De como a própria PF inocentou o secretário Lula em seu relatório

Lula acabou com folha suplementar e extinguiu contratos com OSs suspeitas de irregularidades

Contra o relatório da própria Polícia Federal que resultou na Operação Pegadores não há argumentos. Por mais que se faça malabarismo argumentativo para tentar colocar alguma culpa sobre os casos envolvendo as OSs e a secretaria estadual de saúde, foi a própria Polícia Federal que deixou claro em seu relatório que assim que Carlos Lula assumiu a subsecretaria, as irregularidades foram cessadas. Está na decisão da Justiça Federal que autorizou a operação.

Fica claro na decisão que não existe nada contra Lula, que recebeu os policiais na secretaria logo nas primeiras horas da manhã e auxiliou na operação. Os diálogos de Lula e o proprietário de uma das terceirizadas mostram o quanto ele foi pelo de surpresa pela tal folha suplementar. Folha esta que foi encerrada por ele mesmo imediatamente. 

Mas por que a PF diz que as irregularidades continuaram em 2017?

Vamos ao relatório da PF. O que ele diz é que há graves indícios de que a ex-subsecretária Rosângela Curado (acusada de ser a chefe do esquema criminoso) ainda exercia influência através de um funcionário da SES (já demitido), e indicaria empresas subcontratadas pelas terceirizadas. Mas o relatório é claro ao afirmar que há indícios e que isto poderia ser esclarecido no decorrer das investigações (folha 51).

Ora, se existia apenas indícios e o decorrer das investigações é que irão esclarecer, porque a insistência da Polícia Federal em afirmar que existiam irregularidades em 2017? E por que não deixaram claro que se existiu em 2017 teria cessado no início de junho quando o governo encerrou definitivamente o contrato do IDAC? Afinal, era seria este o instituto utilizado como ponte para o pagamento de propinas.

O IDAC que garantiria a continuidade do pagamento da suposta propina a Curado com repasse para uma empresa chamada Emcosuma, de propriedade da odontóloga.

Assim, fica claro que todas as vezes que se teve notícia de suspeita de ilegalidade (mesmo sem comprovação), o secretário Lula agiu para acabar com as atividades: na extinção dos folhas suplementares e encerrando os contratos com as terceirizadas.

Sampaio nas mãos de deputados: Frota reeleito e Josimar vice-presidente

O deputado Sérgio Frota foi reeleito presidente do Sampaio Corrêa. A chapa Coração Boliviano – trabalho e determinação foi eleita para o biênio 2018-2019. A novidade é a eleição do deputado Josimar de Maranhãozinho como vice-presidente do clube de maior torcida do estado.

Mais políticos fazem parte da nova direção do Sampaio. O deputado Othelino Neto, os vereadores Astro de Ogum e Aldir Júnior são do conselho deliberativo do clube.

O reforço político pode ser importante para ajudar o Sampaio a conseguir mais articulação junto a empresas para conseguir mais patrocínios ou melhores condições de preparação na Série B do Campeonato Brasileiro.

Chico Pinheiro: “Não é fácil desmontar esquemas depois de anos e anos de corrupção”

Após a divulgação da reportagem sobre a Operação Pegadores no Bom Dia Brasil, o jornalista Chico Pinheiro desmontou os vociferos do Clã Sarney com uma única frase. “Não é fácil desmontar esses esquemas depois de anos e anos de corrupção”.

Chico deixou claro que os problemas da estrutura viciada das OSCIPs vou deixada pelos governos oligarcas. E claro que não se desmonta esquemas estruturados como estes de uma hora para outra. E não se limpa uma secretaria de saúde, que não pode parar, de uma vez só. Lógico que ainda existiam pessoas e pode ser que ainda existam quem tentam burlar o sistema para se dar bem.

Mas o governo tem retirado as terceirizadas, corrigindo o sistema e expurgando os corruptos do governo assim que descobre ilícitos.

 

Pavão Filho pede recuperação de UEB na Cidade Olímpica

A Câmara Municipal de São Luís aprovou requerimento do vereador Pavão Filho (PDT), no qual solicita ao prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) a reforma completa da Unidade de Educação Básica (UEB), na Cidade Olímpica (Colégio Azulão), que está   funcionando em estado precário.

Conforme a solicitação do vereador, a UEB precisa com urgência da implantação de salas climatizadas, em virtude da referida escola não dispor de infraestrutura adequada, para acomodar alunos, professores e colaboradores, o que dificulta de maneira significativa no aprendizado.

Pavão observa que o espaço escolar é um ambiente formador de personalidades e de representações, por isso, sua estrutura física deve ser atrativa para os alunos de forma que eles possam sentir-se à vontade para desenvolverem suas atividades socioeducativas e desenvolverem seus pensamentos críticos.

“Estudar em um ambiente agradável contribui positivamente no processo de aprendizagem e ao mesmo tempo tornar-se estimulante”, diz Pavão Filho.

Principais acusações dizem respeito a OSs e pessoas que não têm mais ligação com a SES

Rosângela Curado e Aragão do ICN presos

A coletiva da Polícia Federal confirmou que a operação Pegadores atingiu pessoas físicas e Organizações Sociais que supostamente cometiam irregularidades com recursos da secretaria estadual de Saúde. A ex-subsecretária Rosângela Curado e outras 16 pessoas foram presas.

O esquema utilizada empresas de fechada quarterizadas para lavar dinheiro, com pessoas recebendo acima do salário natural. O desvio teria sido de cerca de R$ 18 milhões. A PF identificou movimentações financeiras atípicas da ex-subsecretária Rosângela Curado da ordem de R$ 1 milhão.

Segundo o delegado Wedson Cajé Lopes, coordenador da operação, grande parte das irregularidades ocorreram entre janeiro de 2015 e setembro de 2015. Ele disse que alguns crimes continuaram mas não relatou o que exatamente teria continuado. Porém, o principal mote da investigação diz respeito à contratação de pessoas ou como fantasmas ou com salários acima do normal em uma tal “folha suplementar”. Mas eram feitos nas organizações, em especial ICN e Bem Viver. Inclusive, os proprietários da ICN Benedito Carvalho e Dr. Aragão (ex-presidente estadual do PSDC) voltaram a ser presos.

Vale lembrar que todas estas empresas já foram expurgadas do sistema de saúde do Maranhão, que está desmontado o sistema de terceirização por contratação pela empresa estatal Emserh (Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares).

Das 17 pessoas presas, apenas duas eram do atual quadro da secretaria do quarto escalão para baixo e estão exonerados. Os dois foram identificados como Mariano e Júlio César.

O caso que mais chamou atenção que foi o contrato com uma sorveteria para prestar serviço para saúde. O próprio delegado confirmou na coletiva que quem contratou a tal sorveteria foi a ICN e a Bem Viver. Confira:

Governo mostra ações que tomou para desmantelar estrutura viciada montada por Murad na saúde

O governo emitiu nota sobre a operação da Polícia Federal realizada hoje e demonstra que os fatos não ocorrem mais na gestão estadual.

Um trecho do próprio documento da PF demonstra que os fatos não acontecem mais quando relata que os ilícitos cessaram.

Das cinco pessoas presas apenas uma de quarto escalão ainda estava no governo e será demitida hoje.

Confira a nota.

Governo do Maranhão
Secretaria de Estado da Saúde

Sobre a nova fase de investigação da Polícia Federal, deflagrada nesta quinta-feira (16), no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Governo do Maranhão declara que:

1. Os fatos têm origem no modelo anterior de prestação de serviços de saúde, todo baseado na contratação de entidades privadas, com natureza jurídica de Organizações Sociais, vigente desde governos passados.

2. Desde o início da atual gestão, tem sido adotadas medidas corretivas em relação a esse modelo. Citamos:
a) instalação da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), ente público que atualmente gerencia o maior número de unidades de saúde, reduzindo a participação de Organizações Sociais.
b) determinação e realização de processos seletivos públicos para contratação de empregados por parte das Organizações Sociais.
c) aprovação de lei com quadro efetivo da EMSERH, visando à realização de concurso público.
d) organização de quadro de auditores em Saúde, com processo seletivo público em andamento, visando aprimorar controles preventivos.

3. Desconhecemos a existência de pessoas contratadas por Organizações Sociais que não trabalhavam em hospitais e somos totalmente contrários a essa prática, caso realmente existente.

4. Todos os demais fatos, supostamente ocorridos no âmbito das entidades privadas classificadas como Organizações Sociais, e que agora chegam ao nosso conhecimento, serão apurados administrativamente com medidas judiciais e extra judiciais cabíveis aos que deram prejuízo ao erário.

5. A SES não contratou empresa médica que teria sido sorveteria. Tal contratação, se existente, ocorreu no âmbito de entidade privada.

6. Apenas um servidor, citado no processo, está atualmente no quadro da Secretaria e será exonerado imediatamente. Todos os demais já haviam sido exonerados.

7. A atual gestão da Secretaria de Estado da Saúde está totalmente à disposição para ajudar no total esclarecimento dos fatos.

Operação da Polícia Federal na secretaria de saúde

A polícia federal deflagrou a operação Pegadores, que é mais um desdobramento da operação Sermão aos Peixes.

Estão sendo investigados contratos em que  cerca de 400 pessoas estariam na folha de pagamento da saúde sem prestar os efetivos serviços.

Participaram cerca de 130 policiais para cumprir 45 mandados em São Luís, Imperatriz, Amarante e  Teresina.

Foi solicitado bloqueio de R$ 18 milhões. Até uma sorveteria teria passado a ser uma empresa de serviço hospitalar.

O laranjal de Sarney

Roseana quer muitos subcandidatos para forçar um segundo turno

Está ficando feio. Roseana Sarney Murad foi lançada candidata ao governo do Maranhão por uma notinha. Diante da baixa repercussão do balão de ensaio, a  debandada de ex-aliados da oligarquia aumentou.

Ninguém deseja mais se encostar nessa cerca estragada liderada pela dupla de vices Sarney e Temer. Então algum gênio resolveu achar uma saída: aumentar o laranjal da oligarquia, em busca de um 2º turno.

A lista de laranjas vai da máfia da saúde à máfia de Anajatuba, passando por figuras menores, como o senador que não consegue responder uma prova de história do ENEM.

O problema é que as sementes de laranja até agora resultaram em árvores pequenas, acanhadas e com pouca sombra.

Com isso, Roseana Sarney vai ficando sozinha, com pouca disposição para enfrentar o debate sobre Lunus, Pedrinhas e Alberto Youssef.

Prefeitura adia fiscalização nas faixas exclusivas

Em entrevista ao programa Ponto Continuando, da rádio Mais FM, o secretário Canindé Barros anunciou que a Prefeitura de São Luís prorrogou por mais 30 dias o prazo para início da fiscalização dessas vias. A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), responsável pelo monitoramento do trânsito, já havia concedido um período de 30 dias de fiscalização em caráter experimental. Com a decisão, a Prefeitura irá intensificar as campanhas educativas para ampliar o alcance das informações.

O objetivo das faixas exclusivas, que integram essa nova configuração do trânsito da capital, é promover maior fluidez ao trânsito, beneficiando especialmente os usuários do transporte coletivo. Com as faixas exclusivas – implantadas nas avenidas Colares Moreira e Castelo Branco e na Rua das Cajazeiras – pelos quais somente podem trafegar ônibus, ambulâncias, táxis com passageiro e viaturas das polícias e da SMTT- os veículos podem circular com maior eficiência e com a vantagem de um menor tempo de viagem.

O secretário municipal de Trânsito e Transportes, Canindé Barros, ressaltou a necessidade de prorrogar o prazo para o início da fiscalização. “A prorrogação é para que a população possa compreender melhor como funcionará essa fiscalização nas faixas exclusivas. Nesse período, estamos à disposição da população para esclarecer quaisquer dúvidas em relação a essa fiscalização. Nosso objetivo é conscientizar as pessoas acerca do uso das faixas exclusivas, que permitem um ganho na velocidade do transporte coletivo”, explicou o secretário.

Desde o início da fiscalização, no último dia 10, nenhuma multa foi registrada pelo sistema. De acordo com o titular da SMTT, a ausência de registro prova que os condutores têm compreendido como funciona a faixa. “Apesar das dúvidas, a população tem utilizado as vias conforme a proposta, respeitando as leis e contribuindo para o melhor funcionamento do fluxo de veículos nas principais avenidas”, disse Canindé.

FOTOSSENSSORES

A fiscalização através dos fotossensores, já habitual aos condutores, continua a valer. Em funcionamento desde a última sexta-feira (10), a fiscalização através desses equipamentos confere maior segurança ao trânsito da capital, tendo em vista que controlam o limite de velocidade em trechos estratégicos, a fim de evitar acidentes e reduzir os índices de mortes no trânsito. Equipamentos como barreiras eletrônicas, para redução de velocidade em trechos específicos, também estão integrados ao sistema de monitoramento do trânsito da capital.

Aliança de Flávio Dino e Gastão Vieira deixa grupo Sarney em desespero

Mais um nome de peso da política maranhense que era do grupo Sarney está com Flávio Dino para o próximo pleito. O Clã segue perdendo lideranças e até antigos generais da tropa. O governador segue mostrando habilidade política ao trazer para seu lado o ex-ministro do Turismo, Gastão Vieira.

Flávio e Gastão chegaram juntos em Anapurus. Foi o suficiente para sofrer ataques sem nexo dos ex-aliados. Roseana Sarney foi obrigada a lançar prematuramente seu nome para a disputa do governo do Estado na tentativa de conter a sangria do grupo. André Fufuca, Cléber Verde, Juscelino Filho, Luís Fernando Silva, Pedro Fernandes, Josimar de Maranhãozinho, Ildon Marques são nomes que deixaram o Clã para apoiar o atual governador.

Mas a estratégia de Roseana não surtiu efeito. O simbolismo da aliança do candidato a Senador do grupo em 2014 é enorme. É mais um pilar do Clã demolido. Com o nome ainda lembrado para uma disputa de Senado, Gastão deverá mesmo ser  candidato a deputado federal, com boias chances no grupo governista.

Gastão foi ministro de Turismo do governo Dilma e Flávio Dino presidente da Embratur. Os dois já tinham afinidade, mesmo em campos políticos divergentes. E a aliança destrói os planos do Clã.