Política maranhense em notas

Prefeitura paga servidores terça-feira (3)

edivaldoO pagamento dos servidores de São Luís será realizado dia 03 de maio. Mesmo com a grave crise financeira que atinge os municípios, o prefeito de São Luís consegue desde o início da gestão pagar os salários dos servidores em dia. O prefeito Edivaldo tem cumprido com o calendário oficial instituído por meio do decreto municipal de número 47.807. O prefeito de São Luís além da crise ainda teve o problema de ter uma folha de pagamento a mais, tendo que pagar a folha de dezembro de 2012 deixada pela gestão anterior. Ainda assim, honrou os pagamentos dos servidores de São Luís sempre obedecendo o calendário, e sempre que possível pagando dentro do mês trabalhado.

Posse de Lula na Saúde

IMG-20160429-WA0016_resizedO governador deu posse ao advogado Carlos Lula como novo secretário estadual de Saúde do Maranhão. O novo secretário foi de poucos palavras e estava visivelmente emocionado ao lembrar de uma vida perdida e a responsabilidade de cuidar da saúde de milhões de maranhenses. Também tomou posse o ex-secretário de Saúde, Marcos Pacheco, agora como secretário extraordinário de Políticas Públicas. O clima foi de descontração na posse.

Montaram máquina de negar direitos

IMG-20160429-WA0017_resizedO governador Flávio Dino foi novamente duro com os críticos da gestão da saúde que são justamente os que criaram, segundo o governador, uma “máquina de negação de direitos”. “Todos sabem que é uma lenda, uma mitificação, um cinismo dizer que o sistema de saúde no Maranhão era muito bom no passado. Se fosse, o Estado não era campeão de hanseníase, de mortalidade infantil, de hipertensão, de diabete […], um estado que negava tantos direitos ao Maranhão. E agora temos que ver essas pessoas dizer que nada têm a ver com isso quando eles montaram essa máquina de negar direitos”, lembrou. Ele lembrou que a Polícia Federal e o Ministério Público que disseram que o sistema de saúde do Maranhão era apenas uma máquina de desviar dinheiro para benefícios individuais, ” e isso não aconteceu na gestão do Marcos [Pacheco]”.

A nova pasta 

IMG-20160429-WA0018_resizedMarcos Pacheco explicou como atuará a secretaria de Articulação de Políticas Públicas. “Essa secretaria tem uma finalidade bem clara e objetiva, que é fazer a interseção entre todas as políticas, principalmente de Saúde e de Educação, porque são políticas que tem que estar muito próximas”, explicou Pacheco, lembrando que as várias áreas precisam estar sempre em diálogo para que os programas sejam executados, é o caso, por exemplo, da cooperação que existe entre a Saúde e a Secretaria da Mulher para uso conjunto das carretas de mamografia

De fato e não de foto

robertorocha1Na posse dos novos secretários de saúde e Articulação de Políticas Públicas, foram muitas autoridades presentes entre deputados, secretários e prefeitos. Mas foi sentida a falta do senador Roberto Rocha. Uma fonte revelou que o senador disse que agora ele quer ser governo de fato e não de foto. Está aí a explicação.

E a mansão?

Alguém sabe porque a mansão do Vicente Fialho há muitos anos propriedade da família Rocha não é mais de Roberto? A família se mudou para o Calhau e oficialmente o que é dito é que fariam uma reforma na mansão do Fialho. Mas a história não é bem assim. A propriedade não pertence mais da família por uma grande enrolada do senador. Mas essa é uma outra história.

Marcos Pacheco é exonerado; Carlos Lula assume a Saúde

pachecolulaO governador Flávio Dino exonerou o secretário de Saúde do Estado, Marcos Pacheco. Em seu lugar assume o subsecretário Carlos Lula.

A decisão foi tomada em reunião na noite desta segunda-feira (25) com o governador Flávio Dino e a concordância de Pacheco.

O ex-secretário assumirá a secretaria extraordinária de Articulação de Políticas Públicas.

Polícia Federal constatou que não houve irregularidade nas licitações da Saúde este ano

Marcos Pacheco e Carlos Lula: saúde do Maranhão deixou de ser balcão de negócios sob o comando deles

Marcos Pacheco e Carlos Lula: saúde do Maranhão sendo levada a sério

Como já é de conhecimento público, a investigação da Polícia Federal sobre o desvio de R$ 1,2 bilhão da secretaria de saúde durante a gestão Ricardo Murad, continuou durante este ano. Analisando o relatório da Operação Sermão aos Peixes, é possível constatar facilmente porque a Operação não alcançou o governo Flávio: as licitações sem direcionamento e contratações dentro da legalidade.

A imprensa muradista divulgou apenas um trecho do Relatório onde nas escutas da Polícia federal, o dono da OSCIP ICN garantiu que já sabia dos resultados da licitação e o ICN ficaria com o Hospital Geral e o Carlos Macieira. Mas no trecho do relatório abaixo, omitido pela imprensa aliada de Ricardo Murad, a própria PF ratifica que os hospitais de referência não ficaram com o ICN, conforme foi dito pelos investigados em seus diálogos. trechopfpacheco

Ou seja, mesmo que alguém achasse que haveria direcionamento da licitação para favorecer a ICN, a Polícia Federal investigou e constatou que aquilo que foi dito nas gravações de que o Instituto ficaria com estes hospitais de referência, não se concretizou.

Ao debruçar mais sobre o relatório, é possível verificar que o que mais a PF encontrou em 2015 foi a permanência de agentes ligados a Ricardo Murad dentro da secretaria de Saúde, ainda correndo para “limpar” as evidências. Todos os infiltrados já identificados não estão mais nos quadros da SES.

Deputados enaltecem esclarecimentos de Marcos Pacheco na Assembleia

assembleiaOs deputados Stênio Rezende (PRTB), Andrea Murad (PMDB), Raimundo Cutrim (PCdoB), Carlinhos Florencio (PHS), Fernando Furtado e Marco Aurélio (PCdoB) repercutiram, na sessão desta quarta-feira (17), a visita do secretário estadual de Saúde, Marcos Pacheco, ao Legislativo estadual, na tarde de ontem. Durante a audiência pública, o secretário prestou esclarecimentos sobre o trabalho que vem desenvolvendo naquela pasta em todo o Maranhão.

Stênio Rezende, em nome dos membros da Comissão de Saúde, agradeceu a presença de todos os deputados que estiveram naquela audiência, conhecendo um pouco mais da Secretaria de Saúde e, principalmente, do planejamento da pasta para a população do Estado do Maranhão.

“Eu quero parabenizar, inicialmente, o governo do Estado, pois esta Casa sempre viu com muita dificuldade a liberação e a permissão para que os seus auxiliares se deslocassem até aqui para tirar dúvidas. Eu vi não só o governo deixar o secretário bastante à vontade, como já ouvi do governador Flávio Dino dizer que esta Casa tem autonomia e independência para decidir o que for melhor não só para a Assembleia, como para o Maranhão”, afirmou Stênio Rezende.

SITUAÇÃO GRAVE

O deputado Raimundo Cutrim voltou a enfatizar que a situação da saúde do Maranhão, hoje, é gravíssima e vai continuar sendo por vários governos devido a grande estrutura que foi montada sem a mínima condição de funcionamento.

“Foi uma estrutura montada na gestão passada, exclusivamente, para o período eleitoral. O secretário ainda não teve condições de mudar toda estrutura que foi montada. Então, a saúde é gravíssima e não se resolve essa situação em 24 horas”, acentuou Raimundo Cutrim.

O deputado Carlinhos Florencio parabenizou o presidente da Comissão de Saúde, Stênio Rezende, pela condução da audiência que, segundo ele, foi bastante proveitosa.  Ao elogiar os esclarecimentos feitos por Marcos Pacheco, ele afirmou que o secretário tem todas as boas intenções e um planejamento organizado para colocar em prática.

“Eu fiquei muito entusiasmado com as declarações do secretário; nós precisamos melhorar realmente a saúde no Estado e temos, também, que dar um voto de confiança ao governo, que mesmo com tão pouco tempo, já está agindo, principalmente, com planejamento”, argumentou Florêncio.

Fernando Furtado, ao elogiar as explanações feitas por Marcos Pacheco, disse que o secretário falou da saúde de uma forma bastante responsável quando defendeu que tem que ir até a base da saúde da família para evitar a migração das pessoas para determinados locais do Estado, até mesmo hospitais de alta complexidade, média e alta complexidade.

“O secretário está de parabéns. Ele falou com propriedade e deu uma aula para todos nós”, disse o deputado.

O deputado Professor Marco Aurélio parabenizou a Secretaria de Saúde que “está rompendo desafios e se preparando para um novo momento na Saúde do Maranhão”.

Notas quentes da terça-feira

Disputa põe em risco Semana de Teatro

Ester e Américo Azevedo em pé de guerra

Ester e Américo Azevedo em pé de guerra

A Secretária da Cultura, Ester Marques, continua em luta contra o Diretor do Teatro Artur Azevedo, jornalista Américo Azevedo Neto. A briga agora é porque a classe teatral, por sugestão do Diretor elegeu quatro integrantes para a comissão que organizaria a Semana do Teatro no Maranhão que ocorrerá em maio. Como a comissão é composta por sete membros, a classe teria a maioria, algo inédito. Acontece que a secretária não gostou. Achou que o Diretor estava agindo à revelia de sua autoridade. E começou a confusão. Não reconheceu a comissão e disse que a Semana de Teatro não vai acontecer e tudo “por causa de Américo. Numa reunião com parte da classe, no último dia 16, Ester mostrou o ofício em que Américo pediu autorização para publicar o edital (ponto de partida da Semana) com carimbo de protocolo desse mesmo dia 16 para mostrar má fé do jornalista. Só que a cópia do ofício de mostra seu recebimento no dia 10, assinado por uma funcionária chamada Ivana. A disputa dos dois ainda vai dar muita confusão.

Caso de Alan Linhares no TSE

alanlinharesA coligação “Bacabeira União de Todos Nós” irá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA) que manteve o prefeito Alan Linhares no cargo. O prefeito é acuso de abuso de poder político e econômico. Segundo a coligação que ficou em segundo lugar nas eleições do município, o TRE não levou em consideração as provas anexadas ao processo, vindas da Polícia Federal. Na última quinta-feira (12), o TRE decidiu por 4 a 1 manter Linhares no cargo. Sobre os detalhes, o Blog tratará mais à frente.

Talento escondido

marcospachecoChamou atenção dos jornalistas que cobriram a audiência com o secretário de saúde na Assembleia, a desenvoltura de Marcos Pacheco em falar sobre as ações da pasta e responder com firmeza os questionamentos da oposição. Titular de uma das pastas mais importantes do governo, Pacheco tem aparecido muito pouco dando entrevistas e mostrando suas ações, que hoje foram reveladas importantes para resultados a curto, médio e longo prazo. E o secretário demonstrou que fala bem, tem conhecimento do sistema de saúde e se consegue lidar com perguntas mais capciosas. É um secretário que tem o que mostrar e sabe mostrar, então, precisa aparecer mais.

“Maranhão Transparente”

20150316_113525[1]O secretário estadual de Transparência e Controle, Rodrigo Lago, convidou hoje o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/MA), Jorge Pavão, e os membros da corte de contas, a participarem do evento “Maranhão Transparente”, que será realizado na próxima sexta-feira, 20, a partir das 14h, no auditório da Casa Civil (palácio Henrique de La Roque). De acordo com Rodrigo Lago, a solenidade terá como ponto alto a adesão do Estado do Maranhão ao programa “Brasil Transparente”, da Controladoria Geral da União. Na ocasião, também será apresentado o novo Portal da Transparência, que entrará em funcionamento nos próximos dias.

Sobre a queda de teto de escola

Nas notas de ontem, foi noticiada a queda do teto do Centro de Ensino Leão Santos, em Arari. A ex-secretária adjunta da Seduc, Consuelo Magalhães, emitiu nota esclarecimento ao Blog onde põe a culta do problema na falta de continuidade das obras e falta de “visitas técnicas” da atual gestão.

“Até este mês de março, quase 90 dias da nova gestão, nenhuma visita técnica foi realizada para vistoria a reforma da escola Leão Santos. Digo isto porque ao ler a notícia, tive o cuidado de procurar saber o que havia de fato ocorrido e, de acordo com professores e alunos da escola: a última visita foi feita em dezembro, na gestão anterior, com isso o número de trabalhadores na obra foi diminuindo até que a obra ficou abandonada pela empresa e pela SEDUC. Uma clara distorção dos fatos. Portanto, cumpre esclarecer que até meados de dezembro a reforma já estava na fase final, e que todos os serviços realizados e pagos tiveram o aval técnico da SEDUC, através do fiscal da obra, servidor público com competência e experiência na área de fiscalização, e de técnicos do consórcio COBRAPE-STCP, empresa contratada para gerenciar as obras do programa Viva Maranhão. Cabe à atual gestão, juntamente com o consórcio COBRAPE-STCP levantar as causas que levaram ao desabamento e após identificada as razões, tomar as medidas necessárias para sua correção e apuração de possíveis responsáveis”.

Resta saber se as informações sobre reformas em andamento, garantia de recursos e necessidades de visitas foram repassadas à nova gestão no período da transição.

Estacionamento irregular na Litorânea

rrjRoberto Rocha Júnior (PSB) solicitou à Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), que faça uma fiscalização mais rigorosa para evitar o estacionamento irregular de veículos no novo calçamento da Avenida Litorânea. O socialista considera que o calçamento em frente ao parquinho é o espaço mais comum de irregularidades. Segundo ele, muitos flanelinhas até já estabeleceram pontos e obrigam as pessoas a pagarem pelo espaço público como se fosse privado. “Apesar do esforço empreendido pela SMTT no sentido de coibir praticas irregulares no trânsito, o que pedimos é que a fiscalização seja mais intensificada na Avenida Litorânea, pois o que podemos observar é que muitos motoristas estão utilizando espaços proibidos para estacionar seus veículos. Causando muitos transtornos aos pedestres que são impedidos de transitar livremente”.

Marcos Pacheco: “Maranhão pagar o Piauí para atender seus pacientes é atestado de incompetência”

marcospachecoal

O secretário estadual de Sáude, Marcos Pacheco, esteve na tarde desta terça-feira (17) na Assembleia Legislativa, onde demonstrou os dados da secretaria que recebeu com mais de R$ 150 milhões de restos a pagar. Sobre os recursos destinados a Caxias, que a deputada Andrea Murad tanto reclamou, Pacheco afirmou que é justamente um investimento que terá que ser feito para acabar com uma vergonha para o estado.

“Precisamos criar uma barreira assistencial com reforço em Timon e em Caxias, independente de quem seja o prefeito. É preciso parar de ter maranhenses atendidos em Teresina para que ao invés de aplicarmos os recursos aqui em nosso estado tenhamos que mandar para outro. Passar os recursos para o Piauí é assinar um atestado de incompetência”, afirmou.

Terceirizados em dia

A deputada Andrea Murad voltou a dizer que a secretaria estaria atrasando salários dos funcionários terceirizados, salários que ficaram atrasados pela gestão do pai da deputada e tentou fazer alarde de risco de greve. “Não há nenhum indício de greve. As folha das OSCIPS estão em dia. Mesmo com dívida milionária e com a folha atrasada pela gestão anterior, regularizamos o pagamento”.

Antedimento das UPAs

O secretário Marcos Pacheco admitiu que hoje as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estão mais lotadas do que no ano passado. Mas explicou os reais motivos. Além de um momento de saúde complicado, a barragem da gestão anterior aos serviços para pacientes que chegavam em ambulâncias do SAMU, para prejudicar a prefeitura de São Luís, mantendo os Socorrões lotados e as UPAs com uma demanda muito menor. “Estamos em um momento de sazonalidade por conta de uma virose que está grande, e logo vai passar. E o principal é que hoje não fazemos seletividade de demanda. A UPA é aberta e vai continuar a aberta para quem chegar, não importa se em ambulância do SAMU, onde for. Os Socorrões sempre carregaram o excesso de demanda nas costas. Hoje, o hospital Carlos Macieira também tem excesso porque abrimos a todos”, afirmou.

Leite especial

Sobre o risco doo abastecimento de leite especial e os problemas comunicacionais quanto à licitação, Pacheco explicou que o leite que está sendo entregue ainda é saldo de estoque e que houve de fato um erro de digitação quando se comunicou que a licitação seria em um domingo. “Ainda não foi licitada nova empresa. Graças a Deus, tínhamos ainda saldo de entregue, que nos foi entregue e o fornecimento prossegue. este saldo dá pra cerca de 60 dias. Até lá concluímos a licitação emergencial”.

Marcos Pacheco fará auditoria na secretaria de Saúde

Do Blog do Jorge Vieira

marcospachecoO Secretário de Saúde do Estado, Marcos Pacheco, confirmou, em encontro com o deputado federal eleito, Rubens Pereira Júnior (PCdoB), na última quarta-feira (07), que está tomando todas as providências para a realização de uma auditoria na pasta comandada pelo ex-secretário Ricardo Murad.

Na reunião com o parlamentar, o secretário revelou que será feita uma auditoria a fim de saber a real situação da secretaria, explicou ainda que estão sendo feitos estudos para que a estrutura deixada pelo antigo governo possa ser usada com a maior eficiência possível, inclusive os hospitais de 20 leitos.

Durante o encontro dos dois, o deputado se colocou à disposição do secretário para ajudar a Saúde do Maranhão, em Brasília, pois falta menos de um mês para assumir uma vaga na câmara federal. Júnior fez questão de conversar com o novo secretário para discutir formas de fortalecer a saúde pública do Estado.

O deputado sugeriu a realização de um concurso público para acabar com o déficit da área, e Marcos Pacheco adiantou que a medida, também, está sendo avaliada e que poderá ser executada em breve.

Rubens Jr. ressaltou a necessidade da continuidade das obras dos hospitais macrorregionais de Caxias, Imperatriz, Pinheiro e Santa Inês, indispensáveis para a descentralização do serviço de saúde pública estadual. O secretário se comprometeu a acelerar as obras dos mesmos, garantindo a entrega no menor tempo possível.

O parlamentar colocou seu mandato a disposição para contribuir com a saúde maranhense e prometeu buscar recursos junto ao governo federal para o desenvolvimento do setor no Maranhão.

Marcos Pacheco diz que problema dos hospitais será analisado caso a caso

FullSizeRenderO futuro secretário de Saúde do Maranhão, Marcos Pacheco, afirmou em entrevista que a Atenção Básica será prioridade da gestão de saúde estadual. Pacheco disse que fará um seminário com representantes dos profissionais de saúde já no início da gestão para aproximação com as categorias.

Sobre os hospitais nunca inaugurados ou que nunca foram colocados em efetivo funcionamento, Pacheco disse que serão analisados caso a caso e discutidas as soluções com os gestores locais.

Quais serão as prioridades da pasta para desenvolver uma política de saúde inclusiva e que atenda a todas as regiões do Estado?

Nosso foco é a redução dos indicadores de morbimortalidade infantil e materna, bem como a redução das complicações das doenças de curso crônico, principalmente hipertensão arterial e diabetes (responsáveis pela alta demanda de leitos hospitalares). Para fortalecer esse foco entre os técnicos da nossa pasta, estamos propondo um lema: “toda criança assistida, toda gestante acolhida e todo idoso bem cuidado”. Para tanto, precisamos reforçar as redes assistenciais, melhorar os fluxos de atendimento e estabelecer protocolos clínicos que universalizem as ações e serviços prestados à população.

 

Qual será a política adotada para colocar em funcionamento os hospitais que hoje estão fechados e sem atendimento?

Vamos conversar e negociar caso a caso. Estes hospitais precisam tornar-se um serviço útil. Quanto à natureza desse serviço, vamos discutir com os gestores locais, prefeitos, para abraçarmos a melhor alternativa dentro das possibilidades e necessidade de cada região. Podem permanecer como unidade de internação ou modificar sua natureza assistencial de acordo com as necessidades locais. Como disse cada caso é um caso. Precisamos de Centro de Especialidades, precisamos de Centros de Reabilitação, precisamos de Centros de Atenção Psicossocial etc. Assim, vamos discutir cada caso e abraçarmos a melhor alternativa.

 

Entre as propostas apresentadas por Flávio Dino durante o período de disputa eleitoral consta o Mais Médicos no Maranhão e a implantação de Hospitais Regionais no Estado. De que maneira a Secretaria de Saúde irá se organizar para pôr em prática essas propostas?

Precisamos instituir um plano de carreira para os médicos e progressivamente para os outros profissionais também. E nesse caso, vamos iniciar pela qualificação da Atenção Básica, serviços prestados nas Unidades Básicas de Saúde, porque é neste nível assistencial que podemos reduzir a demanda por internações. A Atenção Básica deve funcionar como um “cinturão de proteção” da comunidade. Se o médico, o enfermeiro e os outros profissionais que aí trabalham foram bem valorizados e qualificados, 80% dos problemas de saúde podem e devem ser resolvidos neste nível assistencial, evitando o sofrimento da busca por hospitais, muitas vezes lotados, causando mais sofrimento. Mas também no nível hospitalar precisamos atuar, tornando os atendimentos mais acolhedores, humanizados e resolutivos.

 

O diálogo permanente com os profissionais de saúde também foi uma bandeira levantada por Flávio Dino. De que modo o senhor coordenará esse diálogo?

Vamos fazer logo no início da gestão um seminário com representantes da todas as categorias e entidades da área da saúde. Precisamos ratificar e priorizar o produto das discussões com esses profissionais e as entidades representativas do campo da saúde. Desta feita, à frente da gestão, de modo que possamos fazer um trabalho de gestão estratégica e participativa, compartilhada com todos os maranhenses. A responsabilização das melhorias deve ser de todos, todos juntos pela mesma causa: a melhoria da saúde do Maranhão.

 

A atenção básica é outro ponto forte das ações de governo anunciadas por Flávio Dino durante a campanha. Como o senhor pretende trabalhar essa questão?

A Atenção Básica será uma grande prioridade nossa porque acreditamos que o seu fortalecimento é essencial para a melhoria da saúde do nosso Estado. Precisamos “atacar” a doença no seu início. Precisamos assistir nossas crianças para que elas não precisem ir ao hospital, precisamos acolher nossas gestantes para que elas tenham um parto saudável de uma criança sadia e precisamos cuidar bem dos nossos idosos para que eles não tenham complicações de suas doenças, que muitas vezes são inevitáveis, a doença, mas não a sua complicação, que causa maior sofrimento. E esse é um trabalho que se inicia na Atenção Básica. Ela, a Atenção Básica, deve ser a ordenadora do sistema.

Sindicato de Prestadores de Serviços de Saúde elogiam escolha de Marcos Pacheco

Marcos Pacheco: novo secretário de saúde

Marcos Pacheco: novo secretário de saúde

O governador eleito, Flávio Dino, recebeu na manhã desta sexta-feira (31) um documento do Sindicato dos Estabelecimentos de Prestadores de Serviços de Saúde em São Luís (Sindhosp-SL) elogiando a indicação do médico Marcos Pacheco para o cargo de secretário de Saúde da próxima gestão.

A mensagem, assinada pelo presidente do Sindicato, Pedro Wanderley de Aragão, afirma que a indicação de Marcos Pacheco “renova nossos anseios de ter ações e projetos exitosos que promovam de fato uma nova realidade para a saúde do Maranhão”.

O documento, além de cumprimentar o novo secretário, também reconhece as dificuldades que serão enfrentadas a partir de 1º de janeiro. Entre os problemas destacados, a deficiência no atendimento prestado ao cidadão pela rede pública estadual e a pouca valorização dos profissionais de saúde.

“Questões que pelos requisitos técnicos, competência e integridade do novo titular da pasta, podem ser encaminhadas com sucesso através de políticas públicas mais resolutivas. A escolha do nome do Dr. Marcos Pacheco”, cita o documento.

Veja a íntegra da nota:

Ilmo. Sr. Flávio Dino

M.D. Governador Eleito do Maranhão

Prezado senhor,

 Vimos, por meio deste, externar a V. Sa a satisfação dos estabelecimentos prestadores de serviços de saúde de São Luís com a indicação do Doutor Marcos Pacheco para o cargo de Secretário de Saúde na próxima gestão estadual.

 O cenário da saúde pública no Maranhão é desafiador e os muitos problemas do sistema resultam em deficiências no atendimento prestado ao cidadão e na pouca valorização dos profissionais de saúde, questões que pelos requisitos técnicos, competência e integridade do novo titular da pasta, podem ser encaminhadas com sucesso através de políticas públicas mais resolutivas.

 A escolha do nome do Dr. Marcos Pacheco renova nossos anseios de ter ações e projetos exitosos que promovam de fato uma nova realidade para a saúde do Maranhão.

 Cordiais saudações,

 Dr. Pedro Wanderley de Aragão

 Presidente

Flávio Dino anuncia o nome do secretário de Saúde

FullSizeRenderO governador eleito Flávio Dino anunciou o nome do médico e professor Marcos Pacheco.

“A escolha de Marcos Pacheco visa valorizar os profissionais de saúde e retomar o pleno compromisso do Maranhão com as normas do SUS. O secretário Marcos Pacheco está orientado a trabalhar em parceria com TODOS os municípios e motivando os profissionais de saúde.”, afirmou Flávio.

Marcos Pacheco é médico, professor de Direito e ex-deputado e ex-vice-prefeito de Barra do Corda.

O médico sanitarista Marcos Pacheco (UFMA / FioCRUZ) é funcionário público egresso da FUNASA cedido ao município de São Luís. Mestre e doutor em Políticas Públicas pela UFMA, é também bacharel em Direito.

Flávio Dino decepciona quem queria fazer política com a Saúde

Flávio Dino decepciona quem queria fazer política com a Saúde

Foi deputado estadual pelo PDT na legislatura de 1995-1999. Marcos Pacheco ocupou diversos cargos de gestão no Estado. Entre eles, o de secretário adjunto de Ações e Serviço de Saúde de São Luís; superintendente de Educação em Saúde e Gestão do Trabalho.

Professor universitário, é coordenador pedagógico do curso de Medicina e leciona no mestrado de Gestão em Serviços e Programas de Saúde da Universidade CEUMA, com foco em planejamento e gestão estratégica.