Crise financeira na OAB-MA gera demissões em massa e mais despesas para advogados

A situação anda feia na OAB/MA. De acordo com um conselheiro seccional recém eleito, que confessou estar decepcionado com Thiago Diaz, presidente da OAB/MA, por uma promessa de presidência de comissão não cumprida, o próximo triênio será de “cintos apertados” para a advocacia.

Logo após ter sido eleito fazendo uma cara campanha, com grandes festas em buffets luxuosos, Thiago Diaz presenteou os advogados do Maranhão com o terceiro maior reajuste de anuidade de todas as seccionais do Brasil, acima do dobro da inflação.

Não sendo o reajuste suficiente para equilibrar as contas, Thiago Diaz começou a demitir vários funcionários da OAB sem motivos claros e até mesmo de forma incoerente, já que ele realizou um seletivo para contratação de funcionários em maio de 2017, não fazendo sentido demitir parte considerável dos empregados menos de 2 anos depois do seletivo, logo após o período eleitoral.

Outra revolta dos advogados foi com a perda do convênio Advise/Liber, um sistema gratuito de publicações jurídicas dos Diário de Justiças que facilita a vida principalmente de jovens advogados. Somente após muitas críticas e até criações de Memes, Thiago procurou a empresa para fazer um novo convênio.

Advogados, que já pagam sua anuidade, têm que pagar R$ 200 por curso preparatório na própria OAB

E ainda é notória para muitos advogados a inversão a inversão de prioridades nos investimentos. Enquanto um curso preparatório da OAB/MA custa ao advogado R$ 200, quase 1/3 da anuidade, a nova diretoria prepara sua posse no hotel mais chique de São Luís, o Blue Tree Hotel, no calhau. Enquanto os advogados padecem com honorários irrisórios e prerrogativas violados, Thiago Diaz prepara mais coquetéis e canapés.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *