Roseana ficou revoltada com arquivamento de processo de Flávio Dino na Lava Jato

Sonhando em voltar aos tempos de farras regadas a lagostas, champanhes franceses e camas de R$ 130 mil, Roseana Sarney ficou revoltada com a decisão do STJ em atender o pedido da Procuradoria Geral da República, que afirmou não haver qualquer fato ou indício que pudesse comprovar as falsas acusações feitas pelo funcionário da Odebrecht, José de Carvalho Filho, contra o governador Flávio Dino no âmbito da Operação Lava Jato.

Assim como aconteceu na derrota para Jackson Lago em 2006, Roseana Sarney arremessou pratos e esbravejou do alto do seu apartamento de luxo na Península, sobretudo com seu pai. A maior revolta de Roseana foi pelo fato de José Sarney não ter conseguido usar sua influência para forçar um inquérito contra Flávio Dino. A denúncia era a garantia que a ex-governadora estava esperando para disputar as eleições.

Acostumada a ter tudo de mãos beijadas dadas pelo pai, Roseana agora se vê em maus lençóis – e ainda por cima sem a cama hi-tech – tendo que enfrentar um adversário que não possui qualquer mácula contra sua imagem e que está fazendo, em dois anos e meio, o que ela não fez em 16 anos.

A revolta de Roseana é, na verdade, a destruição da única chance que ela teria em um embate com Flávio Dino. Pelo visto, esse foi mais um capítulo do passamento do grupo Sarney no Maranhão.

Teria o PMDB de Roseana decretado o fim da carreira política de João Alberto?

Com mandato prorrogado até o final de 2018, o senador João Alberto está preocupado com seu futuro político.

Atual presidente do PMDB no Maranhão, João Alberto conduziu a escolha dos candidatos que disputarão as eleições no ano que vem pelo partido. Entretanto, seu nome não foi cotado pela legenda nem para a disputa ao Senado e nem para o Governo do Estado.

De acordo com blogueiros ligados ao grupo Sarney, durante reunião partidária nesta sexta-feira (4) a sigla confirmou a previsão e vai lançar Roseana Sarney na difícil disputa contra os bons números de aceitação obtidos por Flávio Dino em dois anos e meio de governo. Na corrida pelo Senado, Edison Lobão já sinalizou que tentará renovar o mandato por mais oito anos.

Com 82 anos de idade, estaria João Alberto descontente com a decisão do seu partido de lhe tirar das eleições do próximo ano? A decisão do PMDB maranhense pode representar a aposentadoria política do senador.

Fiel ao grupo Sarney e ao PMDB, João Alberto vem atuando politicamente ao longo dos anos sempre cumprindo as determinações do clã Sarney e em obediência às deliberações partidárias.

Foi atendendo determinações do oligarca José Sarney – principal conselheiro do presidente Michel Temer – e do PMDB nacional, que João Alberto, com o poder de presidente do Conselho de Ética do Senado, arquivou o processo que pedia a cassação do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Depois de longos anos de subserviência ao seu grupo político, parece que o PMDB optou deixar o ‘Carcará’ ou como um Plano B da sigla para 2018 – o que é pouco provável – ou definitivamente rumo ao esquecimento.

Carcará

Entre os anos de 1990 e 1991, quando foi governador, João Alberto ficou conhecido como ‘Carcará’ por ter liderado a Operação Tigre, cujo objetivo foi o extermínio indiscriminado de pessoas supostamente ligadas ao crime organizado de Imperatriz e região. A operação teria deixado 300 mortos. Embora esses números sejam contestados, as imprensas local e nacional deram destaque ao genocídio na época.

Já ré pela Máfia da Sefaz, Roseana também pode ser indiciada pelo Caso Constran

A ex-governadora Roseana pode sentar no banco dos réus por mais um caso de corrupção envolvendo seu governo. O fantasma da Constran volta a assombrar Roseana, que deverá responder a mais um inquérito.

A juíza titular da 8ª Vara Criminal – Crimes Contra Ordem Tributária e Econômica e Lavagem de Dinheiro, Oriana Gomes, não aceitou a absolvição sumária solicitada nas respostas às acusações do Ministério Público, e manteve a ex-governadora Roseana Sarney e todos os outros suspeitos como réus na ação penal que apura o desvio de milhões de reais através de um esquema criminoso de compensações tributárias ilegais, no que ficou conhecido como Máfia da Sefaz.

Veio à tona no final da semana passada que o promotor Lindonjhonson Gonçalves de Sousa, da 28ª Promotoria de Justiça Especializada de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa ajuizou, no último dia 28 de abril, uma Ação Civil Pública (ACP) por ato de Improbidade Administrativa contra a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney (PMDB) e outros 11 co-réus, motivada pelo caso do pagamento de precatório de R$ 33 milhões ao consórcio Constran/UTC.

O pagamento teria sido feito “fora da ordem legal do precatório” (‘furando a fila’), mediante pagamento de “vantagem financeira pessoal” (propina) de R$ 3 milhões à então governadora Roseana, por meio de seu secretário da Casa Civil, João Abreu, que teria recebido tal quantia do doleiro Alberto Youssef (a serviço da Constran/UTC) nas dependências do próprio Palácio dos Leões (sede do governo do Maranhão.

O pedido de Ação Civil Pública contra Roseana Sarney e outras 11 pessoas foi feito pelo MPMA à juíza Luzia Madeiro Nepomuceno, da 1ª Vara da Fazenda Pública (São Luís).

Política maranhense em notas

Roseana vai esconder legado

roseanaboladaA ex-governadora Roseana Sarney irá lançar livros para esconder seu real legado ao povo do Maranhão: pobreza, analfabetismo e desigualdade social. A peemedebista irá mostrar a grande farsa dos seus quatro mandatos como governante de obras faraônicas que nunca deram certo. O atraso do Maranhão em relação aos outros estados é fato inequívoco pelos números do IDH. Roseana, ao invés de voltar a ladainha de obras que nunca serviram para desenvolver o Maranhão, poderia escrever uma carta de desculpas aos milhares de maranhenses que estudam em escolas de taipa, não tem água, não tem o que comer, não tem transporte ou sequer sabem que existe poder público, tamanho isolamento de algumas cidades e povoados.

Homenagens no Maranhão

assembleiaminutosilencioA Assembleia Legislativa e a Câmara Municipal de São Luís prestaram homenagens às vítimas dos atentados terroristas em Paris, na França. A Câmara fez uma moção de pesar e solidariedade às vítimas, lembrando os laços históricos e fraternos com a única capital brasileira fundada pelos franceses. Na Assembleia, foi respeitado um minuto de silêncio em memória às vítimas do terrorismo na capital francesa e o deputado Eduardo Braide apresentou requerimento para que seja enviada mensagem de solidariedade ao povo francês, na pessoa do seu presidente, François Hollande, e do embaixador francês no Brasil, Laurent Bili.

Rogério Cafeteira no PROS

Rogerio Cafeteira - crédito agência ALEMAO líder do governo na Assembleia Legislativa pode estar deixando o PSC. O deputado Rogério Cafeteria recebeu convite da direção nacional do PROS para se filiar à legenda comandada nacionalmente por Eurípides Júnior. Enfraquecida no Maranhão sem representação na Assembleia ou na Câmara Federal, seria a chance do partido ter um deputado. Cafeteira não deu ainda a resposta, mas tem se mostrado interessado pelo partido. O presidente estadual da legenda é o ex-ministro do Turismo, Gastão Vieira.

Reformas de escolas em todo o estado

FOTO-1-Flávio-Dino-e-a-secretária-de-educação-1024x663O governador Flávio Dino assinará Ordem de Serviço para a reforma de escolas em todo o Maranhão. Municípios da Região Tocantina, Baixada Maranhense, Cocais, Região Metropolitana de São Luís passarão por intervenções estruturais com o objetivo de melhorar as condições físicas das escolas no estado. A ordem de serviço será assinada nesta terça-feira (17), pelo governador Flávio Dino.

Cabo Campos se irrita e exagera

cabocamposÉ perfeitamente compreensível o estado de emoção do deputado Cabo Campos (PP), que discursou nesta segunda-feira (16) sobre a lamentável perda de um policial. Mas, se irritou excessivamente ao perceber que os deputados não o estavam ouvindo – o que sempre acontece nas Assembleias e na Câmara Federal, uma vez que cada deputado discursa para a imprensa, a TV oficial e assim levar as informações ao público em geral – e soltou: “O que mais me dói neste momento é que estou falando da morte de um colega meu e os parlamentares estão ‘cagando e andando'”. O presidente teve que pedir para que a expressão fosse retirada das notas taquigráficas.

Geraldo Catingueiro é lançado em Lago da Pedra

Rubens 03 (1)No último sábado (14), na cidade de Lago da Pedra, as principais lideranças políticas da cidade estiveram unidas para o lançamento da pré-candidatura de Geraldo Catingueiro à prefeitura municipal, durante a convenção do PDT. O evento contou com a presença do presidente estadual do PDT, Weverton Rocha, do deputado federal Rubens Jr. (PCdoB), além do deputado estadual Fábio Macedo (PDT) e lideranças locais. Catingueiro mostrou prestígio. Ele tenta unidade com os pré-candidatos Mauro Jorge (PCdoB) e Rodrigo Neto (PSB), contra a atual gestão.

Pé frio em Bragança Paulista

pefrioO secretário estadual de Esportes, Márcio Jardim, esteve na cidade Bragança Paulista ao lado do presidente do Sampaio Corrêa, Sérgio Frota, torcendo por uma vitória fundamental para que o Tricolor continuasse sonhando com a Série A do Brasileirão em 2016. O resultado foi uma taca que praticamente tirou a possibilidade de acesso. Márcio respondeu aos internautas que o taxaram de pé frio. “Vou sempre com os pés em brasas. Tem dias que não tem jeito…” Esperemos a Série A em 2017!

“Roseana deixa um triste legado ao Maranhão”, diz deputado ao criticar Segurança

othelinoassembleiaO deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) voltou a criticar a governadora Roseana Sarney por conta do descaso com o Sistema de Segurança Pública do Maranhão. Ele lamentou o assassinato de mais dois policiais militares, no último final de semana, durante troca de tiros com criminosos em São Luís. Segundo o parlamentar, a ainda chefe do Executivo deixará um triste legado à população do Estado.

“Infelizmente, vimos, no final de semana, mais um acontecimento triste envolvendo a dura realidade da violência em São Luís. Mais dois policiais foram mortos, vítimas da irresponsabilidade, vítimas da falta de uma política pública de segurança no Estado”, disse Othelino.

O parlamentar destacou que os bandidos não respeitam a Polícia há muito tempo e que os policiais já se sentem, de tal forma, assustados que não sabem se, quando saírem, quando forem trabalhar, vão conseguir voltar para casa. Segundo o deputado,  já é destaque nacional a novela da falta do Poder Público no Maranhão e, ao mesmo tempo, a falta de respeito com a sociedade maranhense.

O deputado disse ainda que o assunto da renúncia da governadora já virou notícia nacional. Ele citou, na tribuna, o site de notícias UOL que enumera, pelo  menos, dez problemas que Roseana Sarney deixará para o seu sucessor. “É claro que o UOL fez uma síntese, porque ela não vai deixar apenas isso, mas sim milhares de problemas para o próximo governador resolver porque foram quatros mandatos de desmandos absolutos no Estado. Então ficará um triste legado para a população”, avaliou.

Segundo o deputado, Roseana não levou o Maranhão à modernidade, ao contrário, radicalizou o estado de miséria no qual boa parte dos maranhenses vive. “Mais de um milhão de maranhenses vive abaixo da linha da pobreza”, enfatizou.

Triste legado de  Roseana

De 2004 para cá, todo o Brasil diminuiu a quantidade de pessoas na condição de pobreza. No Maranhão também houve uma queda, mas foi o Estado em que a redução dos índices de pobreza foi a menor no Brasil. “Nós temos ainda alarmantes números de mais de um milhão de conterrâneos vivendo abaixo da linha da pobreza. Esse é o legado do governo Roseana Sarney, dos quatro mandatos em que ela comandou ou desmandou”, disse.

Segundo Othelino, outro legado marcante de Roseana, que encerra o melhor governo de sua vida, são esses indicadores assustadores de violência. Ele lembrou que, no final do mês de novembro, início de dezembro, foram mais de mil homicídios na Grande Ilha de São Luís.

Othelino enumerou na tribuna outros itens do legado de Roseana à população. Ele destacou que o Maranhão continua sendo o líder em mortalidade infantil, tem o maior déficit habitacional do Brasil, possui o pior acesso à Justiça, conta com o menor índice de médicos por habitante e a menor expectativa de vida também. “Essas são as marcas do governo Roseana”, disse.

Policiais militares mortos

O sargento da Polícia Militar Carlos Magno Pereira de Sá, conhecido como Sargento Sá, morreu após ser baleado em uma troca de tiros com criminosos, na noite de domingo (7), na região da Forquilha, em São Luís. Foi o segundo policial militar morto no fim de semana, na capital maranhense.

De acordo com informações repassadas por policiais, o sargento chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Municipal Dr. Clementino Moura (Socorrão II), mas não resistiu e veio a óbito.

Outro PM identificado como Sebastião Luís Rocha Neto, de 26 anos, foi morto na tarde de domingo (7) após reagir a um assalto em frente a um ponto de ônibus, no bairro Desterro, em São Luís.

O soldado chegou a ser levado para o Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I), mas não resistiu e morreu no fim da tarde. Um dos suspeitos também acabou alvejado e foi levado para o mesmo hospital.