Dia Histórico para o Clã Sarney; dia de coincidências…

Nome de Roseana é limpo na Justiça maranhense em meio a coincidências

Muitas coincidências em o que o Clã Sarney comemorou como “Dia histórico”. E já estava comemorando com antecedência. Muito esquisito que no mesmo dia em que ocorreu a operação “Pegadores”, a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão julgue rapidamente o caso Sefaz e tranque a ação.

De forma estranha foi modificada a relatoria do caso Roseana/Sefaz. O relator José Bernardo passou para Vicente de Paula, mas estranhamente, acabou nas mãos do desembargador Guerreiro Júnior. Os argumentos do voto giram em torno sempre do fato de que Roseana, na qualidade de governadora, apenas assinava atos com base nas informações fornecidas pela Sefaz e pela Procuradoria Geral. Ou seja, na visão o magistrado, governador não tem culpa objetiva pelo que seus auxiliares fazem.

“Comungo do entendimento firmado pelo STJ, vez que a conduta da Paciente está intrinsecamente relacionada à autorização do acordo, que fora embasada dos pareceres dos procuradores, sendo a ‘sustentação política’ da suposta organização criminosa e não descreve qualquer outra circunstância concreta a indicar a participação da Paciente no suposto grupo criminoso, não demonstra e nem sequer cita eventual vínculo com as supostas manobras criminosas”, afirmou no voto.

A operação Pegadores tem inconsistências que não se notam em outras operações da Polícia Federal. Mesmo com as informações sobre a atuação da ex-subsecretária Rosângela Curado em mãos há mais de um ano e meio, mesmo com a saída das terceirizadas já fora da secretaria estadual de saúde, só agora a PF resolveu realizar a operação.

Mas são apenas coincidências.

Roseana tenta habeas corpus no caso da Máfia da Sefaz

Blog do Jorge Vieira – Acusada de comandar a máfia que sangrou a Secretaria de Fazenda do Maranhão em aproximadamente R$ 1 bilhão durante sua gestão no Governo do Maranhão, a ex-governadora Roseana Sarney, segundo informa o Jornal Pequeno, edição desta terça-feira (7), está tentando trancar o processo  que pode deixa-la inelegível, caso seja condenada.

Segundo o JP, os advogados de defesa da ex-governadora Ana Graziella Santana Neiva Costa, Luís Henrique Alves Sobreira Machado e Bruno Araújo Duailibe Pinheiro ingressaram na justiça dia 27 de outubro com um pedido habeas corpus junto ao “desembargador presidente das Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Maranhão” com a finalidade de trancar a Ação Penal que tramita na 8ª Vara Criminal de São Luís.

A ação proposta pelo Ministério Público referente ao que ficou conhecido com “Máfia da Sefaz”, em 2016, denunciou o esquema de concessão de isenções fiscais pela Secretaria da Fazenda do Estado a empresas instaladas no Maranhão. A denúncia foi feita pelo promotor Paulo Roberto Barbosa Ramos e aceita pela juíza Cristina Sousa Ferraz.

Estão denunciados, além de Roseana, o ex-secretário da Fazenda, Claudio Trinchão (está com os bens indisponíveis), Akio Valente Wakiyama, José Raimundo Rodrigues do Nascimento, Edimilson Santos Ahid Neto, José Arturo Mendonza Reque Junior, Euda Maria Lacerda e os ex-procuradores do Estado Marcos Alessandro  Coutinho Passos Lobo e Helena Maria Cavalcante Haickel.

Justiça de Pernambuco bloqueia os bens do marqueteiro de Roseana

Antonio Lavareda, cientista político que foi acionado no início de outubro para trabalhar a candidatura de Roseana Sarney ao governo do estado, teve os seus bens bloqueados por determinação da juíza Roberta Viana Jardim, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE). Lavareda é alvo de uma queixa-crime registrada pelo seu ex-sócio do Banco Gerador, o empresário Paulo Sérgio Macedo. O banco que foi vendido para o Grupo Agiplan, em maio de 2016.

Macedo acusa Lavareda, que também é apresentador do programa ‘Ponto a Ponto’, exibido pela BandNew, pela suposta prática dos crimes de “estelionato e falsificação de documento particular”, segundo o site O Antagonista.

Por meio de nota, o advogado Fernando Friedheim diz que Lavareda é vítima e criticou Macedo.

A relação de Lavareda e Roseana é antiga. Ele trabalha e é muito próximo da peemedebista desde o seu segundo mandato de governadora, ainda pelo antigo PFL.

Em meados de 2014, foi o marqueteiro que aconselhou Roseana a permanecer no governo e não ser candidata a senadora e era o estrategista da então pré-candidatura de Luís Fernando Silva ao governo, que como todos sabem, foi para o buraco.

Mais um escândalo de Lobão azeda ainda mais relação com Roseana

Se já está batendo o pé para o senador Edison Lobão candidato a reeleição na sua chapa em 2018, Roseana Sarney agora tem mais um motivo para vencer a queda de braço com o seu pai, José Sarney.

Nesta segunda-feira, o site de notícias BuzzFeed escancarou que o empresário Rodrigo Brito, da AP Energy, admitiu à Polícia Federal que serviu de intermediário de propinas entre a empreiteira Camargo Corrêa e o senador Edison Lobão, envolvendo a obra multibilionária de Belo Monte, um dos episódios da Lava Jato que atinge o PMDB do Senado.

Com mais esse escândalo envolvendo a principal operação policial em curso no país, da qual Lobão é um dos campeões em citações nos mais diversos esquemas envolvendo propinas e favorecimentos, Roseana Sarney vai reforçar sua posição contra a composição do senador e braço direito de José Sarney na sua chapa para 2018.

Ela teme que Lobão seja um peso para a sua já combalida imagem no Maranhão. Para Roseana Sarney, já bastam os esquemas de corrupção que ela colecionou durante a sua vida pública que vão pipocar durante as eleições. Ter que carregar ainda os do senador como seu companheiro de chapa seria praticamente mortal para a eleição mais difícil da sua vida.

É por isso que ela está revoltada com mais um escândalo à nível nacional do senador Edison Lobão.

Roseana se manifesta mas não desmente informação de que não quer Lobão na sua chapa

Curiosa a manifestação da ex-governadora Roseana Sarney sobre sua relação com o senador Edison Lobão. A coluna Expresso, da revista Época, publicou nota afirmando que o clima é péssimo entre Roseana e Lobão. Isto porque a ex-governadora não quer Lobão como candidato a Senador em sua chapa.

Em entrevista ao jornalista Ronaldo Rocha, Roseana disse: “Não é verdade. A nossa relação nunca foi tão boa quanto agora. Não há clima ruim nenhum entre nós dois”, se referindo ao clima ruim.

Mas nas entrelinhas da fala de Roseana está o fato dela não ter desmentido a principal informação: a ex-governadora não quer Lobão na sua chapa, que pesaria muito a já combalida imagem. Isto é um fato que todos da convivência do Clã confirmam.

Roseana concedeu entrevista sobre a nota e o natural seria falar que deseja Lobão e seria uma honra tê-lo como companheiro de chapa. Mas não falou da principal informação porque não poderia expôr a situação: não quer Lobão na sua chapa.

Roseana reaparece após notícias sobre prisão do amigo Geddel esfriarem

Roseana reapareceu fantasiada de “Perpétua”

A ex-governadora Roseana Sarney voltou a aparecer no meio político depois de um longo período de ausência. Ela foi vista na Câmara Federal esta semana pedindo votos a favor do arquivamento do segundo processo contra o presidente Michel Temer, que é do seu partido, o PMDB.

Sumida desde a prisão do amigo e ex-ministro Geddel Vieira Lima – dono de um bunker encontrado em Salvador com mais de R$ 50 milhões em dinheiro vivo – Roseana reaparece no cenário político para dar o último tiro de misericórdia no seu sonho de voltar a comandar o Maranhão: a manutenção do presidente Michel Temer no cargo.

A ausência de Roseana do meio político nesse período evidenciou o medo de uma possível delação de Geddel, com quem é suspeita, segundo parecer do Ministério da Integração Nacional, de desvio de R$ 18 milhões – valores corrigidos – em recursos federais que seriam para reconstrução de estradas e pontes destruídas por enchentes em 2009.

Em evidência na mídia nacional pela escandalosa prisão, Geddel é considerado pela cúpula do PMDB como um verdadeiro homem bomba que pode implodir a carreira política de vários membros da sigla, inclusive de Roseana Sarney, com quem ele tem grande afinidade e relações que extrapolaram o nível de institucionais.

Com o “sumiço” de Geddel da agenda política nacional, Roseana vai reaparecendo aos poucos, mas sempre torcendo para que o amigo continue sozinho com o seu silêncio lá na Papuda.

Com candidatura incerta, Roseana ainda não pisou em São Luís este mês

A possível pré-candidata Roseana Sarney ainda não retornou de Brasília, para onde migrou no período da visita do ex-presidente Lula. Para fugir da humilhação de não ser recebida pelo tantas vezes aliado, Roseana foi aconselhada pelo pai a ir à Brasília. Chegou até a espalhar o boato por meio de aliados que estava na Europa, em viagem de lazer.

Mas na verdade, só queria minimizar o fato de não ser recebida por Lula.
Desde que foi à capital federal, Roseana aproveitou para realizar articulações nacionais. Junto ao pai, articula com Temer verbas federais e apoio de outros partidos que possam viabilizar sua candidatura.

Também articula o arquivamento de uma auditoria que corre contra ela no Ministério da Integração.

Quando chefiado pelo hoje detento Geddel Vieira Lima, o ministério repassou R$ 18 milhões para obras de enchente que simplesmente sumiram. Mais um problema que ameaça jogar por água abaixo a candidatura de Roseana a um quinto mandato.

Roseana ficou revoltada com arquivamento de processo de Flávio Dino na Lava Jato

Sonhando em voltar aos tempos de farras regadas a lagostas, champanhes franceses e camas de R$ 130 mil, Roseana Sarney ficou revoltada com a decisão do STJ em atender o pedido da Procuradoria Geral da República, que afirmou não haver qualquer fato ou indício que pudesse comprovar as falsas acusações feitas pelo funcionário da Odebrecht, José de Carvalho Filho, contra o governador Flávio Dino no âmbito da Operação Lava Jato.

Assim como aconteceu na derrota para Jackson Lago em 2006, Roseana Sarney arremessou pratos e esbravejou do alto do seu apartamento de luxo na Península, sobretudo com seu pai. A maior revolta de Roseana foi pelo fato de José Sarney não ter conseguido usar sua influência para forçar um inquérito contra Flávio Dino. A denúncia era a garantia que a ex-governadora estava esperando para disputar as eleições.

Acostumada a ter tudo de mãos beijadas dadas pelo pai, Roseana agora se vê em maus lençóis – e ainda por cima sem a cama hi-tech – tendo que enfrentar um adversário que não possui qualquer mácula contra sua imagem e que está fazendo, em dois anos e meio, o que ela não fez em 16 anos.

A revolta de Roseana é, na verdade, a destruição da única chance que ela teria em um embate com Flávio Dino. Pelo visto, esse foi mais um capítulo do passamento do grupo Sarney no Maranhão.

Que companhia! Roseana recebe visita de Júnior Lourenço

Júnior Lourenço (de laranja) bem ao lado de Roseana

As companhias da ex-governadora Roseana Sarney nesta pré-campanha ao governo não são nada boas. Nesta quarta-feira (23), a Branca recebeu a visita de lideranças de São Vicente Ferrer, Capinzal do Norte, Cajari, Mirador, Carutapera, Lagoa Grande e Pedro do Rosário.

Mas o principal visitante arregimentador do grupo era ninguém menos do que o ex-prefeito de Miranda, Júnior Lourenço, uma das figuras mais enroladas do Maranhão. Ele já teve bens bloqueados no valor de R$ 10 milhões. Também conhecido como ‘Rei dos Convênios’, é suspeito de desviar verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

A Justiça também já bloqueou recursos da prefeitura no período que Lourenço era gestor para que fosse cumprido o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) para compra do transporte escolar.

Lourenço é muito próximo do principal agiota do Maranhão, o Pacovan.

Juiz Clésio Coelho inocenta Roseana no caso Constran

Mais uma vez ele! O juiz Clésio Coelho Cunha, que está respondendo pela 3ª Vara Criminal, decidiu absolver a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) da denúncia da Promotoria de Justiça Especializada na Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa a respeito do caso Constran.

A ex-procuradora-geral do Estado, Helena Haickel, também foi inocentada. Clésio julgou inepta a denúncia sobre as duas e decidiu pela absolvição.

Roseana e outros 11 co-réus foram denunciados por recebimento de propina de R$ 33 milhões para liberar os precatórios da Constran, furando a fila dos precatórios. O doleiro Alberto Youssef entregou uma mala de dinheiro a um homem que seria enviado do ex-chefe da Casa Civil, João Abreu, como parte do pagamento da propina. Abreu chegou a ser preso.