Procurador do TSE defende perda de mandato para beneficiados com candidaturas laranjas

Cléber Verde cada vez mais ameaçado pelo uso de laranjas

O vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros, que é o representante do Ministério Público no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), defendeu que a utilização de candidaturas laranjas para burlar a cota de candidaturas femininas deve ser punida com a perda de mandato ou inelegibilidade dos que se beneficiaram da maracutaia.

O deputado federal reeleito, Cléber Verde (PRB) está entre os que podem perder o mandato. Verde teria sido beneficiado pela candidatura de Marisa Rosas, que gastou mais de R$ 600 mil e teve apenas 161 votos. Três gráficas receberam apenas da candidatura de Marisa Rosas R$ 540 mil. Uma das gráficas fica em Tuntum, pertence a um filiado do partido e fez material gráfico para a campanha de Cléber Verde, preasidente do PRB no Maranhão.

O TSE começou a julgar os casos de candidaturas laranjas relativos às eleições de 2016. As decisões servirão de parâmetro sobre qual o entendimento da corte sobre este tipo de manobra e qual a punição.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio (PSL-MG), eleito deputado federal, também tem o mandato ameaçado pelo uso de candidaturas laranjas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *