Roseana Sarney oficializa apoio a Jair Bolsonaro

O que já era fato nos bastidores foi oficializado na manhã desta segunda-feira (15). A ex-governadora Roseana Sarney e seu grupo definiram que irão a campo pela campanha do presidenciável Jair Bolsonaro neste segundo turno.

Leia também: Bolsonaro agora terá novos donos no Maranhão

Roseana e seu grupo usaram e abusaram dos governos petistas nos últimos anos. Mas na véspera do impeachment de Dilma Rousseff, apoiaram a queda e os deputados ligados ao grupo votaram pela cassação da petista. O grupo Sarney participa do governo Temer com vários cargos e Sarney Filho chegou a ser ministro do meio ambiente.

Como sempre foram governo, o sarneys já vislumbram o poder no governo bolsonarista, favorito para vencer a eleição presidencial. E como sabem bem, cobrarão a fatura pelo apoio.

Campanha de Roseana Sarney paga R$ 100 mil para Escutec, que divulga pesquisa amanhã

Conhecido pela sua ligação com o clã Sarney, o Instituto Escutec recebeu R$ 100 mil da campanha da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e aparece em quinto lugar no ranking de fornecedores da candidata, conforme aponta o Sistema de Divulgação de Candidatura e Contas Eleitorais (DivulgaCand) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) .

Para piorar, o instituto vai divulgar levantamento sobre a corrida eleitoral no Maranhão nesta quinta-feira (06) contratada pela empresa oficial do jornal O Estado do Maranhão, de propriedade da família Sarney, a tendência é que esta seja a única pesquisa a não indicar vitória em primeiro turno do candidato à reeleição, Flávio Dino (PCdoB).

O Escutec tem como proprietário o empresário Fernando Júnior. Em 2015, o dono da Escutec foi preso pela Polícia Federal alvo da Operação Attalea, que investigava fraudes em licitações e contratos no município de Anajatuba, esquema conhecido como “Máfia de Anajatuba”.

Erros históricos

Além da ligação com escândalos de corrupção, o Instituto Escutec também é conhecido por erros históricos. Exemplo recente é das eleições de 2016, quando o instituto apontava segundo turno entre os candidatos Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e Wellington do Curso (PSDB). Errou feio. Edivaldo acabou vencendo as eleições no segundo turno, mas contra Eduardo Braide (PMN).

Rejeição a Roseana Sarney aumenta, diz pesquisa Econométrica

Candidata ao governo pelo PMDB, Roseana Sarney segue como a mais rejeitada entre os eleitores maranhenses. É o que revela a primeira pesquisa de intenção de votos TV Guará/Econométrica, divulgada neste sábado (1º).

Roseana não é opção de voto para 47,1% dos entrevistados, seguida por Roberto Rocha (PSDB) com 26,3% e Flávio Dino (PCdoB) com 23,4%. Maura Jorge (PSL) foi citada por 19,5%, Ramón Zapata (PSTU) por 17,3% e Odívio Neto (PSOL) por 12,7%. Os entrevistados que não sabem ou não responderam chegam a 12,1%.

O estudo indica que a rejeição à filha do oligarca José Sarney aumentou. Segundo projeção do Ibope, contratada pela TV de sua família e divulgada no último dia 23, 41% dos eleitores disseram não votar em Roseana de jeito nenhum.

A pesquisa TV Guará/Econométrica foi registrada no TSE sob o número MA-08877/2018. O intervalo de confiança é de 95% com uma margem de erro de 2,61%.

Pesquisa TV Guará/Econométrica: Flávio Dino tem 60% dos votos e consolida vitória no 1º turno

A pesquisa Econométrica encomendada pela TV Guará foi divulgada na manhã deste sábado (1º) mostra que o governador e candidato à reeleição Flávio Dino tem 60% das intenções de votos válidos.

O resultado confirma o que todas as pesquisas anteriores vêm mostrando: Flávio vence a eleição no primeiro turno com ampla vantagem.

De acordo com o levantamento divulgado pela TV Guará, Roseana Sarney tem 32,5%, seguida por Roberto Rocha (4,2%), Maura Jorge (2,4%), Ramon Zapata (0,8%) e Odívio Neto (0,1%).

A pesquisa foi feita entre 21 e 25 de agosto, com 1.407 entrevistados. A margem de erro é de 2,61 pontos. A pesquisa está registrada no TSE sob o número MA-08877/2018.

Bia Venâncio coordena pré-campanha de Roseana Sarney em Paço do Lumiar

O Blog teve acesso a um áudio da ex-prefeita de Paço do Lumiar em reunião com lideranças e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB). Bia se diz muito emocionada com o projeto da candidatura de Roseana e sua missão de articular a campanha de Roseana na cidade luminense.

Bia ficou conhecida nacionalmente após posar com tornozeleira eletrônica colocada pela Polícia Federal em 2012. Há menos de um mês, Bia foi condenada pela sexta vez. Desta vez, por irregularidades na prestação de contas de um convênio de R$ 391,1 mil firmado pela Prefeitura com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Agrário (Sedagro), em 2009. Durante sua passagem pela prefeitura, Bia foi afastada do cargo várias vezes pela Justiça.

A ex-prefeita mostra empolgação na pré-campanha de Roseana. “Tô muito feliz hoje de ver todo este grupo com a nossa guerreira [Roseana]. Quero lhe dizer, governadora, que ainda faltam muitas lideranças que querem lhe ver. Muita gente empenhada neste projeto”. A ex-prefeita cita uma série de lideranças que segundo ela querem ver e abraçar Roseana sob a tutela da mulher que recebeu da Polícia Federal um adereço para a perna direita.

Ela enaltece os “feitos” do Clã Sarney na cidade e hostiliza o prefeito Domingos Dutra. “O povo de Paço do Lumiar tem boa memoria e não esquece de tudo que o grupo Sarney já fez, que a senhora fez, que Sarney Filho fez, que João Alberto fez. E vamos mostrar o resultado neste projeto de 2018. […] Vai ser uma eleição bonita apesar de toda esta perseguição, deste demônio, desse futi, dessa pessoa que chegou em Paço do Lumiar para causar discórdia. Chame seu povo, governadora”, afirma ao citar ainda mais nomes de pessoas que estariam sob o comando de Roseana. Confira no áudio abaixo.

Andrea diz que Ricardo será candidato a cargo majoritário: “governador ou senador”

A deputada Andrea Murad falou sobre a entrada de Roseana Sarney na disputa pelo governo do estado. A entrada murchou a pré-candidatura do pai, Ricardo Murad, ao governo do Estado. Andrea diz agora que Ricardo pode ser candidato a Senador, mas isto jogaria mais lenha na fogueira dos pré-candidatos do grupo Sarney.

Andrea disse que não existe briga pelo fato de Ricardo se lançar pré-candidato e Roseana também. O que poderia evidenciar uma estratégia de ter muitos candidatos para levar a disputa para o segundo turno. “Muito bom a candidatura da ex-governadora. Ela tem todas as condições de disputar. Quanto mais candidatos, melhor para conseguirmos tirar o governador Flávio Dino do governo. O eleitor tem mais opções de voto”.

Apesar disto, a deputada não mostrou convicção da candidatura do pai ao governo e abriu o leque para ser candidato também a Senador. “Ele será candidato a majoritário. Será candidato a governador ou a senador. Ainda pode ser ao governo, mas quer dizer que ele está rompido com a governadora Roseana. Uma coisa não tem nada a ver com a outra”, sentenciou.

Candidata a federal pelo PRP

Andrea Murad confirmou que será candidata mesmo a deputada federal e disse que aguarda a janela partidária para seguir o pai no PRP. A confirmação aumenta a especulação de que Ricardo pode não seguir a candidatura majoritária como afirma Andrea e ser mesmo candidato a deputado estadual.

Justiça de Pernambuco bloqueia os bens do marqueteiro de Roseana

Antonio Lavareda, cientista político que foi acionado no início de outubro para trabalhar a candidatura de Roseana Sarney ao governo do estado, teve os seus bens bloqueados por determinação da juíza Roberta Viana Jardim, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE). Lavareda é alvo de uma queixa-crime registrada pelo seu ex-sócio do Banco Gerador, o empresário Paulo Sérgio Macedo. O banco que foi vendido para o Grupo Agiplan, em maio de 2016.

Macedo acusa Lavareda, que também é apresentador do programa ‘Ponto a Ponto’, exibido pela BandNew, pela suposta prática dos crimes de “estelionato e falsificação de documento particular”, segundo o site O Antagonista.

Por meio de nota, o advogado Fernando Friedheim diz que Lavareda é vítima e criticou Macedo.

A relação de Lavareda e Roseana é antiga. Ele trabalha e é muito próximo da peemedebista desde o seu segundo mandato de governadora, ainda pelo antigo PFL.

Em meados de 2014, foi o marqueteiro que aconselhou Roseana a permanecer no governo e não ser candidata a senadora e era o estrategista da então pré-candidatura de Luís Fernando Silva ao governo, que como todos sabem, foi para o buraco.

Mais um escândalo de Lobão azeda ainda mais relação com Roseana

Se já está batendo o pé para o senador Edison Lobão candidato a reeleição na sua chapa em 2018, Roseana Sarney agora tem mais um motivo para vencer a queda de braço com o seu pai, José Sarney.

Nesta segunda-feira, o site de notícias BuzzFeed escancarou que o empresário Rodrigo Brito, da AP Energy, admitiu à Polícia Federal que serviu de intermediário de propinas entre a empreiteira Camargo Corrêa e o senador Edison Lobão, envolvendo a obra multibilionária de Belo Monte, um dos episódios da Lava Jato que atinge o PMDB do Senado.

Com mais esse escândalo envolvendo a principal operação policial em curso no país, da qual Lobão é um dos campeões em citações nos mais diversos esquemas envolvendo propinas e favorecimentos, Roseana Sarney vai reforçar sua posição contra a composição do senador e braço direito de José Sarney na sua chapa para 2018.

Ela teme que Lobão seja um peso para a sua já combalida imagem no Maranhão. Para Roseana Sarney, já bastam os esquemas de corrupção que ela colecionou durante a sua vida pública que vão pipocar durante as eleições. Ter que carregar ainda os do senador como seu companheiro de chapa seria praticamente mortal para a eleição mais difícil da sua vida.

É por isso que ela está revoltada com mais um escândalo à nível nacional do senador Edison Lobão.

Temer visita o Maranhão “às escondidas” para não encarar o povo

Com estratosférico índice de rejeição, comparáveis apenas com o ex-presidente José Sarney, Michel Temer visita o Maranhão nesta quinta-feira (5). Mas nada de eventos públicos ou pelo menos com a participação da imprensa.

Temer chega em voo particular à Alcântara para visitar diretamente o Centro de Lançamento nesta tarde e de lá mesmo vai embora. O presidente está negociando ceder o espaço para os Estados Unidos. A estimativa é de que o governo americano pagaria uma receita anual potencial de até US$ 1,5 bilhão para dar aos americanos o espaço localizado no Maranhão.

Sem agenda com aliados

O medo de Temer encarar os holofotes no estado é tão grande que o presidente sequer convidou seus aliados no Estado para participarem da agenda no Maranhão. Nem Roseana Sarney, nem Edison Lobão, nem seu ministro Sarney Filho foram convidados para acompanhá-lo na visita.

Como Roseana esteve em reunião com Michel Temer nesta mesma semana, pode ter partido da própria ex-governadora a ideia de não estar ao lado do rejeitado presidente.

O medo da vaia é grande.

Ofício do Ministério da Integração desmente jornal de Roseana

O jornal O Estado do Maranhão, de propriedade da família Sarney, tentou hoje abafar a grave denúncia que pesa sobre a quatro vezes governadora Roseana Sarney. Uma fiscalização interna do Ministério da Integração Nacional apura desvio de até R$ 18 milhões de recursos destinados para obras emergenciais após enchentes no estado em 2009. À época, o ministro da Integração é o hoje detido Geddel Vieira Lima, das malas de dinheiro, e a governadora que assinou o pedido para os recursos era a hoje candidata a quinto mandato Roseana Sarney.

Hoje, o jornal de Roseana tenta desqualificar a denúncia, apresentando um documento assinado pelo ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho. No documento, Barbalho, aliado dos Sarney, afirma que não há investigação no Ministério sobre desvios na gestão Roseana Sarney.

No entanto, um ofício do próprio ministério desmente o ministro aliado dos Sarney. No dia 10 de março de 2017, ofício assinado pelo coordenador-geral de Prestação de Contas e Convênios, Bruno Dourado, endereçado a José Miguel Lopes Viana, diretor do Departamento Estadual de Infraestrutura e Transporte do Maranhão (Deint-MA) do governo Roseana Sarney, prova que o Ministério da Integração Nacional instaurou um processo de fiscalização com pedido que orienta a glosa de  R$ 18 milhões – com valores atualizados – em contrato realizado pelo Ministério e o governo do Estado.

O ofício faz parte do processo de nº 59050.001042/2009-61 e deixa claro que “não havendo regularização da Avença, o Estado será inscrito como inadimplente no SIAFI, tornando obrigatório o encaminhamento do processo para instauração da Tomada de Contas Especial”. Ou seja, diferente do que o ministro Jader Barbalho afirmou, o Ministério está apurando irregularidades na aplicação das verbas destinadas às enchentes do Maranhão no governo Roseana Sarney.

Entenda o caso

A investigação do governo federal apura o destino de parte dos recursos repassados ao Governo do Maranhão em 2009 com o objetivo de recuperar rodovias em quase 70 municípios do estado. Os recursos deveriam ter recuperado rodovias após uma enchente no estado. Fiscalização de execução interna do Ministério da Integração Nacional orienta a glosa de R$ 18 milhões – com valores atualizados – em contrato realizado por aquele órgão e o governo do Estado.

O que se viu, no entanto, pelo relatório da fiscalização foi bem diferente. O documento mostra que o Ministério da Integração Nacional viu “descaso”, “desrespeito” e “má-fé” dos executores da obra. O Ministério da Integração Nacional conclui que ao menos R$ 18 milhões transferidos não se transformaram em obras.

Nesta quarta-feira (20), o atual ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, enviou ofício para desmentir o parecer técnico da sua própria pasta alegando que nunca houve fiscalização sobre o assunto.

Hélder Barbalho é filho do senador do Pará, Jader Barbalho, que integra organização criminosa junto com José Sarney, o ‘quadrilhão do PMDB’, suspeitos de receber R$ 864 milhões em propina, segundo a PGR.

O gesto do atual ministro desmentindo técnicos do seu próprio Ministério é um pedido de Sarney ao comparsa Jader para tentar livrar Roseana Sarney de mais um escândalo de desvios milionários, desta vez com Geddel Vieira Lima, que há duas semanas foi preso por possuir um bunker com R$ 51 milhões em espécie, em um apartamento em Salvador.

E assim o ‘quadrilhão do PMDB’ vai atuando junto para tentar se salvar das denúncias milionárias. Nesse caso, Hélder só esqueceu de combinar com os seus funcionários.