Yglésio explica que lei mal feita por Braide impede transferência do Fundo de Combate ao Câncer

O deputado estadual Yglésio (PDT) mandou uma crítica indireta para o colega de parlamento César Pires (PV) e para o deputado federal Eduardo Braide (PMN) sobre o Fundo Estadual de Combate ao Câncer. Para ele, os oposicionistas usam o assunto para disputas políticas.

Desde que a crise no Hospital Aldenora Bello ganhou a mídia, Braide e Pires vieram a público pressionar o governo do Estado a liberar os recursos do Fundo de Combate ao Câncer. Mas Yglésio explicou que um problema na lei, formulada pelo próprio Braide, impede a utilização da verba.

“A Lei Complementar nº 170 foi criada com a finalidade de fazer ações de prevenção”, explicou Yglésio. Por isso, segundo ele, o Ministério Público, que faz parte do Conselho do Fundo, com razão, acredita que a verba só possa ser utilizada para ações preventivas.

“Quem escreveu a lei fez de uma forma que hoje está travando a lei. E ao invés de ter responsabilidade, assumir sua parcela de culpa e buscar uma solução, fica só criticando politicamente”, disparou o deputado contra Eduardo Braide.

Yglésio anunciou que está trabalhando para enviar uma indicação ao governo do Estado com o objetivo de sanar os problemas existentes na lei, “a inconstitucionalidades que tem”, para que os recursos possam ser usados para ações de caráter curativo e também para instituições filantrópicas.

“Portanto a gente está consertando um trabalho que a gente sabe que teve uma boa intenção, mas que deixou um pouco a desejar e por isso a gente está passando por esse tipo de problema”, esclareceu o parlamentar, lamentando o fato do recurso do Fundo ser “usado para disputa política”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *