UFMA: Avança bandeira de Marco Aurélio para bonificação de estudantes maranhenses

Frente parlamentar se reuniu com reitora Nair Portela e teve encaminhamentos para que estudante maranhense seja beneficiado com bonificação para entrar na UFMA

Em reunião realizada na tarde desta quarta-feira (10), na sede da Universidade Federal do Maranhão – UFMA, em São Luís, a Frente Parlamentar em Defesa da Bonificação no Enem para estudantes oriundos de escolas Maranhenses foi recebida pela reitora, Nair Portela, membros da Pró-reitoria de ensino e procuradoria da universidade para discutir a implantação da Bonificação para alunos de escolas Maranhenses no Enem, sobretudo no curso de medicina.

A frente parlamentar foi criada por proposição do deputado Prof. Marco Aurélio (PCdoB), com o intuito de reforçar as condições de ingresso dos alunos de escolas maranhenses nos principais cursos oferecidos pela Universidade. De acordo com o parlamentar, desde a adoção do Enem como porta de entrada para a UFMA, muitos cursos acabaram sendo “dominados” por alunos de outros estados, de outras regiões, que acabam, na maioria dos casos, deixando a UFMA mesmo antes de concluir os cursos. “É de conhecimento de todos que os cursos de medicina nas universidades federais foram criados como parte de uma política de saúde regional, que tem por finalidade desenvolver a saúde das regiões beneficiadas. Com a abertura do ingresso por meio do Enem, abriu-se também a oportunidade para que os estudantes de outros estados viessem para cá apenas por não conseguir ingressar nas universidades de suas regiões.” Destacou Marco Aurélio.
Como exemplo, o Parlamentar citou a cidade de Imperatriz, onde dos 292 alunos do curso de medicina da UFMA, apenas 42 são da região. Sem contar a grande evasão que ocorre no decorrer do curso, pois no primeiro período que concluiu há poucos meses no campus de Imperatriz, dos 40 alunos matriculados durante o início do curso, 12 já retornaram para suas regiões de origem.
Essa é uma bandeira que vem sendo defendida pelo deputado Marco Aurélio desde o início de seu mandato, ainda na gestão do então reitor, Natalino Salgado, mas que vem sendo amadurecida com diálogo constante e reforço nas parcerias.  Desta vez, a Frente Parlamentar contou com o auxílio do ex-juiz e advogado, Marlon Reis, que preparou um parecer destacando a segurança jurídica e relevância da matéria.
Durante a reunião, Marlon ressaltou o caráter inclusivo da proposta. “O que o sistema de bonificação representa é uma política de estímulo, uma política afirmativa e não uma política de segregação, ou seja, não haverá nenhum impeditivo para o ingresso dos alunos de outras regiões na Universidade, o que, ao meu ver, torna essa matéria constitucional. Vale ressaltar ainda que esta mesma política já se provou eficaz em países como o Japão, que adotou a questão da regionalização das vagas de algumas universidades para estimular o vínculo regional da mão de obra qualificada.” Afirmou o jurista.
A reitora Nair Portela se disse muito satisfeita com a mobilização em torno da matéria e ressaltou sua importância destacando a relação médico/habitante do Maranhão, que atualmente é uma das piores do país. “Nós temos essa urgência em reverter esse quadro, mas na atual conjuntura isso não será possível. Hoje, diante dessa realidade e dos estudos que foram feitos, inclusive com a grande quantidade de vagas ociosas no curso de medicina, acredito que teremos como levar o assunto para a apreciação do Conselho Universitário e buscar sua aprovação.” Concluiu a reitora.
Como resultado da reunião ficou estabelecido a realização de três audiências públicas, com datas a serem marcadas, nos municípios de São Luís, Imperatriz e Pinheiro, cidades onde a UFMA oferece os cursos de medicina, para que o assunto seja difundido com a sociedade e a comunidade acadêmica, além de que os membros do Conselho Universitário sejam sensibilizados em torno da questão.
A reunião contou ainda com as importantes presenças dos deputados, Bira do Pindaré(PSB), Wellington do Curso (PP) e Levi Pontes (PCdoB).
Entenda a Bonificação
A bonificação será um mecanismo de acréscimo de 20% nas notas de alunos oriundos de escolas maranhenses para o ingresso na Universidade Federal do Maranhão. O objetivo é facilitar o acesso desse aluno aos principais cursos da universidade e manter essa mão de obra qualificada no estado.
A prática já é adotada em outras universidades do país como a Universidade Federal do Pará – UFPA, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará -UNIFESSPA, Universidade Federal do Pernambuco – UFPE, entre outras.

A falta de segurança da UFMA

Colocar a culpa nas vítimas ou no comportamento de convício dos estudantes é a forma mais fácil e covarde de fingir que o problema da Universidade Federal do Maranhão não é a gestão da segurança no local. Foram registrados dois casos de estupro na Universidade em menos de quatro dias. E existe uma corrente que insiste em criminalizar as festas que sempre existiram como convivência universitária sem nenhuma ocorrência.

O segundo caso de estupro ocorrido na parada de ônibus do Centro Pedagógico Paulo Freire derruba a tese de que o problema da UFMA é festa e álcool. O problema é falta de segurança mesmo!

Imaginar que acabar com calouradas vai acabar com a violência é uma tolice. A UFMA tem muitos cursos à noite e os estudantes estão a mercê de saídas em grupos menores ou sozinhos e o perigo é muito maior.

A reitora Nair Portela precisa tomar uma atitude urgente para garantir a segurança dos estudantes e não mascarar a vulnerabilidade da UFMA proibindo festas, por exemplo.

Nair é irmã do secretário estadual de Segurança, Jefferson Portela. Isso facilita a celebração de uma parceria para que a Polícia Militar esteja na universidade e medidas de proteção nos acessos laterais possam ser adotadas.

Fim da greve na UFMA; aulas recomeçam na segunda-feira

Em Assembleia Unificada nesta quinta-feira (15), os técnico-administrativos, professores e estudantes da UFMA decidiram suspender o movimento grevista. As aulas serão retomadas na Universidade a partir de segunda-feira (19).

O sindicato anunciou que será mantido o estado de mobilização, com atividades permanentes como debates quinzenais, aulas públicas e panfletagens. O Comando Unificado de Mobilização vai elaborar calendário definindo as próximas atividades de mobilização.

As mobilizações pretendem discutir as medidas do Governo Federal que prejudicam o funcionalismo público e privado, como a Reforma da Previdência e aprovação da PEC 55, promulgada nesta quinta-feira (15) pelo Congresso Nacional. O programa de mobilização objetiva reunir técnicos, professores e estudantes em atividades culturais e discussões acerca da realidade política do país e mantendo o movimento em defesa dos trabalhadores.

Professores da UFMA começam greve na sexta-feira (25)

greveufmaEm assembleia realizada na noite desta segunda-feira (21), o sindicato dos professores da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) decidiu paralisar as atividades. O início da greve será marcado por Ato Unificado às 6h no Largo de São Pedro, em frente à Avenida dos Portugueses.

Os professores da UFMA protestam contra a nova reforma do Ensino médio e a PEC 55 (antiga PEC 241), conhecida como a PEC gastos públicos, que impõe um limite anual de despesas de gastos para os três poderes ao longo dos próximos vinte anos.

Ainda na sexta-feira, estão programadas, à tarde, ações de mobilização continuam, com a concentração para a Marcha da Periferia às 15h no Centro de São Luís, na Praça Deodoro.

UFMA faz parceria com secretaria de segurança e disciplinará acesso à Universidade

ufmaA Universidade Federal do Maranhão resolveu reagir após o assassinato do estudante Kelvin Rodrigues Ribeiro, 22, dentro das dependências da Universidade. A UFMA formalizou nesta segunda-feira (8) convênio com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP/MA) para atuação da Polícia Militar nas dependências da Cidade Universitária.

O convênio prevê diversas ações para viabilizar a segurança ostensiva e preventiva da Polícia Militar no Campus do Bacanga, atuar junto à equipe privada da UFMA, realizar rondas em locais vulneráveis e de alto risco e monitorar os espaços físicos da instituição. Como contrapartida, a Universidade oferecerá capacitação para os policiais, estrutura e aparatos específicos para o desempenho das atividades.

A UFMA também estuda medidas para garantir maior segurança no Campus. Entre as propostas está o disciplinamento do acesso às instalações da UFMA.

MPF entra com Ação contra a UFMA por não divulgar vagas ociosas

ufmaO Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA), por meio da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC), entrou com ação contra a Universidade Federal do Maranhão (Ufma) em razão de a instituição não estar calculando e divulgando com a devida regularidade o número total de vagas ociosas dos seus cursos superiores de graduação.

De acordo com inquérito instaurado em 2012, a Ufma estaria descumprindo regulamentação do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) que prevê a realização semestral do cálculo das vagas ociosas. Em 2013, o MPF/MA expediu Recomendação à universidade pedindo que a situação fosse regularizada, no entanto, apesar de a Ufma ter informado, no mesmo ano, que acataria as orientações, em 2016 o MPF recebeu nova denúncia que noticia o descumprimento da Recomendação.

Segundo a procuradora regional dos direitos do cidadão, Talita de Oliveira, “a não divulgação dos referidos dados configura patente descumprimento aos princípios republicanos insertos [ou que constam] na Constituição de 1988, à Lei da Transparência e à própria Resolução da Ufma que regulamenta o tema das vagas ociosas”.

Na ação, o MPF/MA pede, liminarmente, que a Ufma seja obrigada a calcular semestralmente o número total de vagas ociosas nos cursos de graduação da universidade e a realizar a divulgação dos dados na página eletrônica da instituição de forma clara e destacada, sempre dentro do prazo de 10 dias úteis após o levantamento. Pede-se, ainda, a fixação de multa diária em caso de atraso ou descumprimento das medidas.

Resultado do Vestibular da Uema sai nesta terça-feira

paes2016O Governo do Estado, por meio da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) divulgará, nesta terça-feira (12), às 10h, o resultado do Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (Paes 2016). Foram 42.456 candidatos inscritos e 3.899 vagas oferecidas em 21 campi distribuídos em diversas regiões do Maranhão.

A Comissão do Paes 2016 entregará o resultado final do certame ao reitor da Uema, Gustavo Pereira da Costa, no prédio da reitoria, no campus da Uema, em São Luís.

Em seguida, a lista será divulgada no site da instituição (www.uema.br), fixada no mural do prédio da Pró-Reitoria de Graduação (Campus de São Luís) e distribuída para representantes de veículos de comunicação presentes ao ato de divulgação.

O curso mais concorrido foi o de Medicina (campus de Caxias), com 210,19 candidatos por vaga, seguido de Direito (campus São Luís), com 109,12 inscritos por vaga. As aulas da Uema, neste semestre letivo, terão início dia 29 de fevereiro.

Universidades: inscrições para o Sisu começam 11 de janeiro

sisuAs inscrições para a primeira edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) de 2016 começam no dia 11 de janeiro de 2016 e vão até as 23h59 (horário loca2) do dia 14 de janeiro. O edital foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira (30).

No Maranhão, a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) utiliza a nota do Enem através do Sisu para o ingresso dos estudantes.

Para concorrer às vagas disponibilizadas pelo Sisu, o candidato deverá acessar as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015 que será disponibilizada pelo Ministério da Educação no dia 8 de janeiro.

O estudante pode se inscrever em até duas opções de vaga. O resultado da chamada regular será divulgado no dia 18 de janeiro na página do Sisu e nas instituições de ensino superior. As matrículas ocorrem nos dias 22, 25 e 26 de janeiro. Assim como na edição anterior, só haverá uma chamada.

Entre os dias 18 de janeiro e 29 de janeiro os candidatos que não foram convocados para sua primeira opção podem manifestar interesse em aderir a lista de espera. Caso sobrem vagas, as instituições poderão convocar os alunos da lista.

Pelo Sisu, os candidatos que fizeram o Enem disputam vagas em instituições públicas de ensino superior de todo o país.

Natal com Leitura: doe livros para a campanha

leituraUma ótima iniciativa do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Maranhão. O curso promove ações de incentivo à leitura, em parceria com vários profissionais e instituições, para realizar uma grande ação social e cultural: o Natal com Leitura. O evento será realizado na Praça Sete Palmeiras, na Vila Embratel, amanhã, 18, das 9hs às 16hs.

O projeto visa desenvolver ações voltadas para a mobilização da sociedade, com vista à formação de leitores e democratização de acesso ao livro como forma de inclusão social. A iniciativa envolve ainda campanhas do tipo Catalivros, para incentivar a doação de livros literários infantis, juvenis e universitários e o Pegue Leve e Leia, uma forma criativa para estimular a troca de livros.

Para a professora Leoneide Martins, uma das coordenadoras do Projeto, doar livros é a melhor forma de presentear neste Natal. “Afinal, ler alimenta o espírito”. A programação contará, ainda, com atividades culturais voltadas para a leitura, contações de estórias, intervenções cênicas e musicais, jogos culturais, oficinas criativas e bate-papo com escritores.

Quer doar um livro? Veja os postos de coleta de livros literários e universitários:

UFMA: Departamento de Biblioteconomia (CCSo – Prédio Castelão)

UFMA: Rede de Bibliotecas Universitárias (Em todos os Centros Acadêmicos)

Conselho Regional de Biblioteconomia (Rua da Alegria, 395, Centro)

Biblioteca Pública Benedito Leite (Praça do Pantheon, Centro)

Biblioteca do SESC (Praça Deodoro, Centro)

Clube do Livro (Livraria Leitura – São Luís Shopping)

Jefferson Portela denunciou o fantasma Murad em 1987

Portella denuncia muradO Blog Marrapá relembrou que em 1987, o extinto Jornal de Hoje denunciou o fato que voltou a ser notícia há poucos dias: Ricardo Murad era aluno fantasma do curso de Direito da UFMA.

O jornal tratava de fraudes na matrícula e notas de Ricardo Murad, que mesmo sem nunca ter aparecido na UFMA, teria sido aprovado em disciplinas.

É curioso que um dos alunos do curso de Direito da época era o hoje secretário estadual de Segurança, Jefferson Portela, que afirmou ao jornal que nunca viu Ricardo e, para ele, cabia a punição para os envolvidos. 28 anos depois, Jefferson está à frente da segurança do Maranhão e Ricardo Murad é acusado de muito mais coisas do que ser aluno fantasma.

jornal