eduardo Braide: o muro que o impede de se tornar liderança

Com seu medo de assumir ônus de suas posições, Braide foi criticado por quem é contra e quem é favor do pacote anticrise

Um amigo me disse certa vez: “quem fica em cima do muro é quem mais pega pedrada, pois pega dos dois lados”. Mas vou além. Quem fica em cima do muro não só pega mais pedradas, como não tem condições de liderar. Não tem posição e convicção para assumir os ônus e os bônus do lado ao qual pertence. Ter consciência de lado e posição é o primeiro passo para agregar os que pensam de modo semelhante e liderar.

O deputado estadual Eduardo Braide, mesmo com sua boa retórica, está longe de assumir o papel de liderança que seu potencial de votação sugere. A votação do pacote anticrise na Assembleia Legislativa foi o maior exemplo. O deputado que tanto bradou contra o projeto, se absteve de votar para não pegar o ônus que resultaria votar contra um projeto que beneficia microempresas e nem a favor para não desagradar a oposição ao governo com o discurso do aumento de impostos que, claro, é medida antipática, ainda que necessária.

Resultado: Braide pegou “pedradas” dos dois lados, como mostra a imagem que ilustra este post. Desagradou gregos e troianos e deu mais um exemplo de que não consegue manter firme posição por medo.

Não é a primeira vez. Como possível liderança que almeja cargos majoritários, por que Braide não se posicionou durante as eleições presidenciais em meio a um acalorado debate que tomou conta da sociedade? Por que o deputado nunca disse qual seu posicionamento com relação ao que seu partido deveria fazer para superar cláusula de barreira?

No ano que vem, Eduardo Braide será deputado federal mas nunca se manifestou sobre a reforma da previdência, rombo das contas públicas, politica armamentista.

Bradar contra aumento de impostos é fácil, afinal é consenso que ninguém gosta de pagar mais impostos. Mas assumir posição diante de temas polêmicos e cenários difíceis é extremamente difícil, mas faz parte do dia-a-dia das principais lideranças.

Este Blog é crítico ativo das posições do presidente eleito Jair Bolsonaro. Mas reconhece que não falta a ele coragem para assumir e defender suas posições em temas polêmicos, diferente  por exemplo dos tucanos que se perderam no processo. E só se torna liderança quem tem este perfil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *