Principais avenidas de Paço do Lumiar ganham varrição mecanizada

Paço do Lumiar já conta com o auxílio da varrição mecanizada para garantir a limpeza das principais avenidas da área urbana e das ruas principais da sede do município. O serviço foi iniciado na ultima quinta-feira (16) de forma simbólica, na Avenida 13 do Maiobão e na sede de Paço.

“Com a varrição mecanizada, estamos garantindo a melhoria na prestação do serviço de limpeza urbana”, afirmou o prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra (PCdoB).

Serviço – serviço está sendo realizado pela empresa Sellix Ambiental. O gestor da empresa, Rogério Pontes, informou que a varrição mecânica será realizada a partir das 21h, às segundas, quartas e sextas nas principais avenidas da zona urbana e a sede. Por dia, deverão ser varridos 30 quilômetros de ruas e avenidas.

“É mais uma realização inédita da nossa gestão em Paço do Lumiar”, ressaltou o prefeito Dutra, acrescentando que todo o lixo recolhido atualmente segue para o Aterro Sanitário de Titara, em Rosário, após o fechamento do Lixão de Iguaíba, outro feito inédito da sua gestão.

Sarney diz que o Maranhão vai bem

O ex-presidente José Sarney concedeu uma entrevista ao jornal Correio Braziliense onde tratou de vários assuntos da política nacional nacional. Ele foi bem curto ao falar do Maranhão, que hoje é governado por Flávio Dino, seu adversário no Estado.

Ao falar que não sentia mágoas porque Deus havia sido generoso com ele, já que chegou à presidência da República tendo nascido em uma casa de 50m², o repórter indagou: a propósito, e o Maranhão, como está hoje? Sarney respondeu apenas: “vai bem, obrigado”.

Sobre o governo Bolsonaro, Sarney disse elencou como principal problema acreditar que a mudança ideológica alinhada aos Estados Unidos iria alavancar a economia. Para ele, Bolsonaro teve a leitura errada de que o mundo vendo o Brasil como país não-esquerdista iria atrais investimentos e crescer e nada disso ocorreu. Sarney usou como exemplo a China, que é um dos maiores importadores do Brasil e caminha para ser a maior potência mundial em cerca de 10 anos.

Sarney também criticou a judicialização da política e a politização do judiciário. Para ele, o Ministério Público desequilibra o sistema político do país. “Os ingleses levaram 700 anos para construir esse sistema atual em que vivemos, da democracia representativa, dos Três Poderes, cada um controlando o outro. O Brasil acrescentou mais um poder, destruindo e desestabilizando todos os três: o Ministério Público”.

Divulgada lista de aprovados no concurso da Câmara de São Luís. Confira!

Foi divulgada nesta sexta-feira, 17, a lista com os nomes dos aprovados no Concurso da Câmara de São Luís para preencher 116 vagas em nível médio e superior, além do cadastro de reserva. O resultado foi disponibilizado no site da Fundação Sousândrade.

CONFIRA O RESULTADO AQUI!

Por se tratar do resultado final preliminar, está aberto o prazo de dois dias (das 10h do dia 18/05 às 23h59 do dia 19/05) para interposição de recurso contra o resultado, que só pode ser feito pela internet, na página eletrônica da banca organizadora (www.fsadu.org.br)

O certame, segundo o edital, oferece salários entre R$ 1.251,73 (nível médio) e R$ 2.565,05 (nível superior). As próximas etapas do processo consistem na realização de exames documentais e de saúde, que ainda não têm datas definidas.

A listagem mostra nomes de candidatos aprovados na ampla concorrência, referente às vagas reservadas aos candidatos negros, das vagas reservadas a pessoas com deficiência e as notas referidas.

“Ressalta-se que os recursos serão interpostos somente na forma online por meio de ferramenta disponibilizada no sitewww.fsadu.org.br “, avisa trecho do documento.

Vagas – Os aprovados serão habilitados para as vagas oferecidas no certame. Para nível médio, os cargos são:  Assistente Administrativo, Técnico em Comunicação Social – Repórter Fotográfico, Téc. em Com. Social – Divulgação Institucional, Téc. em Com. Social – Rádio, Téc. em Com. Social – Relações Públicas, Téc. em Com. Social – Televisão e Téc. em Informática, Téc. em Assessoramento legislativo.

Para nível superior, os cargos são para Administrador, Analista de Informática Legislativa, Analista Legislativo, Assistente Social, Bibliotecário, Contador, Engenheiro Civil, Historiador, Jornalista, Psicólogo, Radialista, Relações Públicas, Tecnólogo em Recursos Humanos e Arquiteto, além de Procurador.

Números desmentem farsa sarnobolsonarista: o alto investimento do governo Dino na UEMA

Atônitos diante de uma enxurrada de críticas pelos cortes na educação anunciados pelo presidente Jair Bolsonaro, os sarno-bolsominions resolveram partir para o ataque contra Flávio Dino. A marmota da vez é que o governador do Maranhão cortou recursos na UEMA.

A tática dos sarno-bolsominions é equiparar o tresloucado presidente com Dino. Mas os números não mentem. E, desde 2015, primeiro ano do atual governador, os investimentos na UEMA só cresceram.

Em 2014, último ano do governo Roseana, foram investidos na UEMA R$ 207 milhões. Já em 2015, primeiro ano da gestão Dino, esse montante saltou para R$ 233 milhões. No ano seguinte continuou subindo e alcançou a marca de R$ 268 milhões.

O governo Flávio Dino ainda criou uma nova UEMA. O orçamento de 2017 já constava a UemaSul, Universidade da Região Tocantina. Nela, foram investidos R$ 29 milhões, fora mais R$ 263 milhões somente para a UEMA. Ou seja, não houve diminuição de investimento em R$ 5 milhões, mas incremento de R$ 24 milhões.

O último ano do primeiro mandato de Flávio Dino marcou também o maior investimento da história nas universidades estaduais do Maranhão. Foram R$ 293 milhões na UEMA e R$ 40 milhões na UemaSul.

Em comparação com 2014, os investimentos em universidades estaduais no Maranhão cresceram cerca de 60%. Salto significativo e que demonstra o quanto o governo do Estado investe em Educação.

O resto é distorção.

Márcio Jerry tenta barras suspensão de apoio à Pós-graduação e Pesquisa

Em meio ao turbilhão provocado pelas manifestações contra o contingenciamento de recursos destinados à educação e pelas recentes declarações do presidente Jair Bolsonaro, um Projeto de Lei protocolado pelo deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) , na Câmara dos Deputados, pretende vedar o cancelamento, a interrupção e o corte de bolsas concedidas pelos órgãos federais de apoio e fomento à pós-graduação e pesquisa no país.

O PL nº 2.926/2019 propõe o impedimento da suspensão e a redução dos recursos destinados a pesquisadores e estudantes até o término de vigência do contrato de bolsas de estudo e pesquisa, garantindo a continuidade da produção científica que já vem sendo desenvolvida pela comunidade científica brasileira.

Justificando a “enorme apreensão que o bloqueio de 30% no orçamento das Universidades e Institutos Federais de Educação”, anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) no último dia 30 de abril, o texto aponta o risco de paralização de pesquisas e a perda da qualidade das universidades brasileiras como principal motivação para a aprovação da proposta.

No texto, o deputado maranhense explica que a medida atinge estudantes que já haviam conseguido bolsas para este ano, mas que ainda não haviam sido liberadas. Segundo estimativas de entidades educacionais, apenas a Coordenação de Pessoal de Nível Superior (Capes), uma das principais entidades de fomento e pesquisa em nível de pós-graduação no Brasil, perderá R$ 819 milhões do total de R$ 4,1 bilhões de verba prevista no Orçamento, o que fez a fundação ligada ao MEC anunciar que congelaria bolsas ociosas.

Sem informar o número de bolsas que serão cortadas nem as áreas que serão afetadas, a Capes divulgou uma nota informando que “a economia racional de recursos, a melhoria do sistema de pós-graduação e a parceria com o setor empresarial são as diretrizes adotadas para superar desafios apresentados pela necessidade de contingenciamento de recursos na administração pública federal”.

Para o parlamentar, no entanto, o anúncio pode ser traduzido em impacto direto à produção científica. “Na prática, o que está ocorrendo é que os recursos que haviam sido disponibilizados a novos candidatos, após a conclusão de trabalhos de outros bolsistas foram suspensos, como foram canceladas todas as bolsas do programa Idioma Sem Fronteiras”, disse. Atualmente, a Capes concede 92 mil bolsas ativas de pós-graduação, com valores que variam entre R$ 1.500 para mestrado e R$ 2.200 para doutorado.

Em crítica à decisão do atual Governo, Márcio Jerry afirmou que o corte configura mais um abuso cometido por Jair Bolsonaro “em sua cruzada contra a educação”. “Ele reincide em agressões à autonomia universitária, conquista importante do processo democrático brasileiro. Essa é a vontade de centenas de milhares de brasileiros que foram às ruas ontem e voltarão dia 30. O presidente não disfarça o ódio que nutre pelo conhecimento, pela ciência, por nossas instituições educacionais. Muito especialmente expele ódio contra as universidades e institutos federais”, destacou.

Clã Sarney segue sendo rejeitadíssimo em São Luís

Uma pesquisa divulgada esta semana e o que se vê em comentários nas redes sociais mostram o quanto o Clã Sarney continua sendo rejeitado pela população da capital maranhense.

A pesquisa Escute mostrou o que normal sempre quando estamos há mais de um ano da eleição e ninguém sabe ainda quem será candidato. Muito recall pra quem foi candidato na ultima eleição. Ou seja, os dois únicos pré-candidatos que foram candidatos em 2016 foram mais lembrados e aparecem melhor posicionados.

Mas um dado é atemporal e importante. A rejeição do grupo Sarney. 34,6% dos entrevistados afirmaram que não votariam no herdeiro político do grupo, Adriano Sarney. três vezes mais rejeitado do que o segundo mais rejeitado.

Após a boa votação de Roseana Sarney em São Luís em 2010 graças a uma mobilização gigantesca de 90% dos vereadores, imaginava-se que ali começaria uma virada do Clã na capital. Não aconteceu. Com o grupo fora do poder desde 2015 e a forte tentativa de desgaste do governador Flávio Dino através da força midiática dos Sarneys, poderíamos prever uma melhora da imagem. Também não aconteceu. Nem o bolsonarismo que poderia emparedar ainda mais o governo de esquerda e fortalecer o grupo Sarney na capital fez com que eles tivessem uma boa aceitação.

Em 2016, Eduardo Braide começou a campanha de segundo turno na crista da onda e praticamente com a prefeitura na mão. Entre outras razões, como a notoriedade da Máfia de Anajatuba, a proximidade explícita do grupo foi determinante. Após Adriano Sarney falar que Eduardo Braide tentou o apoio do grupo “por baixo dos panos” a queda foi vertiginosa.

Esta semana, Adriano Sarney se envolveu em uma polêmica com o ex-candidato a presidência da República, Guilherme Boulos, o chamando de parasita e criminoso. A reação nas redes sociais contra Adriano mostram o quanto o Clã segue sendo rejeitado. Mesmo quem não gosta do militante do PSOL criticou a “falta de moral” dos Sarneys.

Othelino discute ações de moradia e parcerias para São Luís com Edivaldo e Osmar Filho

O governador em exercício Othelino Neto recebeu, na tarde desta quinta-feira (16), no Palácio dos Leões, o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior; o presidente da Câmara dos Vereadores, Osmar Filho; o secretário de Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), Rubens Junior, e o secretário de Comunicação Social e Assuntos Políticos, Rodrigo Lago.

Além das visitas de cortesia, nas reuniões eles discutiram detalhes sobre os programas de moradia do Governo do Estado, além das ações específicas voltadas para São Luís.

“Recebo com muita alegria a visita do presidente da Câmara e do prefeito, dois importantes agentes políticos do Estado, um comanda a nossa capital; o outro, a Câmara”, destacou o governador em exercício.

Edivaldo Holanda Júnior destacou a aproximação entre governo estadual e município: “O deputado assume interinamente e nós viemos aqui trazer um abraço e também conversar um pouco sobre política, sobre o grande trabalho que o governador Flávio Dino vem fazendo no Estado do Maranhão, dando continuidade a uma série de ações também para São Luís”, comentou.

O presidente da Câmara, Osmar Filho, também falou das ações do governo e da representação popular na reunião.

“Sabemos que, desde o começo de sua atuação política, há ações para a cidade de São Luís e agora não foi diferente. Discutimos a situação da capital, as políticas públicas a serem implementadas pelo governo em parceria com a Prefeitura e a Câmara e, na condição de representante da população, também participamos dessa interlocução. Nos sentimos muito felizes com o que ouvimos do governador Othelino”, declarou o presidente da Câmara.

Habitação

Outro assunto abordado nas reuniões foi o programa de habitações do Governo do Estado executado pela Secid.

“Aproveitamos a oportunidade para prestar contas ao governador Othelino sobre as ações de habitação voltadas para a Secretaria de Cidades. Com destaque para 1.700 apartamentos que nós entregaremos até o final do primeiro semestre, especialmente para famílias de baixa renda”, destacou o secretário Rubens Júnior.

“Foi uma reunião produtiva, muito bom saber no detalhe aquilo que está sendo produzido pelo Governo do Maranhão, na pasta da Secretaria das Cidades”, completou o governador em exercício.

Nair Portela diz que UFMA precisa de R$ 30 mi para custeio e corte é de R$26,9 mi; “se permanecer, vamos fechar”

O Imparcial – Até agora, tudo indica que os cortes orçamentários do MEC irão permanecer. Na manhã desta quinta-feira (16), a reitora da UFMA, Nair Portela, revelou que o diálogo com o ministério da Educação para revogar o contingenciamento não teve conclusão satisfatória para instituição.

“A associação dos reitores já têm tido muitas reuniões com o ministro, mas as discussões não têm avançado”, afirma Nair. “O ministro anterior, que havia prometido ajudar o orçamento da UFMA, foi demitido duas semanas depois. Temos pedido à bancada federal maranhense para apoiar as pautas”.

A reitora confirmou o fechamento de todos os campi da universidade a partir do segundo semestre deste ano, caso o bloqueio não seja revogado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

“Se houver o corte, a universidade não tem condições de continuar. Nós não teremos condições de manter os alunos em aula”, declarou.

Do orçamento total da universidade, 82% é direcionado para o pagamento dos servidores, assim como benefícios e aposentadoria. Desta porcentagem, nada pode ser subtraído.

O valor contingenciado faz parte dos gastos discricionários, que são divididos entre despesas de custeio e de investimento. Das de custeio – que incluem contas de energia, água, segurança e manutenção da instituição – foram cortados R$26,9 mi da UFMA.

“Fala-se de contingenciamento. Mas se é preciso de R$ 30 mi para as despesas e é retirado R$ 26,9 mi, como vamos trabalhar? O corte é real. Se não receber, não posso pagar nada. Então, na verdade, é um corte. A universidade não vai poder trabalhar se acontecer”, defendeu Nair.

Os recursos de investimentos – para a compra de equipamentos, artigos laboratoriais, aquisições de livros etc. – também foram cortados. Segundo a reitora, o orçamento para 2019 nesta área era de R$3 mi. Deste valor, foi cortado mais de R$1 mi.

Além destes, foi também bloqueado parte do orçamento das agências de fomento, a Capes e CNPq. A UFMA teve um total de 27 bolsas cortadas – 21 de mestrado e 6 de doutorado.

“Isto vai prejudicar bastante o andamento dos nossos laboratórios e impedir o andamento de nossas pesquisas. (…) A produção cientifica da universidade é em todas as áreas: humanas, sociais, biológicas, de saúde e tecnológicas. Todas estão em risco”, declarou.

Ainda segundo Nair Portela, a ANDIFES (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil) pretende ir a Brasília na próxima semana para se reunir com a Casa Civil e do Planejamento para mostrar os dados e resultados positivos das universidades.

Nos próximos dias 21 e 22, a associação se reunirá com o gabinete e com o próprio ministro da Educação para tentar renegociar os cortes. “Acredito que teremos muitos resultados positivos com a manifestação de ontem”, afirmou a reitora.

Governador, Othelino Neto sanciona lei que cria o Dia do Ministério Público

O presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto, assumiu o governo do Estado na manhã desta quinta-feira (16) e já realizou o primeiro ato como governador. Othelino sancionou a lei que cria o Dia Estadual do Ministério Público, 15 de maio.

O governador em exercício falou da satisfação em homenagear a instituição que tem grande relevância como função essencial à justiça. “Foi uma forma de homenagear uma instituição muito importante, que luta pela defesa e interesses da nossa sociedade, que é o Ministério Público. Eu tive a honra de presidir a sessão que aprovou a lei e agora sancioná-la”, afirmou.

“É um momento histórico, a data é muito representativa para o MP! Em 15 de maio de 1967 foi criada a Procuradoria Geral de Justiça e, com isso, começamos a ter um procurador geral e mais autonomia”, disse Luiz Gonzaga Martins Coelho, Procurador-Geral de Justiça do Maranhão.

Othelino fica no governo até amanhã (17).

Tradicional Samba da Feirinha no Mercado das Tulhas pode acabar

Um espaço cultural dos mais tradicionais no coração de São Luís pode acabar. O Samba da Feirinha, no mercado das Tulhas, está ameaçado por uma atuação do presidente da Associação dos Feirantes e Trabalhadores no Comércio da Praia Grande, Ubiracy Sampaio e do Batalhão de Polícia Militar de Turismo (BPTur).

O Samba da Feirinha é uma tradição de aproximadamente 20 anos na Feirinha da Praia Grande. A atividade que ocorre aos sábados, já sofreu adequações, terminando rigorosamente às 18h por um acordo que havia sido celebrado com a secretaria de Meio Ambiente e não utiliza microfones para não afetar o patrimônio histórico.

Por meio de nota, o coronel Honório Filho, comandante do BPTur, afirmou que o ambiente “funciona de forma desordenada e sem as mínimas condições de segurança há décadas. […] Nenhum dos bares tem licença de funcionamento, nenhum dos restaurantes possui extintores de incêndio”.

O comandante afirmou que antes da fiscalização mais constante, houve uma reunião na qual um representante do BPTur, o Delegado de Costumes, um representante do Corpo de Bombeiros, os feirantes e a Diretoria da Casa das Tulhas se fizeram presentes e nessa reunião ficou acertado que passaria a ser cobrado o fechamento do ambiente segundo o horário estipulado no Estatuto próprio daquele lugar, além da implantação de medidas de segurança, assim como a proibição de venda de bebidas a menores de idade e pessoas embriagadas, como determina a Lei e, para tal, a fiscalização seria intensificada no referido local. “Nesse sentido, a ação do BPTur não é arbitrária e sim legal e legítima”.

É louvável que se faça um ordenamento e que até para a comodidade de turistas e ludovicenses, se  sinta a presença da polícia. Aliás, o trabalho que o BPTur vem promovendo no Centro Histórico é digno de aplausos. A segurança na região melhorou muito nos últimos anos.

Porém, o samba da feirinha é um patrimônio cultural. É a cara do Centro Histórico. Não é um “show” ou evento. Em vários sites especializados em turismo, muitos turistas que visitam a capital maranhense citam o Samba da Feirinha como um ótimo programa raiz para quem vem à cidade.

Então, é preciso mais diálogo para que se façam adequações necessárias quanto a extintor de incêndio, reforço para coibir  consumo de bebidas alcoólicas por menores e segurança. Mas o fim do Samba da Feirinha é o fim de mais um pedaço de vida do Centro Histórico aos finais de semana.