PSL reforça aliança com Edivaldo e se encaminha para coligação

16352_prefeito_visita_encontro_psl_111215_foto_abaeta1O presidente estadual e vice-presidente nacional do PSL, vereador Francisco Carvalho, afirmou que o partido continuará ajudando a gestão do prefeito Edivaldo (PDT) e reiterou o desejo, diante da militância da legenda, de apoiar a reeleição do pedetista.

“Nós queremos continuar juntos com você na próxima eleição”, afirmou Chico Carvalho. A declaração ocorreu durante o I Encontro Estadual do PSL, realizado nesta sexta-feira (11), no auditório Neiva Moreira, na Assembleia Legislativa. O vereador lembrou que o PSL do Maranhão foi o mais votado do país nas últimas eleições. “Entre todos os PSL, no nosso estado foi o que mais teve votos no último pleito. Continuamos em expansão, só em São Luís já temos 52 pré-candidatos a vereador”, frisou.

16352_prefeito_visita_encontro_psl_111215_foto_abaeta3A cúpula nacional do partido foi representada pelo coordenador geral, Pedro Clemente. Ele endossou as palavras de Carvalho e enfatizou que o vereador tem total respaldo para deliberar sobre os rumos da legenda. Ou seja, se o presidente manifestou o desejo de aliança e a cúpula nacional ratificou que a decisão é do presidente, o PSL está bem encaminhado para a coligação do prefeito Edivaldo.

Convidado especial do evento, o prefeito Edivaldo fez questão de agradecer o apoio do PSL à sua gestão e reconheceu o crescimento da agremiação em todo o estado. “Agradeço aos vereadores do PSL por votarem a favor de projetos importantes para esta cidade. Recentemente, a Câmara aprovou a lei que regulamenta a licitação do transporte coletivo, um marco para a nossa cidade. Outras conquistas, como o Bilhete Único, já começa a vigorar na segunda. Enfim, temos ações espalhadas por toda São Luís, a capital se transformou em um canteiro de obras; o PSL, sem dúvidas, é uma peça importante nestes avanços alcançados”, disse Edivaldo.

PSL realiza Encontro Estadual para discutir eleições de 2016 e 2018

aPSLO Partido Social Liberal (PSL) realizará, no próximo dia 11 de dezembro, o seu I Encontro Estadual, que acontecerá das 9h às 13h, no auditório Neiva Moreira, na Assembleia Legislativa, com o objetivo de discutir os rumos do partido nas eleições de 2016, mas com foco para o pleito estadual de 2018. A informação é do presidente estadual daquela agremiação política, vereador Francisco Carvalho.

De acordo com Chico Carvalho, a cúpula nacional do partido, representada pelo presidente Luciano Bivar, o primeiro secretário Roberto Siqueira e o coordenador geral, Pedro Clemente, deverá participar do evento, que terá a participação de membros de todos os municípios do Maranhão.

Carvalho destaca ainda que pelas determinações da Executiva Nacional, o PSL no Estado deverá seguir as normas estabelecidas para as próximas eleições. “O PSL não pode ficar o reboque de prefeitos, pois deverá buscar espaço próprio”, destacou.

O dirigente partidário assinala que cada diretório e cada comissão provisória terão de fazer respeitar a fidelidade partidário e fortalecer a sigla. “Não podemos ficar como meros coadjuvantes nas disputas eleitorais. O PSL tem musculatura política no Maranhão e nosso objetivo é exatamente nos fortalecermos para embates futuros, cada município tem que ter um projeto político de poder”, resumiu Francisco Carvalho.

PSL realiza convenção nesta sexta na Assembleia Legislativa

Chico Carvalho, presidente do PSL

Chico Carvalho, presidente do PSL

O Partido Social Liberal (PSL), realiza sua convenção na manhã desta sexta-feira (27), no auditório Fernando Falcão, na Assembleia Legislativa, quando  definirá seus quadros de candidatos a deputado federal, estadual e também para bater o martelo em torno das coligações. O partido decidiu não fazer sua convenção junto com o PMDB, preferindo ter mais independência para decidir seus rumos.

De acordo com o presidente estadual  da sigla, vereador   Francisco Carvalho, que está conclamando a população para a convenção, “o PSL pode ser considerado um grande partido no Maranhão, já que conta com dois deputados estaduais (Graça Paz e Edson Araújo) e 60 vereadores, sendo dois na capital (ele e Isaías Pereirinha), além de algo em torno de 10 vice-prefeitos e um prefeito”.

Com base nesse capital político, é que o partido irá discutir as coligações para as disputas da Câmara Federal e da Assembleia Legislativa e para o governo do Estado. Segundo Francisco Carvalho, “estaremos promovendo um grande ato político, com uma manifestação legítima e democrática no sentido de contribuir para o desenvolvimento do Estado e bem estar da nossa população”.

Eleição da mesa diretora da Câmara: três nomes fortes para o pleito

Astro de Ogum, Chico Carvalho e Honorato: mais cotados para a presidência.

Astro de Ogum, Chico Carvalho e Honorato: mais cotados para a presidência.

Os bastidores da Câmara Municipal estão aquecidos para a escolha do próximo presidente do legislativo municipal. Após cinco mandatos consecutivos, Isaías Pereirinha (PSL) não poderá tentar reeleição por conta de Resolução baixada este ano que acabou com a reeleição para os mesmos cargos da Mesa Diretora.

O nome do atual vice-presidente Astro de Ogum (PMN) é sempre o mais lembrado e tido como favorito para a disputa. Porém, o próprio Astro de Ogum nunca parece muito animado para a disputa. Ele mesmo tem dado demonstrações de que apoiará o segundo nome mais forte na disputa: o líder do governo, Honorato Fernandes (PT). Astro o apoiacom a garantia de manter o poder e influência que possui hoje como vice-presidente. Honorato tem bom trânsito após a articulação com a base aliada do governo na Casa, mas ainda tem a desconfiança.

Como muitos vereadores temem que Honorato deixe o legislativo muito a mercê do Executivo, tem se trabalhado na construção de uma terceira via. Com este vácuo eleitoral, aparece outro nome com força para a disputa: a do vereador Chico Carvalho (PSL) que tem lutado para se viabilizar.

A eleição na Casa tradicionalmente é antecipada, geralmente acontecendo no meio do ano. Porém, com muitos vereadores candidatos no pleito de 2014, a tendência é a antecipação ser um pouco maior, para abril, garantido os votos de quem estará em campanha a partir de junho.