Começa a Copa do Mundo! Maranhenses participam da festa

Começa a Copa do Mundo. Ronaldo participou da festa de abertura

A Rússia é a sede oficial do futebol a partir desta quarta-feira (14). Os russos fizeram uma grande festa de abertura dos jogos com a participação de Ronaldo Fenômeno. A cerimônia de abertura foi curta, com apenas 15 minutos de duração. A festa que contou com a participação de 800 artistas, dentre eles o cantor Robbie Williams, que cantou músicas conhecidas como “Let me entertain you”, “Feel” e “Rock DJ”. A cerimônia aconteceu no Estádio Olímpico Lujniki, em Moscou.

Mas também terá maranhense na Copa. Quatro jovens atletas amadores maranhenses participarão do Festival Futebol da Esperança, evento que acontecerá paralelo aos jogos oficiais da Copa do Mundo de Futebol, em junho. O Festival realiza um Futebol misto, integrando meninos e meninas de 31 nacionalidades.

Maranhenses que participam de evento paralelo da Copa do Mundo em treino na praia da Ponta d’ Areia.

Cada jogo é divido em três tempos e será realizado da seguinte forma: no primeiro tempo eles debatem em conjunto as regras que regerão a partida. Regras estas debatidas entre os dois times e o mediador que faz o papel do árbitro.

Já no segundo tempo acontece a partida e no terceiro eles fazem uma avaliação do comportamento realizado dentro de campo, podendo até classificá-la como equipe vencedora a que não marcou gol ou que marcou menos gols, devido ao critério de avaliação que é regido pelo espírito de cooperação e de relação com o próximo.

A jovem Luana Cantanhede estava muito empolgada para levar o nome do Maranhão junto com os outros colegas. Antes da viagem ela falou sobre a expectativa de integração com os outros atletas maranhenses para que eles possam descobrir a cultura Russa.

“Vai ser muito proveitosa essa experiência de ir conhecer novos amigos e entender os costumes de outros povos. Além do jogo de hoje, existem outros momentos, onde nós temos aula de inglês, no intuito de aprender palavras básicas para nos comunicar na Rússia e para poder absorver a programação cultural que será ofertada durante os jogos”, relatou.

Projeto propõe criar ‘cartão digital de vacinação’ em São Luís

Projeto de Pedro Lucas facilita acesso às informações sobre vacinação

Criar um banco de dados compartilhado nas Unidades Básicas de Saúde para facilitar o acesso às informações sobre a vacinação. Foi com esse objetivo que o vereador Pedro Lucas Fernandes (PTB) apresentou na Câmara de São Luís, essa semana, um Projeto de Lei que determina a criação do “Cartão de Vacina Digital” na capital maranhense para acompanhar a aplicação das vacinas por meio da Internet, desde o nascimento.

A carteira de vacinação é um documento obrigatório para garantir o acesso de trabalhadores a benefícios sociais e para ingresso e permanência de crianças e adolescentes nas escolas. Segundo o vereador, a medida tem a finalidade de resguardar os dados do usuário visando proporcionar maior agilidade na hora da vacinação de adultos e crianças na rede municipal de saúde.

Além de facilitar o acesso às informações sobre a vacinação, a carteira eletrônica também vai substituir os cartões de vacinação em papel que esfarela com o tempo. A norma que ainda está em tramitação deve passar por quatro comissões da Casa antes de seguir para o plenário, onde receberá contribuições e sugestões de outros parlamentares.

De acordo com Pedro Lucas Fernandes, com a medida o cidadão vai deixar de se imunizar ou tomar várias vezes à mesma dose. Ele afirmou ainda que a proposta ajudaria a reduzir gastos com a vacinação indevida.

“Precisamos facilitar a vida do cidadão ludovicense e garantir que ele receba todas as vacinas em dia, sem depender de um pedaço de papel, que é incompatível com a digitalização de documentos e processos de que necessitamos hoje em dia”, destaca o vereador.

O líder do PTB na Câmara justifica que sua proposta dará maior controle econômico por parte da prefeitura, pois economizará dinheiro público com a não confecção e distribuição dos cartões de papel, gerando assim, economia e colaborando com a natureza, além de auxiliar o usuário a manter a imunização em dia, e acima de tudo, arquivar seu histórico de vacinas.

Comissão discute fornecimento de água em Paço do Lumiar e São José de Ribamar

A Comissão de Assuntos Econômicos da Assembleia Legislativa iniciou, na manhã desta quarta-feira (13), uma agenda de discussão sobre o fornecimento de água em localidades abrangidas pelo consórcio intermunicipal de Paço do Lumiar e São José de Ribamar.

O presidente da Comissão, deputado Bira do Pindaré (PSB), destacou a importância desse debate, iniciado com a discussão específica sobre problemas enfrentados por moradores das comunidades Jardim Araçagi, Alvorada, Itaguará e adjacências.

A reunião contou com a presença de representantes da BRK, da Caema e de moradores do Jardim Araçagi. Representantes da comunidade reclamaram dos valores das tarifas e dos serviços prestados pela BRK.

Técnicos da BRK, questionados pelo deputado Bira do Pindaré, forneceram informações e esclareceram dúvidas sobre custos operacionais para o fornecimento de água aos municípios de São José de Ribamar e Paço do Lumiar. Representantes da Caema forneceram informações sobre sistemas pertencentes à Companhia e que continuam abastecendo localidades do interior da Ilha.

Ao final da reunião, o deputado Bira do Pindaré sugeriu que a BRK, em face das reclamações sobre tarifas cobradas pela empresa, mantenha tarifa mínima, enquanto se aprofunda a discussão para eliminar divergências, que ainda existem sobre bens e equipamentos pertencentes à Caema e sobre área de abrangência da BRK.

“A ideia foi abrir este diálogo com a BRK, a Caema e a comunidade, cujos moradores vieram a esta Casa para expressar suas inquietações e reivindicações sobre fornecimento de serviços de água. O espírito deste debate é justamente o de buscar soluções que sejam boas para todas as partes envolvidas”, ressaltou o parlamentar.

Segundo ele, o debate sobre o tema será ampliado na agenda das próximas reuniões da Comissão de Assuntos Econômicos da Assembleia Legislativa.

Câmara fará audiência proposta por Pavão Filho sobre combate às drogas nesta sexta

Pavão Filho propõe audiência pública para debater a questão das drogas em São Luís.

Por sugestão do vereador Pavão Filho (PDT), a Câmara Municipal estará realizando uma audiência pública nesta sexta-feira, (15), para discutir o tema “Políticas públicas de prevenção, tratamento e combate às drogas em São Luís”. A motivação dessa iniciativa, segundo ele “se dá em virtude do aumento da criminalidade e do consumo de drogas entre os adolescentes e jovens, que preocupa a sociedade, implicando-se na desestrutura familiar e aumento da criminalidade”.

Enfatiza o parlamentar pedetista que essa audiência “é de extrema importância para que sejam implantadas ações de caráter educativo e informativo de combate às drogas, esclarecendo a sociedade sobre o perigo do contato com substâncias que causam dependência física e psiquiátrica”.

Lembra Pavão Filho que no dia 19 de junho comemora-se o “Dia Municipal Antidrogas”, e inicia-se a Semana de Combate às drogas, conforme as Leis Municipais nº 4.507, de 27 de julho de 2005 e nº 4.508, de 27 de julho de 2005. Para ele, com esses dispositivos legais, “torna-se necessário alertar a sociedade, os governantes, os políticos e os educadores de que é indispensável a prevenção ao uso de drogas nas cidades, principalmente em escolas”, arremata o vereador.

Foram convidados para o evento o prefeito Edivaldo Holanda Junior, o governador Flávio Dino, os secretários municipais de Educação, Moacir Feitosa; de saúde, Lula Fylho, da Criança e Assistência Social, Andrea Carla Santana Everton Lauande, o secretário de Estado da Educação, Felipe Costa Camarão.

Também foi formulado convite a entidades como FUMAC – Fundação Maranhense de Assistência Comunitária, REMADD – Mede Maranhense de Diálogos Sobre Drogas, LIDAM – Liga Desportiva Amadora do Maranhão, DJOMA – Desafio Jovem do Maranhão, PROERD – Programa Educacional de Resistência às Drogas, CISAF – Centro de Integração Socio Cultural Aprendiz do Futuro, Pastoral da Sobriedade, Centro de Saúde Dom João Antonio Farina, Centro de Atuação Psicosocial, CALS Álcool e Drogas Estadual, Alcoólicos Anônimos – São Luís, Narcóticos Anônimos – São Luís e FECOTEMA – Federação das Comunidades Terapeúticas do Maranhão.

Segmento evangélico aposta em pré-candidatura de Eliziane Gama para o senado federal

Será sábado (16) no Rio Poty Hotel às 08h30 ocorrerá o lançamento da pré-candidatura ao Senado da deputada federal do PPS Eliziane Gama. A deputada será aclamada pelo segmento evangélico e por diversos movimentos sociais.

Muitas denominações evangélicas estarão presentes no evento e, ao que tudo indica, o segmento evangélico está pacificado e focado em ter uma senadora representante do segmento. Na sua denominação, o presidente da Convenção Estadual da Assembleia de Deus no Maranhão (CEADEMA), Pastor Pedro Aldir Damasceno e o presidente do Conselho Politico da Convenção Geral da Assembleia de Deus no Brasil (CGADB), Eleazar Ceccon confirmaram ainda no ano de 2017 Eliziane a uma das vagas ao Senado com apoio de todas as igrejas evangélicas.

“A igreja através da CEADEMA se dispôs resolutamente a apoiar a pré-candidatura ao Senado da deputada federal Eliziane Gama. Esse é um projeto não somente dos evangélico em geral mas de grande parte da população maranhense votante”, afirmou o Pastor Pedro Damasceno.

No caso do Maranhão seria um enorme avanço tanto para os movimentos sociais como para o segmento evangélico seria um enorme avanço ter alguém de suas fileiras na câmara alta. Assim, Eliziane Gama caminha para se consolidar como uma das favoritas no pleito de outubro deste ano e mudar a cara senatorial do Maranhão.

Pesquisa: Flávio Dino e Weverton Rocha lideram em Imperatriz

Foi divulgada nesta quarta-feira (13) a Pesquisa Data M 3, sob Registro TRE 09455/2018, quanto à intenção de votos na cidade de Imperatriz para a eleição majoritária e avaliação do atual governo do estado. A pesquisa eleitoral ouviu 394 eleitores de Imperatriz no período de 04 a 06 de junho de 2018.

Para o senado, o pré-candidato Weverton Rocha mostra o quanto a consolidação do seu nome já tem refletivo eleitoralmente. O pedetista lidera a corrida para o senado federal na segunda maior cidade do Maranhão.

Quando perguntados sobre a primeira opção de voto, 24,7% dos eleitores responderam Weverton Rocha, logo depois aparecem o senador Edison Lobão com (MDB) 18,4%, Sarney Filho (PV) com 9,8%, Zé Reinaldo (PSDB) com 9,1%, Eliziane Gama (PPS) com 4,3%, Alexandre Almeida (PSDB) com 4,0%, 21,2% responderam que não votariam em nenhum dos nomes apresentados e 8,6% não sabem ou não responderam.

Quando perguntados sobre a segunda opção de voto, Weverton Rocha continua em primeiro com 12,8%, Edison Lobão 12,1%, Zé Reinaldo 11,1%, Sarney Filho 8,3%, Eliziane Gama 6,5%, Alexandre Almeida 3,8%, 27,2% responderam que não votariam em nenhum dos nomes apresentados e 18,1% não sabem ou não responderam.

Flávio vence com folga

Na pesquisa para o governo, o governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) aparece em primeiro lugar com 57,4% contra 17,1% de Roseana Sarney, assim como o pré-candidato ao Senado, o deputado federal Weverton (PDT) lidera as intenções de voto junto com o senador Edison Lobão (MDB).

A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado nos resultados da pesquisa é de 95%. Para essa pesquisa foram ouvidos homens e mulheres, conforme percentual de eleitores disponibilizados no TRE-MA/2018, a maioria com grau de escolaridade nível médio.

Bolsonaro vem ao Maranhão em meio à tentativa de afirmação

Visita de Bolsonaro a um Estado onde Lulismo é muito forte é oportunidade de ver como o pré-candidato será na campanha.

O pré-candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), cumpre agenda no Maranhão nesta quinta-feira (14) ao lado da pré-candidata ao governo do estado, Maura Jorge (PSL).

Bolsonaro lidera a corrida presidencial nos cenários sem o ex-presidente Lula. O problema é a estagnação do candidato que não consegue avançar para o eleitorado além dos chamados “bolsominions”. Na última pesquisa DataFolha, o pré-candidato do PSL perde para todos os principais adversários no segundo turno e empata com Geraldo Alckmin. Isto demonstra a rejeição do candidato para os seus não-eleitores no primeiro turno. Bolsonaro perde para Marina Silva e Ciro Gomes.

O deputado federal tem tentado adotar um discurso mais moderado e ser mais palatável ao mercado financeiro e, consequentemente, da grande imprensa, que o vê com desconfiança.

Bolsonaro tenta avançar no Nordeste, onde o eleitorado de Lula é muito grande. Por isso, vale ficar atento a qual será o tom de Bolsonaro no Maranhão: falastrão e translocado como de costume ou moderado e com propostas para a economia e o social para conquistar quem nem pensa nele como possibilidade.

Luciano Genésio fecha aliança com Flávio Dino

Em encontro com a participação do presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Othelino Neto, o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, fechou apoio à reeleição do governador Flávio Dino.

Luciano já foi filiado ao partido do governador e tem uma ligação histórica com o governador. Entre alguns entreveiros, os dois estiveram quase sempre próximos. Nas eleições de 2016, só romperam porque por influência do pai, Luciano rompeu o acordo que tinha de apoiar Leonardo Sá, após sua candidatura ter sido ameaçada pela Justiça Eleitoral.

Ainda assim, Flávio Dino tem ajudado a administração do prefeito de Pinheiro. O presidente da Assembleia, que tem uma disputa local com Genésio, também fez concessões para que a aliança pudesse ser fechada.

 

Caema é condenada a construir estação de tratamento de água em Monção

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) tem 180 dias para perfurar poços artesianos, montar estruturas de tratamento e abster-se de cobrar tarifa de fornecimento de água aos moradores do município de Monção.

A determinação judicial, de 24 de maio, atende às solicitações feitas pela promotora de justiça Érica Ellen Beckman da Silvam, em Ação Civil Pública, ajuizada em março de 2009. A ACP foi motivada por abaixo-assinado com mais de 1.500 assinaturas, em função de interrupção do fornecimento de água aos moradores.

“Passados quase 10 anos da proposição da ação do MPMA, não há nos autos qualquer indicação concreta de que a demandada tenha realizado obra de melhora nas condições de fornecimento de água à população”, diz o autor da decisão, juiz Ricardo Moyses.

A multa por descumprimento estabelecida é R$ 5 mil diários, até o limite de R$ 1 milhão, cujo montante deve ser transferido ao Fundo Estadual de Direitos Difusos.

ENTENDA O CASO

O abastecimento de água no município é feito por quatro poços, mas somente a água de um deles é tratada. Além disso, a água de dois poços não é apropriada para consumo, em função do elevado nível de cloreto de sódio.

O Município de Monção firmou um convênio no valor de R$ 1,62 milhões com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), prevendo a construção de uma estação de tratamento. Em março de 2012, a primeira parcela, no valor de R$ 620 mil, foi repassada ao Município.

Foi realizada uma licitação, que teve a empresa Conterplan Construções Empreendimentos Ltda. como vencedora, e as obras foram iniciadas e interrompidas por ordem da Funasa, devido à inadequação do local.

DETERMINAÇÕES

As determinações incluem a montagem de um clarificador de contato e filtro russo, com captação superficial do Rio Pindaré (que abastece a cidade), ou construir poços artesianos por empresa especializada, com acompanhamento de geólogos e geofísicos. A companhia também deve abster-se de perfurar poços artesianos com elevado nível de sal.

Além disso, a Caema deve repor as estruturas deterioradas ou com tecnologia defasada e instalar equipamentos para abastecimento de água, segundo as normas da Vigilância Sanitária.

Maranhão, DF e mais 23 Estados entram com ação no STF contra a União

Procuradores gerais dos Estados acionam STF para que União repasse recursos

Vinte e três Estados da Federação, além do Distrito Federal, entraram hoje (11), no Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, com uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) para cobrar recursos que a União deve aos Estados. No último dia 4 de abril, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, encaminhou ofício ao Governo Federal sobre o assunto, ao qual aderiram outros 15 estados e o DF, sem que o governo houvesse sequer respondido o expediente.

Diante de tal omissão, 24 Governadores, juntamente com os respectivos procuradores gerais, assinaram a ação. O documento cobra o repasse de 20% dos valores de contribuições objeto da Desvinculação das Receitas da União (DRU). A estimativa é de que, levando em conta os resultados de 2017, os valores devidos aos estados cheguem a R$ 20 bilhões a cada exercício.

A DRU é um instrumento utilizado pela União para fins diversos, já que permite ao governo federal acesso a parcela das contribuições sociais (que têm finalidades específicas) sem compartilhar receita com os estados. O artifício permite que o governo federal retire do orçamento da previdência, por exemplo, 30% do montante que é arrecadado pelas contribuições sociais, que são incorporados ao caixa único do Tesouro Nacional para o Governo utilizar como achar melhor, sem compromisso de aplicar no segmento específico para o qual a contribuição foi criada.

A tese dos estados, então, é que as contribuições, na parte desvinculada, funcionam como um imposto disfarçado, com a única finalidade de não compartilhar 20% do montante com os estados. O prejuízo aos estados, assim, é enorme. Da mesma forma, perde a área social com os investimentos que poderiam ser feitos especificamente em políticas públicas definidas pelos entes subnacionais.

A DRU, dessa forma, possibilita à União aumentar a carga tributária do país centralizando os recursos no ente federal, sem compartilhar receitas com os Estados, em patente fraude à constituição e ao princípio federativo. A carga tributária aumenta, mas os Estados não recebem os valores que lhes cabiam. Trata-se de prática que afronta a Constituição Federal, aumentando a centralização de recursos na União, em uma flagrante negação do princípio federativo.