Pesquisa: Flávio Dino lidera com 70% dos votos válidos em Imperatriz

Flávio Dino em Imperatriz

Pesquisa do instituto Interpreta demonstra o tamanho da popularidade do governador Flávio Dino em Imperatriz, Aliás, Flávio esteve em ato de campanha nesta sexta-feira (17) na segunda maior cidade do estado e foi recebido com muita festa por uma multidão.

Segundo os números do instituo, analisando os votos válidos, quando são excluídos brancos e nulos, Flávio tem 70,42% das intenções de votos. A segunda colocada a ex-governadora Roseana Sarney, com 23,83%. Roberto Rocha, que tem investido muito na campanha na cidade, está com 3,54% e Maura Jorge 2,08%. Odívio Neto e Ramon Zapata estão com menos de 1% de intenções de voto.

Na contagem geral, Flávio tem 54,08%. Roseana aparece com 17,92%, enquanto Roberto Rocha está com 2,72%. Maura Jorge aparece com 1,6%. Odívio possui 0,32% e Ramon Zapata 0,16%. Não souberam ou não responderam somam 13,72%. Brancos e nulos 9,44%.

A pesquisa do Instituto Interpreta foi registrada sob o número MA-07496/2018 e ouviu 625 imperatrizenses no dia 10 deste mês. A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.

Ato de campanha de Hildo Rocha com direito a churrasco, bebida e paredão musical grátis

O deputado federal candidato à reeleição, Hildo Rocha (PMDB), pelo visto ainda está acostumado às velhas práticas eleitoreiras adotadas por décadas pelo seu grupo político, o clã Sarney.

Tanto que confirmou presença em reunião de campanha que mais parece uma festa. Pelo menos é o que promete o folder de divulgação do evento.

O cartaz que circula nas redes sociais informa que Hildo Rocha é presença confirmada em reunião política no município de Santa Luzia, regada a churrasco e bebida, e com direito ainda a apresentação de DJ e de paredão automotivo. Tudo isso de graça.

O problema é que Hildo Rocha pode estar cometendo crime eleitoral ao ser conivente com tais práticas, já que a Justiça Eleitoral proíbe aos candidatos a realização de showmícios com apresentação de artistas – mesmo sem remuneração.

Jurisprudências de tribunais eleitorais de todo o país também já consideraram a distribuição de bebida e comida em larga escala, como ato lesivo para a disputa eleitoral. Ainda mais estampando a distribuição do open bar no cartaz de divulgação. Estamos de olho…

Erro no formulário colocou Chico Coelho como analfabeto no sistema eleitoral; candidato tem curso superior

Surgiu o boato de que o candidato a deputado estadual Chico Coelho seria analfabeto, portanto não poderia concorrer às eleições. Na verdade, está constando assim sua escolaridade no sistema de divulgação de candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Até uma reportagem da Folha de São Paulo afirmou que um candidato no Maranhão declarou ser analfabeto tendo como base o registro de candidatura. A assessoria do ex-prefeito de Balsas declarou a O Imparcial que houve um erro no preenchimento do formulário para registrar a candidatura de Coelho.

Ele na realidade tem curso superior. Coelho é formado em engenharia agrônoma e no próprio sistema do TSE a ocupação está registrada como agrônomo.

Até porque se fosse analfabeto, Coleho não poderia ter concorrido e ocupado anteriormente os cargos de deputado federal, estadual e prefeito.

MP Eleitoral representa contra Maranhãozinho, Hélio Soares e Belezinha por propaganda antecipada

Josimar, Belezinha e Hélio Soares denunciados por ato de campanha feito antes do prazo

O Ministério Público Eleitoral no Maranhão protocolou duas representações no Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE/MA): a primeira contra Josimar Cunha Rodrigues e Hélio Oliveira Soares e a segunda, contra Josimar Cunha Rodrigues e Maria Dulcilene Pontes Cordeiro, todos pré-candidatos nas eleições de 2018, por terem realizado propaganda eleitoral antes do prazo de 15 de agosto, estabelecido no artigo 36 da Lei nº 9504/1997.

O pré-candidato a deputado federal, Josimar Rodrigues, conhecido como Josimar de Maranhãozinho, esteve em Colinas (MA), no dia 05 de agosto, junto com o pré-candidato a deputado estadual Hélio Soares, promovendo carreata com grande apelo público, sem controle de entrada e com ampla divulgação nas redes sociais, com fotografias, vídeos e trechos de discursos, o que torna evidente que os pré-candidatos tinham conhecimento da conduta.

Josimar de Maranhãozinho também esteve em carreata no município de Santa Quitéria, em 10 de agosto, agora acompanhado da pré-candidata a deputada estadual, Maria Dulcilene Pontes Cordeiro, a Dulcilene Belezinha. O ato público contou com grande participação dos moradores da cidade e ampla divulgação nas redes sociais.

Nos dois casos, os pré-candidatos afirmam que seria um ato de lançamento de campanha, De acordo com o MP Eleitoral, no entanto, carreatas como estas, configuram-se como verdadeiro ato de campanha antecipada, que em nada se confunde com “encontros, seminários ou congressos, em ambientes fechados”, facultados pela Lei nº 9504/1997, desde que não haja pedido de votos.

A partir disso, o Ministério Público Eleitoral, requer a aplicação de multa, a todos os pré-candidatos envolvidos: Josimar Cunha Rodrigues e Hélio Oliveira Soares e, novamente Josimar Cunha Rodrigues e Maria Dulcilene Pontes Cordeiro, de acordo com o art. 2º, § 4º, da Res. TSE nº 23.551/2017 (art. 36 § 3º da Lei 9.504/1997), em seu valor máximo, por conta da gravidade em relação às eleições.

Roseana já começou a campanha com mentira

A campanha da candidata ao governo do Maranhão Roseana Sarney já começou enganando os maranhenses. No dia 20 de julho, a então pré-candidata foi enfática em vídeo divulgado ao lado de Ricardo Murad no qual afirmava que sua campanha seria iniciada em Coroatá, reduto do ex-secretário de saúde e segundo a Polícia Federal chefe de organização criminosa que desviou mais R$ 1 bilhão da saúde.

“Quero avisá-los também que nós resolvemos fazer o comício de abertura aí em Coroatá porque nós precisamos de pessoas entusiastas, de pessoas que participem da nossa campanha para nos dá força e passar energia dessas pessoas por isso nós vamos iniciar a nossa campanha aí em Coroatá”, disse Roseana.

Ricardo Murad disse entusiasmado que os coroataenses não teriam melhor notícia do que abrir a campanha “da vitória” na cidade.

Ontem, Roseana deu a largada na campanha passando por Parnarama, Matões e Timon, para subir no palanque da família Waquim. A ex-prefeita de Timon, Socorro Waquim é candidata a deputada estadual.

Esqueceu completamente a promessa que ela e Ricardo fizeram aos coroataenses. Não prestigiaram justamente a cidade de onde surgiu o tapetão jurídico que tentam dar na eleição.

Roseana disse que começaria a campanha em Coroatá. Enganou os coroataenses e foi para Timon no primeiro dia de campanha

Requalificação do Centro de São Luís tem nova etapa na Rua do Passeio

Centro de São Luís está sendo repaginado; na Rua do Passeio, tubulação nova antes do asfalto

Mais uma etapa das obras de requalificação do Centro é iniciada com intervenção na Rua do Passeio. Trecho de acesso à Rua Grande recebe serviços de revisão do sistema de escoamento da água. Esta semana, as equipes deram prosseguimento à escavação da área para a implantação de novas tubulações. O projeto de requalificação da área central, executado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com a Prefeitura de São Luís, compreende o Complexo Deodoro – formado pelas praças Deodoro e Pantheon e as alamedas Silva Maia e Gomes de Castro – e ainda, a Rua Grande, Praça Pedro II e Praça da Mãe d’Água.

A área do Centro é importante pelo que representa para a história da cidade e por agregar o maior centro comercial da cidade, pontua o prefeito Edivaldo. “Esta região está ganhando um novo reordenamento do espaço urbano, contemplando todos que vivem, trabalham e circulam por esta área. Trata-se de uma série de ações de urbanismo e arquitetura com fins a revitalizar e recuperar todo o trecho executadas pelo Iphan com o apoio da Prefeitura”, reforça o prefeito.

Os serviços em andamento tratam da substituição da rede antiga de água na interseção da Rua do Passeio, que, ao final, servirá de apoio para as obras de qualificação da rede elétrica subterrânea que alimentará a Rua Grande. Segundo o Iphan, as ações promovidas no trecho são referentes à execução da caixa de elétrica para que posteriormente seja embutida a rede de distribuição de energia da Rua Grande.

Contempla ainda a execução de poços de visita e ligações da rede de esgotamento sanitário e da nova rede de distribuição de água e hidrantes. Todas as derivações dessas infraestruturas subterrâneas acontecem no cruzamento entre a Rua Grande e a Rua do Passeio, o que ocasionou a alteração do trafego de veículos no local.

Os trabalhos prosseguem dentro do cronograma esperado e esta é umas das importantes etapas da obra que irá requalificar um espaço público de referência da capital, reforça o superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary. “Este projeto tem um forte significado para a população por servir ao lazer, ao entretenimento e, principalmente, a contemplação da cidade. O projeto resgata este que será um dos cartões postais de São Luís”, reitera.

Roberto Rocha está tecnicamente empatado com candidatos do PSOL e PSTU

Candidato desde que se elegeu senador em 2014, Roberto chega ao início da campanha sem deslanchar nas pesquisas

A pesquisa divulgada ontem pelo Instituto DataIlha/TV Difusora traz análises interessantes do atual cenário político do Maranhão. Além da vitória de Flávio Dino em primeiro turno, o que mais chama atenção no levantamento é o pífio desempenho de Roberto Rocha (PSDB), que está tecnicamente empatado com os candidatos da ultraesquerda Ovídio Neto (PSOL) e Ramon Zapata (PSTU).

O candidato tucano aparece na pesquisa em terceiro lugar com apenas 3% das intenções de voto. Se levarmos em consideração que a pesquisa tem margem de erro de 3,3%, Roberto Rocha aparece tecnicamente empatado com Ovídio Neto e Ramon Zapata, que marcaram 0,5% na pesquisa DataIlha.

E nada contra os candidatos desta legendas. Pelo contrário, eles têm representação ideológica importantes no pleito mesmo sem peso eleitoral. Mas foi o próprio Roberto Rocha que em entrevista a este Blog em 2015 chamou estes partidos de “malucos” desdenhados da importância deste no cenário. E por ironia do destino, Roberto está no mesmo patamar eleitoral dos partidos “malucos”.

Apesar de estar em um partido forte e com uma coligação que reúne seis legendas, Roberto Rocha não consegue deslanchar nas pesquisas eleitorais. Pelo contrário, o senador tem aparecido como um candidato insignificante nos levantamentos realizados até o momento.

E, pelo andar carruagem, vai brigar com Maura Jorge (PSL) e com os candidatos da ultraesquerda para não ficar em último lugar quando as urnas foram abertas em outubro.

Realizada com 2.037 maranhenses em 36 cidades entre os dias 4 e 6 de agosto desse ano, a pesquisa DataIlha/Difusora foi registrada no TSE sob o número MA-03307/2018. A margem de erro é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Mulher atropela cachorros em São Luís e gera revolta em todo Brasil

A reação na internet foi devastadora após vir a público o vídeo de uma mulher atropelando dois cachorros no Residencial Pinheiros, em São Luís. Pelas imagens, é possível perceber que propositalmente a mulher acelera o carro em direção aos animais.

O atropelamento aconteceu na última terça-feira (14). A autora foi identificada como Ana Giselle Ferreira Atan, que é a proprietária do veículo Honda HRV, placas PSV-9431. Um dos cachorros morreu e outro ficou muito machucado.

O caso repercutiu nas redes sociais e famosos se solidarizaram com a causa, como a apresentadora Luisa Mell, defensora da causa animal.

Começou a campanha; veja o que é permitido

Está aberto o período de campanha a partir de hoje. Você já deve ter recebido no Whatsapp santinhos de candidatos, visto movimentação nas ruas como bandeiraços e outras formas de propaganda eleitoral. Mas o que é permitido?

Veja abaixo um resumo do que podem e não podem fazer candidatos durante a campanha eleitoral deste ano:

O que pode o candidato

  • Distribuir folhetos, adesivos e impressos, independentemente de autorização, sempre sob responsabilidade do partido, da coligação ou do candidato (o material gráfico deve conter CNPJ ou CPF do responsável pela confecção, quem a contratou e a tiragem);
  • Colar propaganda eleitoral no para-brisa traseiro do carro em adesivo microperfurado; em outras posições do veículo também é permitido usar adesivos, desde que não ultrapassem meio metro quadrado;
  • Usar bandeiras móveis em vias públicas, desde que não atrapalhem o trânsito de pessoas e veículos;
  • Usar em carreatas, caminhadas e passeatas ou durante reuniões e comícios alto-falantes, amplificadores, carros de som e minitrios entre 8h e 22h, desde que estejam a, no mínimo, 200 metros de distância de repartições públicas, hospitais, escolas, bibliotecas, igrejas e teatros.
  • Realizar comícios entre 8h e 24h, inclusive com uso de trios elétricos em local fixo, que poderão tocar somente jingle de campanha e emitir discursos políticos;
  • Fixar propaganda em papel ou adesivo com tamanho de até meio metro quadrado em bens particulares, desde que com autorização espontânea e gratuita do proprietário;
  • Pagar por até 10 anúncios em jornal ou revista, em tamanho limitado e em datas diversas, desde que informe, na própria publicidade, o valor pago pela inserção;
  • Arrecadar recursos para a campanha por meio de financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual)
  • Fazer propaganda na internet, desde que gratuita e publicada em site oficial do candidato, do partido ou da coligação hospedados no Brasil ou em blogs e redes sociais;
  • Promover o impulsionamento de conteúdo na internet (post pago em redes sociais), desde que identificado como tal e contratado exclusivamente por partidos políticos, coligações e candidatos e seus representantes, devendo conter o CNPJ ou CPF do responsável e a expressão “Propaganda Eleitoral”;
  • Fazer propaganda em blogs, redes sociais e sites de mensagens instantâneas com conteúdo produzido ou editado por candidato, partido ou coligação;
  • Usar ferramentas para garantir posições de destaque nas páginas de respostas dos grandes buscadores;
  • Enviar mensagens eletrônicas, desde que disponibilizem opção para descadastramento do destinatário, que deverá ser feito em até 48 horas.

O que não pode o candidato

  • Fixar propaganda em bens públicos, postes, placas de trânsito, outdoors, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus, árvores, inclusive com pichação, tinta, placas, faixas, cavaletes e bonecos;
  • Fazer propaganda em bens particulares por meio de inscrição ou pintura em fachadas, muros ou paredes;
  • Jogar ou autorizar o derrame de propaganda no local de votação ou nas vias próximas, mesmo na véspera da eleição;
  • Fazer showmício com apresentação de artistas, mesmo sem remuneração. Cantores, atores ou apresentadores que forem candidatos não poderão fazer campanha em suas atrações;
  • Fazer propaganda ou pedir votos por meio de telemarketing;
  • Confeccionar, utilizar e distribuir camisetas, chaveiros, bonés,canetas, brindes, cestas básicas, bens ou materiais que proporcionem vantagem ao eleitor;
  • Pagar por propaganda na internet, exceto o impulsionamento de publicações em redes sociais;
  • Publicar propaganda na internet em sites de empresas ou outras pessoas jurídicas, bem como de órgãos públicos;
  • Fazer propaganda na internet, atribuindo indevidamente sua autoria a outra pessoa, candidato, partido ou coligação;
  • Usar dispositivos ou programas como robôs, conhecidos por distorcer a repercussão de conteúdo;
  • Usar recurso de impulsionamento somente com a finalidade de promoção ou benefício dos próprios candidatos ou suas agremiações e para denegrir a imagem de outros candidatos;
  • Fazer propaganda eleitoral em sites oficiais ou hospedados por órgãos da administração pública (da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios);
  • Agredir e atacar a honra de candidatos na internet e nas redes sociais, bem como divulgar fatos sabidamente inverídicos sobre adversários;
  • Ao fazer divulgação do financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual) para arrecadação de recursos de campanha, os candidatos estão proibidos de pedir votos;
  • Veicular propaganda no rádio ou na TV paga e fora do horário gratuito, bem como usar a propaganda para promover marca ou produto;
  • Degradar ou ridicularizar candidatos, usar montagens, trucagens, computação gráfica, desenhos animados e efeitos especiais no rádio e na TV;
  • Fazer propaganda de guerra, violência, subversão do regime, com preconceitos de raça ou classe, que instigue a desobediência à lei ou que desrespeite símbolos nacionais.
  • Usar símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às empregadas por órgão de governo, empresa pública ou estatal;
  • Inutilizar, alterar ou perturbar qualquer forma de propaganda devidamente realizada ou impedir propaganda devidamente realizada por outro candidato.

Com informações de Globo.com