Site que considerou Braide melhor parlamentar do MA valoriza deputados pró-mercado

“Ranking dos Políticos” já deu título a Fufuquinha, Cléber Verde e Hildo Rocha. Seriam eles os melhores deputados nos últimos anos?

O deputado federal Eduardo Braide comemorou a sua primeira colocação em um “ranking dos políticos”, que avalia de forma bem subjetiva e direcionada a atuação parlamentar de deputados federais e senadores. Na própria descrição da Organização, eles descrevem que “a qualidade legislativa dos políticos é avaliada de acordo com a maneira que o parlamentar se posiciona nas principais votações do Congresso”. Mas qual é esse posicionamento positivo ou negativo? Vejamos.

No ano passado, André Fufuca ficou em primeiro lugar e Júnior Lourenço em segundo. Você concorda que os dois deputados tiveram atuações mais destacadas no Congresso? Fufuquinha teve avaliações positivas por votar a favor da intervenção federal no Rio de Janeiro e no cadastro positivo dando informações dos cidadãos aos bancos. Para os “avaliadores” do site, era positivo votar a favor.

Em 2017, o site que diz privilegiar o combate a corrupção, teve como campeão Cléber Verde, acusado de usar candidata laranja para se eleger no ano seguinte. Verde teve 101 pontos, seguido de João Marcelo, com 97 pontos.

Em 2016, o líder era Hildo Rocha, com 224 pontos. E neste ano ficou clara a tendência do site pró-mercado, desequilibrando a avaliação mais à direita do espectro político.

Para se ter uma ideia, o voto a favor do impeachment da presidente Dilma deu 25 pontos positivos, a votação favorável à PEC dos Gastos Públicos que congelou por 20 anos os gastos em saúde e educação valia 30 pontos positivos e da cobrança em universidades públicas, 10 pontos. Todos estes votos altamente questionáveis para o grosso da população, valeu muito para o “ranking dos políticos”.

Agora, Braide ganhou pontos positivos por votar a favor por votar contra a retirada de pauta do projeto do cadastro positivo e a favor do projeto que permite ao capital estrangeiro controlar empresas aéreas do Brasil.

A metodologia do ranking favorece deputados e senadores de direita e a favor do mercado financeiro. Um absurdo metodológico considerar melhores deputados os que votam de acordo com uma tendência política. Considerar que são melhores os deputados que votam de acordo com os “avaliadores” do site consideram positivo seguindo uma tendência claramente pró-mercado financeiro mostra a falta de mínimo de neutralidade para dar valor científico.

As outras métricas são razoáveis: número de projetos apresentados, presença, quantidade de processos judiciais são critérios objetivos. Mas valorar pela posição é a grande furada do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *