Ônibus de três empresas não circulam hoje na capital

Nesta quarta-feira (10) ônibus de três empresas não vão circular em São Luís devido à falta de regularização de pagamento. Os veículos das empresas São Benedito (garagem no Recanto dos Vinhais); Matos (garagem no bairro de Fátima) e Marina (garagem na Vila Flamengo, Maiobão) não sairão das garagens durante o dia, confirma Sindicato dos Rodoviários do Maranhão por meio de nota.  Os bairros mais afetados com a falta de ônibus serão São Raimundo, Cidade Operária e Cidade Olímpica.

Além da regularização do salário, os trabalhadores também exigem direitos como o plano de saúde, que segue suspenso por falta de pagamento, assim como o plano odontológico, o ticket alimentação e parte do décimo terceiro.

Isaias Castelo Branco, presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, estará desde as sete da manhã na garagem da empresa São Benedito, para os esclarecimentos necessários, conforme solicitação da imprensa.

Até às 17h desta terça-feira (9) apenas cinco das 20 empresas de ônibus atuantes em São Luíshaviam regularizado os pagamentos dos seus funcionários.

Rodoviários adiam greve para a próxima terça-feira (13)

Página 2 – O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão anunciou que a greve, que começaria na segunda-feira (12), foi adiada para as primeiras horas de terça-feira (13). De acordo com a categoria, a mudança de data da paralisação é em decorrência de uma orientação do Departamento Jurídico da entidade.

“A entidade não é de acordo em promover situações, que possam gerar transtornos a cidade. Nos últimos dias, o Presidente, Isaias Castelo Branco e demais diretores, estão empenhados em atender os chamamentos do sindicato patronal, buscando uma definição, no que se refere à celebração da Convenção Coletiva de Trabalho 2017-2018”, informou o Sindicato por meio de nota.

Ainda de acordo com a categoria, os Rodoviários têm dado todas as oportunidades aos empresários para que ocorra um entendimento entre as partes, antes de partir de fato, para uma greve. Mesmo diante desse impasse, a entidade disse ter adotado todas as medidas possíveis, antes de paralisar o sistema.

Porém, tudo ainda pode mudar. Segundo o Sindicato, até a segunda-feira (12), a categoria estará à disposição dos patrões para negociar os itens da Convenção, que garante a permanência dos direitos dos trabalhadores. A entidade pediu ainda entendimento à população e acusou intransigência dos empresários.

Rodoviários aprovam greve, mas ainda não irão paralisar

Após os dois de assembleia nesta quinta-feira (12), o sindicato dos rodoviários aprovou o estado. Porém, os ônibus não vão de circular imediatamente. O sindicato concedeu até a metade da próxima semana, para que as negociações entre as partes possam acontecer.

Os rodoviários elencaram várias questões salariais como o não pagamento do 13º salário dos funcionários; as condições de trabalho e os pontos finais dos trajetos. Segundo os trabalhadores quase todos os pontos finais da capital, estão em situação precária, sem o mínimo de infraestrutura, como por exemplo, a falta de banheiros para atender as necessidades da classe e dos usuários do sistema.

Eles também denunciam que algumas empresas que perderam a licitação dos transportes no ano passado e ficaram fora do sistema não cumpriram com suas obrigações de pagar as verbas rescisórias.

 

Sindicato garante ônibus circulando: “postura do governo muito diferente de 2014”

isaias

Presidente do Sindicato dos Rodoviários destacou total mudança de postura do atual governo para o anterior

O presidente do Sindicado dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Maranhão (STTREMA), Isaías Castelo Branco, saiu satisfeito de reunião com a cúpula da segurança estadual e o governo Flávio Dino no Palácio dos Leões. Por isso, garantiu que os ônibus seguem circulando normalmente.

“A gente vê que é um diferencial muito grande com outras vezes, se reportando a 2014, quando aconteceram esses ataques. Que a gente não conseguia nem reunir com o secretário de segurança, nem sequer com o comando geral. Hoje a gente vê outra postura, diferente. O governo interessado, fazendo contato, o secretário ontem à noite várias vezes fez contato comigo. […] É uma mudança de postura, diferente dos governos passados. Isso faz com que a gente tenha esse entendimento que temos que manter a ordem, temos que ajudar e não entremos na onda da marginalidade”, afirmou.

Isaías saiu do Palácio dos Leões e se dirigiu à sede do sindicato para relatar aos trabalhadores as medidas adotadas pelo Executivo.

Rodoviários fazem paralisação de duas horas nesta segunda

onibus

O usuário do transporte público que precisa se deslocar bem cedo podem se preparar para um transtorno de duas horas nesta segunda-feira (22). O sindicato dos rodoviários decidiu paralisar as atividades decidiu realizar paralisação de advertência por duas horas, das 4h30 da madrugada às 6h30.

Os rodoviários alegam descumprimento do acordo e não pagamento dos salários na data determinada. Segundo o sindicato, apenas três empresas efetuaram o pagamento: Pericumã, Matos e Pelé.

O presidente do Sindicato, Isaías Castelo Branco irá conceder coletiva nesta segunda-feira para explicar mais detalhes sobre a paralisação de advertência.

Rodoviários entram em acordo e greve de ônibus este ano está descartada

???????????????????????????????

O Sindicato dos Rodoviários e o Sindicato das Empresas de Transporte (SET) aceitaram a proposta do Ministério Público do Trabalho (MPT-MA) e ficou definido o reajuste dos funcionários e a possibilidade de greve está descartada.

A reunião ocorreu na tarde desta quinta-feira (26) na sede do MPT, em São Luís. Os trabalhadores receberão 8,5% de reajuste nos salários e terão direito a um novo benefício: o plano odontológico. O aumento e o plano entrarão em vigor já neste mês de abril para que possam ser pagos 1º de maio, data base da categoria.

Deste modo, a ameaça de greve dos rodoviários por divergência salarial está descartada para 2015.

Ônibus circulam normalmente amanhã em São Luís

onibus

Foi cancelada a paralisação dos rodoviários prevista para esta quarta-feira (25). O sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Maranhão (Sttrema) reclamava pagamento de parte do acordo da convenção coletiva de trabalho.

O pagamento de 40% do salário feito pelas empresas de transporte coletivo deveria ter sido feito na última sexta-feira (20). Mesmo com atraso, os depósitos foram feitos nesta terça-feira (23) encerrando a ameaça de greve.

Em entrevista à rádio Mirante AM, o presidente do sindicato, Gilson Coimbra, anunciou no final da tarde que os ônibus irão circular normalmente. “Não vamos dar prosseguimento. O objetivo foi alcançado. Vamos esperar o dia cinco do próximo mês. Nosso objetivo era que os trabalhadores fossem pagos e todos foram pagos. Os que não foram as empresas estão pagando aos poucos”, disse.

Mas ainda alertou que se o restante do acordo não for pago, uma paralisação ainda pode ocorrer no final do mês de abril.

Rodoviários afrontam justiça e decidem manter greve

Do G1 Maranhão

onibusRodoviários de São Luís decidiram manter 100% da frota de ônibus parada, contrariando decisão da Justiça do Trabalho, que determinou a circulação de 70% dos coletivos. A assembleia da categoria foi encerrada no fim da manhã desta segunda-feira (2), e ocorreu na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Maranhão (Sttrema).

“A categoria decidiu manter. Não adianta passar sete dias parados e voltar sem nenhuma mudança. Colocaram o trabalhador em uma ‘sinuca de bico’. Se voltarmos, o que vai acontecer? De que adiantou essa paralisação? Ninguém nos chama para negociar, só para nos dar ‘porrada’. Já baixamos o pedido de reajuste para menos de 9%, na sexta-feira. Se voltarmos a trabalhar vai resolver essa situação quando? Nunca. É complicado desse jeito”, reclamou o presidente do Sttrema, Gilson Coimbra, em entrevista ao G1.

TRT considera ilegal a greve dos rodoviários

População tem sido duramente penalizada com a greve

População tem sido duramente penalizada com a greve

A Prefeitura de São Luís obteve parecer favorável do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) 16ª região quanto à ilegalidade do movimento grevista dos rodoviários na capital. A decisão do TRT determina a retomada da circulação de pelo menos 70% da frota a partir desta segunda-feira (2). A declaração ordena ainda que o Sindicato dos Rodoviários contrate força de trabalho que substitua temporariamente motoristas, cobradores e fiscais no desempenho das atividades, caso necessário à operação do serviço.

“Desde o início da greve, mantivemos diálogo permanente com as partes para o retorno do serviço de transporte público aos mais de 700 mil usuários. Propusemos uma reestruturação global, o que trará maior equilíbrio e organização ao sistema. Além de assegurar a circulação dos ônibus, buscamos a manutenção do valor da passagem, sem que haja aumento para a população. Nosso foco é a ampliação da qualidade da mobilidade urbana da cidade”, afirmou o prefeito Edivaldo.

A decisão judicial leva em conta o caráter de essencialidade e continuidade dados ao serviço de transporte público. No texto, a desembargadora federal Solange Cristina Passos Cordeiro expôs que a paralisação infringiu o princípio constitucional que proíbe a suspensão completa dos serviços essenciais. “Sua prestação [do serviço público] deve ser adequada, não podendo sofrer interrupção, isto porque, importaria em prejuízos de toda ordem, à coletividade, que dele depende para satisfazer seus legítimos interesses e necessidades inerentes a todo cidadão”, aponta trecho do documento.

O texto ainda comprova a desobediência à liminar que fixou limites de funcionamento dos ônibus para atendimento dos usuários. Agora, caso haja descumprimento à decisão emitida pelo Tribunal que ordena o imediato retorno dos empregados ao trabalho, haverá multa diária estipulada em R$ 100 mil.

A exigência do Sindicato das Empresas de Transporte (SET) de aumento da passagem e repasse de R$ 4 milhões para custeio de despesas motivou ainda a realização de perícia contábil para conhecimento da realidade do contrato de concessão do serviço de transporte em São Luís.