Clayton Noleto: o homem que resolve no governo Flávio Dino

Blog Marrapá – Um dos auxiliares de maior destaque do Palácio dos Leões, o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, é chamado de “Posto Ipiranga” pelo governador Flávio Dino por sua competência e disposição para resolver com agilidade a maioria dos problemas rotineiros de competência do executivo Estadual.

Clayton faz o perfil gestor. Seu destaque é por conseguir concluir obras em tempo recorde e transformar programas de apoio aos municípios em salvação para muitas prefeituras, a exemplo do “Mais Asfalto”.

Natural em governos é que as próprias secretarias sejam responsáveis pelas obras da pasta. Mas Dino, ao contrário de Roseana, acabou com o rodízio de empreiteiras-amigas na Saúde, Educação etc para concentrar toda infraestrutura na pasta de Clayton Noleto.

Alvo de criticas dos Murad no inicio da gestão, Noleto é especialista em Planejamento Estratégico, atuou a maior parte da sua carreira no setor privado, foi professor e instrutor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), nas áreas de Gestão e Planejamento.

Filiado ao PCdoB, apesar de alguns cogitarem sua candidatura sua deputado federal, o comunista descarta participar do pleito, porém é uma liderança em ascensão, além de aliado imprescindível, a ponto de ser cotado para a sucessão do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), dada a sua popularidade na Região Metropolitana.

A diferença entre o apoio real ao Aldenora Bello e a falácia do Clã Sarney

O Clã Sarney através de seus membros de menor patente Roberto Rocha e Eduardo Braide tenta emplacar uma estória utilizando os veículos de comunicação sarneystas para passar a ideia de que o governado do Estado está negando um mamógrafo ao Hospital Aldenora Bello, mantido pela Fundação Antônio Jorge Dino (FAD).

No enredo da falácia sarneysta, Eduardo Braide apresenta uma emenda para a compra de um mamográfo e depois reclama que sua emenda não foi atendida por perseguição política. Os veículos de comunicação do Clã repetem a cantinela de que o governador estaria penalizando o hospital por perseguição política. Em seguida, aparece o senador Roberto Rocha e afirma que vai destinar emenda sua de R$ 798 mil para a compra do mamógrafo.

Vale lembrar que este mesmo Roberto Rocha tirou R$ 90 milhões da saúde dos municípios para mandar para a Codevasf. Além da cantinela, vale questionar para onde foram as outras emendas de Roberto Rocha. Apóś quase três anos de mandato, quem tem notícia de alguma obra efetivamente realizada com emenda do Senador?

Para refrescar a memória do leitor, Roberto prometeu um shopping popular para camelôs antes de assumir o mandato aproveitando emenda deixada pelo ex-senador Epitácio Cafeteira. Alguém sabe o que aconteceu com este projeto?

Apoio verdadeiro

Para além do discurso demagogo, o governo do estado de fato tem apoiado o Hospital Aldenora Bello. Já foram mais de R$ 6 mihões destinados em três convênios. Um permitiu inclusive a aquisição de um acelerador linear, equipamento que reforçaria os serviços de radioterapia do hospital.

O primeiro deles, no valor de R$ 600 mil, tinha como objeto a aquisição de equipamentos hospitalares. O valor foi pago ainda em 2015.

Já o segundo repasse era para apoio financeiro para aquisição de equipamentos médicos para UTI pediátrica. O recurso de R$ 650 mil chegou à Fundação Antônio Jorge Dino em 2016.

Por último, o Governo do Estado autorizou o repasse no valor de R$ 5 milhões, que permitiu a aquisição de acelerador linear – equipamento utilizado dentro do serviço de radioterapia do Hospital do Câncer Aldenora Bello.

Mamografia

A rede estadual de saúde atende a população com exmaes de mamografia. São 28 mamógrafos e tem ampliado o atendimento com o programa de mamografia móvel. De janeiro a agosto deste ano foram realizadas mais de 27 mil exames. Por isto, preferiu atender o Aldenora Bello com outras necessidades mais urgenetes.

Auditoria aponta superfaturamento de R$ 2,2 mi do Hospital de Chapadinha na Gestão Murad

Obra foi retomada pelo governo atual

Blog do Alexandre Pinheiro – Documentos oficiais que o Blog do Alexandre teve acesso com exclusividade trazem detalhes das irregularidades que atrasaram a obra do Hospital Regional de Chapadinha e apontam superfaturamento de 2,2 milhões de reais.

Em auditoria realizada pela Força Estadual de Transparência e Controle – FETRACON, órgão ligado à Secretária de Transparência e Controle, o superfaturamento é computado na ordem de R$ 2.276.742,97. “Durante exame dos desenhos técnicos avaliamos R$ 6.371.862,91 em serviços contratados, dos quais identificamos R$ 2.505.934,44 em quantidades superdimensionadas e R$ 229.191,48 em quantidades subdimensionadas, totalizando R$ 2.276.742,97 de superfaturamento”, diz o relatório da Força tarefa.

Leia também: Andrea Murad é ré em ação com construtora que abandonou obra em Chapadinha

Diante das constatações a Força Tarefa recomenta suspensão do contrato com a Construtora Iris Engenharia, empresa contratada durante a gestão do ex-secretário de saúde Ricardo Murad. “Diante da execução em curso do objeto sob responsabilidade da Secretaria de Estado da Infraestrutura a se concretizar, quanto mais se demore na adequação do ajuste, mais podem ser medidos os serviços questionados, e considerando que até a finalização do relatório em questão, a continuidade do empreendimento nos parâmetros atuais pode resultar em dano relevante e imediato”, prossegue o relatório da auditoria.

Nas planilhas anexadas ao relatório cerca de 40 itens entre aplicação de concreto (R$ 612.251,08, em superfaturamento), esquadria em alumínio (com uma diferença de R$ 363.544,70 a maior em superfaturamento) e outros valores que somados chegaram ao montante de R$ 2.276.742,97 ou 36% do valor total da obra do Hospital Regional, com indícios de superfaturamento.

Depois de aprofundadas as auditorias e levantamentos, ainda de acordo com informações oficiais, a empresa que venceu a licitação na gestão de Ricardo Murad foi processada pela Secretaria de Infraestrutura, teve os contratos cancelados, foi considerada inidônea e proibida firmar contrato com o poder público.

Iris Conhecida e Doadora

Além de Chapadinha a empresa Iris Engenharia atrasou o Hospital de Rosário de forma mais dramática e, à medida em que recebia pagamentos superfaturados da Secretaria do Pai Ricardo Murad, fazia doações às campanhas da filha Andrea Murad e do genro Sousa Neto, em 2014.

Os promotores Lindonjonson Gonçalves de Sousa (18º Promotor de Justiça de Substituição Plena Respondendo pela 28ª Promotoria de Justiça Especializada), João Leonardo Sousa Pires Leal (Promotor de Justiça Titular da 29ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa do Patrimônio Público e da Probidade administrativa) e Maria Cristina Lima Lobato Murilo (Promotora de Justiça da 1ª Promotoria de Justiça de Rosário/MA) acusam Ricardo Murad e outras oito pessoas, entre funcionários públicos e empresários, do desvio R$ 4,8 milhões pagos pela construção de um hospital de 50 leitos, considerado fantasma no município de Rosário e incluíram a deputada filha e o parlamentar genro por terem recebido doação eleitoral da empresa Iris Engenharia, em 2014, na mesma semana em que a empresa recebeu R$ 3,1 milhões pagos pela Secretaria de Estado da Saúde.

Hospital Regional Urgente 

Depois das irregularidades que adiaram a conclusão do Hospital Regional de Chapadinha, outra empresa foi contratada por meio de licitação e a obra foi retomada, mantendo a esperança de breve inauguração. Enquanto muitos fatos obscuros que tanto atrasaram o Maranhão prometem ser revelados nos próximos meses.

Hospital de Ortopedia: Ricardo Murad alugou a mesma clínica há 7 anos por R$ 150 mil mensais

Mais uma prova do tamanho da bobagem sobre aluguel da clínica onde funcionará o Hospital de Traumatologia e Ortopedia. Outros governos alugaram a mesma clínica, inclusive o secretário Ricardo Murad e não por R$ 90 mil mensais, como é agora no governo Flávio Dino, mas por R$ 150 mil. E isso há sete anos. Ou seja, quando o valor deveria ser menor.

A soma passa dos R$ 4,5 milhões pagos pelo governo Roseana/Ricardo Murad para a clínica El Dourado, quando funcionava como clínica de atendimento ao idoso. Isto prova que nem o valor que o atual governo paga é absurdo, nem existe uma locação por conta de haver pessoa próxima ao atual governo no local.

Mas a filha do ex-secretário, deputada Andrea Murad, teve a coragem de ir à tribuna da Assembleia Legislativa reclamar do pagamento. “O Estado paga R$ 90 mil por mês para clínica durante 1 ano sem atender um único paciente, gastando ainda quase R$ 1 Milhão na reforma do prédio e o Secretário Lula e o Governador Flávio Dino vêm dizer que seria descontado no aluguel. Veja bem, eu estou com o contrato aqui, um aluguel por dispensa de licitação, R$ 90 mil por mês, quase R$ 1 Milhão em reforma, aluguel este que aditivaram por mais dois anos”.

Ora, e o que o pai dela pagou? Deveria devolver os milhões pagos exatamente pelo mesmo imóvel.

Como já ficou claro, o aluguel de uma estrutura já existente para instalar o Hospital de Traumatologia e Ortopedia é mais rápido e barato do que a construção de um novo prédio. Os Sarney ficaram 50 anos no poder sem dar aos maranhenses um Hospital de Traumatologia e Ortopedia.

 

Um dos mais competentes do governo Dino, Lula segue firme na Saúde

Não passa de mais um boato a “informação” de que o titular da pasta da saúde, Carlos Lula, havia sido exonerado esta manhã.

O secretário permanece normalmente em suas atividades, inclusive fechando os últimos detalhes para o lançamento do projeto Mais Saúde, neste final de semana. O projeto levará serviços médicos e educativos a comunidades em São Luís de forma itinerante.

Homem de confiança do governador, Lula tem gerenciado a SES desde maio do ano passado e, na contramão da crise, ajudado o Governo a abrir unidades e ampliar o atendimento e a assistência estadual de saúde pelas regiões. Além disso, trabalha simultaneamente na parte administrativa com ênfase na correção dos erros estratégicos e rastros de corrupção deixados pela gestão de Ricardo Murad.

“Desespero de quem não quer o Hospital de Traumatologia funcionando parece ser enorme”, afirma Lula

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, usou as redes sociais para detonar os factoides implantados pela oligarquia Sarney/Murad sobre o Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO) do Maranhão, que será inaugurado nos próximos meses pelo Governo do Estado.

A unidade, que representa a duplicação do número de leitos ortopédicos oferecidos pelo Estado em São Luís, tem sido alvo de constantes invencionices capitaneadas pela deputada Andrea Murad, a mesma que é filha de Ricardo Murad, ex-secretário de saúde e classificado pela Polícia Federal como líder de organização criminosa que desviou bilhões dos cofres públicos na gestão da ex-governadora Roseana Sarney.

De acordo com as sandices da parlamentar, o Governo do Estado já está pagando o aluguel do prédio que vai abrigar o HTO. O que ela não conta é que o espaço passa por ampla reforma para atender da melhor maneira possível os pacientes. “O aluguel de uma estrutura existente representa uma solução mais barata e mais rápida que a construção de um novo imóvel”, explicou Lula.

Ainda de acordo com ele, “o valor da reforma será descontado do aluguel, conforme expressa previsão do artigo 35 da Lei n. 8.245/91”, o que mostra que “não há irregularidade, não há ilegalidade mas o desespero de quem não quer o Hospital de Traumatologia funcionando parece ser enorme”.

O secretário detonou ainda dizendo que “é triste notar que a oposição não quer o HTO, sabe-se lá por qual motivo. Reafirmo: o debate no estado pode ser muito mais qualificado. O Hospital supre demanda histórica nessa especialidade e será entregue à população neste semestre”, ressaltou o secretário.

O desespero demonstrado por Andrea Murad evidencia o incômodo do clã que dominou o Maranhão por décadas e sugou até o último centavo que pôde, sobretudo da saúde.

“Para tristeza de muitos, o HTO é apenas uma das inúmeras inaugurações que faremos neste segundo semestre. Sorrir, Hospital de Balsas, Centros de Hemodiálise e mais outras unidades por todo o estado. Enquanto os viúvos gritam, a gente trabalha”, completou Carlos Lula.

Davi Telles assume a Ciência e Tecnologia e Carlos Rogério a Caema

Davi Telles assume a secretaria de Ciência e Tecnologia

O governador Flávio Dino anunciou nesta terça-feira (1º) mudanças na estrutura de governo. O atual presidente da Caema, Davi Telles, será o novo secretário de Ciência e Tecnologia. “O atual secretário Jhonatan Almada vai se dedicar exclusivamente ao IEMA”, escreveu o governador.

“Davi Telles é professor universitário e tem mestrado na Sorbonne. Jhonatan conhece profundamente o IEMA e vai cuidar do seu crescimento”, explicou.

O novo presidente da Caema será Carlos Rogério Santos Araújo, que é do quadro da empresa e atual diretor de Operação, Manutenção e Atendimento ao Cliente. Ele terá a missão de concluir importantes obras já adiantadas.

Carlos Rogério foi secretário municipal de Trânsito e Transporte no primeiro mandato da gestão Edivaldo Holanda Júnior.

Com passagens por secretarias grandes de São Luís, Carlos Rogério agora preside a Caema

Na administração do prefeito Jackson Lago, o engenheiro ocupou por seis anos a secretaria adjunta de Obras e Serviços Públicos (Semosp). Por igual período foi titular da mesma secretaria na administração de Tadeu Palácio.

O governador explicou que o principal objetivo das mudanças é “fortalecer as políticas de ciência e tecnologia, bem como de formação profissional via IEMA. […] Sob coordenação de Davi e Jhonatan, o projeto vai crescer ainda mais”.

Flávio: “Se o metro quadrado mais caro de São Luís não servir a nossas crianças, a quem servirá?”

Foi entregue nesta terça-feira (4), a Casa de Apoio Ninar,para crianças com microcefalia e outros problemas de desenvolvimento neurológico. Ao todo, 58 multiprofissionais garantirão aproximadamente 1.263 atendimentos por mês, distribuídos em 1.560 horas de estímulo às crianças.

Durante a inauguração, Flávio Dino deu resposta ao pronunciamento absurdo do deputado Edilázio Júnior, que defendeu que o espaço não deveria ocupar o metro quadrado mais caro de São Luís.

“Uma voz destas do passado me criticou porque eu tinha destinado o metro quadrado mais caro de São Luís para crianças. Essa mesma voz não achava estranho quando este metro quadrado era usado para banquete, para festinha. Se o metro quadrado mais caro de São Luís não servir a nossas crianças, a quem servirá? Fizemos aqui conscientemente para mostrar o lugar que queremos para aqueles que mais precisam”, afirmou.

A diferença que se explica em uma fachada

Apenas a fachada da Casa de Apoio Ninar explica a diferença do governo Flávio Dino para o governo Roseana Sarney. A casa, que mesmo pública, antes era reservada para festas nabalescas de cunho privado, agora serve para apoio a crianças com problemas neurológicos, em especial, microcefalia. A fachada diz tudo. Esta casa AGORA pertence ao povo do Maranhão.

Antiga Casa de festas muito próxima de ser tornar referência para crianças com microcefalia

Casa de apoio Ninar deverá ser entregue em junho

Está muito próximo de estar pronto o Centro de Referência em Neurodesenvolvimento, Assistência e Reabilitação de Crianças na antiga Casa de Veraneio do governo do Estado. A obra está avançada e a secretaria estadual de Saúde espera entregar o Casa já no mês que vem (junho). Será um importante local para o atendimento principalmente de crianças com microcefalia.

A Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) e recebe periodicamente o acompanhamento para atender aos requisitos necessários para funcionamento da casa e cumprir o cronograma estabelecido.

A capacidade para receber 11 adultos e 9 crianças nas áreas dos dormitórios. Para aumentar a segurança os toldos das sacadas serão trocados. Nos quartos a mobília está sendo preservada para ser utilizada pelas famílias. Haverá transporte específico para o deslocamento das mães e crianças para que cheguem ao local.

A Casa de Veraneio era um local de festas nababescas promovidas pelos governos estaduais para políticos, empresários e outros poucos favorecidos. Agora, servirá às pessoas mais necessitadas com crianças que possuem problemas neurológicos.

Para que servia a Casa de Veraneio

Uma pequena amostra da serventia da Casa de Veraneio até o final do ano passado. No “Último Baile do Lagostão”, a ex-governadora Roseana Sarney se esbaldou.