Vereador Gutemberg desmente boato sobre ofensa de Lula Fylho a vereadores

Gutemberg elogiou atuação de Lula em reunião com médicos

Existe uma clara tentativa, não se sabe articulada por quem, de jogar o secretário de governo de São Luís, Lula Fylho, contra os vereadores da capital. Foi espalhado nas redes sociais um boato de que Lula chamou vereadores de “aproveitadores” e “pedintes” durante reunião na semana passada para tratar dos problemas da saúde.

O titular do Blog conversou com o vereador Gutemberg Araújo (PSDB), que provocou a reunião e participou da discussão do início ao fim. O tucano negou peremptoriamente que o secretário tenha feito tal declaração. “Pelo contrário. O secretário Lula Fylho foi importante na mediação dos conflitos e foi cortês com os vereadores. Apenas houve um debate sobre o financiamento com a sugestão de que nas próximas indicações os vereadores aloquem emendas para a saúde, para ajudar. Mas nunca deu estas declarações”, afirmou.

O vereador lembra que a reunião foi muito boa pela solução dos conflitos e que não seria momento para causar intriga inexistente.

Vários secretários participaram da reunião que chegou a um consenso com a suspensão da redução de médicos nos plantões noturnos e nos finais de semana das unidades municipais, a formação de uma comissão para negociações com representantes da classe médica e ainda a composição de uma comissão de vereadores para buscar ações de melhorias para o setor junto às autoridades estaduais e federais.

O secretário Lula também se manifestou sobre a tentativa de intriga dele com vereadores. “Como secretário de governo cabe a mim mediar e interceder na busca de soluções de conflitos. Na coordenação de todas as ações do Governo. […] Portanto,rechaço veementemente toda tentativa de ilações com meu nome e as tentativas d criar indisposição com o parlamento ou qualquer outro ente”, postou no Twitter.

 

Com descaso de Assis Ramos, vereadores de Imperatriz buscam ajuda de Flávio Dino

O governador Flávio Dino recebeu, nesta segunda-feira (8), no Palácio dos Leões, vereadores da cidade de Imperatriz. Com os trabalhos na ponta, lidando de forma mais próxima e direta com a população, os representantes do Legislativo da cidade levaram pleitos e demandas ao Governo do Estado. Os vereadores do município não aguentam mais tanto descaso do prefeito Assis Ramos.

Ao lado do vice-governador, Carlos Brandão, e de secretários estudais, Flávio Dino pôde atender e dar encaminhamento a muitas das solicitações levadas. “Fizemos essa audiência a partir de uma solicitação do presidente da Câmara, José Carlos, sobre pautas de interesse da cidade. Como tenho mantido uma prática de diálogo constante no nosso Governo, é uma alegria receber representantes dos bairros, das comunidades, dos povoados. A visita foi muito bem sucedida, foi muito positivo para que o nosso Governo pudesse ouvir essas reivindicações e elas serão atendias, porque temos os braços abertos para todas as regiões, claro que muito especialmente para a cidade de Imperatriz, que é de enorme relevância política, cultural e econômica para o Maranhão”, destacou Flávio Dino.

Liderado pelo presidente da Câmara, José Carlos Pé de Pato, 16 vereadores compareceram à reunião. Cada um pôde apresentar solicitações de curto, médio e longo prazo. Anseios antigos da população foram prontamente atendidos pela equipe de Governo presentes no encontro, como a recuperação de ruas, o suporte à saúde do município que, infelizmente, segundo os vereadores, está em situação de fragilidade, a determinação para abertura da licitação para construção do Iema da cidade e de convênio para atendimento da oncologia infantil, além de providências para o aterro sanitário e para implantação do Centro de Atenção aos Idosos.

“O dialogo é sempre importante e com esse encontro a sociedade e a cidade toda saiu ganhando, porque o governador demonstra claramente o desejo e o interesse de atender a Imperatriz, e, para nós, é um motivo de muita alegria, já que o governador vai atender a maioria dos pedidos de pronto, além do que ele já vem fazendo pela cidade”, defendeu Pé de Pato.

De opinião semelhando compartilha o vereador Carlos Hermes, que também esteve no encontro, e defendeu a importância do parlamento municipal como porta-voz do povo, intermediando necessidades que passa por todos os cantos da cidade.

Senado: Weverton Rocha tem apoio de vereadores da capital à pré-candidatura

Alguns dos vereadores de maior influência da Câmara Municipal receberam o deputado federal Weverton Rocha (PDT) nesta segunda-feira (13). O presidente da Câmara, Astro de Ogum (PR), o 1º vice-presidente, Osmar Filho (PDT) e o 1º secretário, Honorato Fernandes (PT) se reuniram com Rocha.

O vereador licenciado e presidente da Agência Metropolitana, Pedro Lucas Fernandes, e o secretário Municipal de Assuntos Parlamentares, Hélio Soares, também participaram da reunião.

Weverton articula grande força política na capital para sua pré-candidatura ao Senado. Com a influência de Astro junto aos demais vereadores, é esperado que um grande grupo se forme em torno do projeto.

Quais vereadores do Chapão podem assumir secretarias em São Luís?

O prefeito Edivaldo segue distante das discussões sobre mudanças no secretariado. O prefeito não quer saber no momento de reforma, mas deve fazer algumas mudanças na virada do ano. De fato, bem menos do que muitos esperavam. Enquanto ele não fala sobre o tema, a expectativa é grande entre os secretários e vereadores de São Luís.

Pelo menos duas mudanças devem ser feitas. Isto porque existe um acordo feito à época da formação das coligações para que dois vereadores do Chapão (PDT, DEM, PR e PROS) assumam secretarias e assim dois suplentes pudessem assumir o mandato, aumentando o número de contemplados e fazendo assim com que todos aceitassem entrar na chapa com forte concorrência.

E a especulação se isto realmente irá se concretizar, quem serão os vereadores e quais secretarias assumirão aumenta. O chapão elegeu oito vereadores. Pelo menos quatro não devem assumir secretaria porque já têm seus papéis definidos no parlamento a partir de 2017. Pavão Filho e Raimundo Penha serão líder e vice-líder do governo, respectivamente. Astro de Ogum deve ser reeleito presidente da Casa e Osmar Filho tende a ser eleito vice-presidente.

Assim, o chapão ainda tem quatro nomes para que dois migrem para o Executivo. São eles Marquinhos (DEM), Beto Castro (PROS), Aldir Júnior (PR) e Ivaldo Rodrigues (PDT). O último é favorito para ser secretário. Esporte ou Cultura seriam as secretarias com maior identificação. Já os demais, é difícil vislumbrar um espaço compatível.

Os dois suplentes da coligação Paulo Victor (PR) e Barbosa Lages (PDT) estão de olho nas vagas.

 

Vereadores do PP ameaçam retirar candidaturas e detonar Wellington

vereadorespp

O sentimento dos vereadores candidatos à reeleição no PP é de total decepção com o candidato Wellington do Curso. Na visão dos vereadores, Wellington só se importou com sua candidatura e matou a chapa dos candidatos do próprio partido. Agora, o tom é de ameaça, caso o candidato não resolva ainda hoje (8) a situação, já que encerra o prazo.

No PP, estão filiados três vereadores de mandato: Francisco Chaguinhas, Luciana Mendes e Manoel Rêgo. Além destes, Kátia Lobão também está no partido. Acontece que na articulação com Roberto Rocha, o senador não aceitou coligar com o PP para vereadores e ficou definida apenas a coligação entre PSB e PSD. O PP ficou sozinho. Com três vereadores, ninguém quis coligar.

Só, o PP faz um vereador no máximo. Ou seja, dos três, dois ficam fora. E a revolta passou ao tom de ameaça.

Os vereadores disseram a Wellington que ele tem que resolver hoje uma coligação, ou irão retirar suas candidaturas e declarar apoio a Eliziane Gama (PPS). Um deles diz ainda ter uma bomba para detonar a candidatura do dono do Curso Wellington. A crise chegou a um nível extremo.

Vereadores pressionam Wellington do Curso por coligação

vereadoreswellington

Vereadores pressionam: Wellington tem que conseguir partido para coligar

Os vereadores e pré-candidatos do Partido Progressista estão extremamente preocupados com a situação do partido na eleição proporcional. Por enquanto, o PP tem pré-candidato a prefeito e nenhum partido até agora foi atraído para o projeto de Wellington do Curso.

Em reunião no Curso Wellington nesta segunda-feira (25) a discussão foi ríspida entre o pré-candidato e o vereador Francisco Chaguinhas, que cobrou alianças para coligação proporcional. Chaguinhas disse que não entende como um pré-candidato em terceiro lugar e que vence todos os adversários no segundo turno não atrai ninguém para coligar.

A pressão em Wellington é grande. O PP tem três vereadores de mandato: Chaguinhas, Manoel Rêgo e Luciana Mendes. Além deles, o filho do vereador Nato (PRP), Nato Júnior, pode ser candidato pelo PP caso o vereador do Coroadinho não seja candidato. A forte concorrência tem feito os vereadores pressionarem por uma coligação que alivie a situação.

Caso não consiga coligar, Wellington terá menos tempo de TV do que Fábio Câmara, se Fábio for candidato. Uma vergonha para o pré-candidato que teria o potencial de chegar no segundo turno.

Pacto com Roseana

Desesperado por uma coligação forte, Wellington procurou a ex-governadora Roseana Sarney e lhe ofereceu fidelidade em busca do apoio do PMDB ao seu projeto. Roseana aceitou a proposta e força para que Fábio Câmara abdique da candidatura e o PMDB vá com Wellington do Curso.

O problema é que Roseana não tem o partido na mão e os caciques peemdebistas estão divididos. Nem Fábio Câmara obedece à ex-governadora e reafirma que não irá retirar a pré-candidatura.

 

Como ficou a divisão dos partidos na Câmara Municipal

No plenário da Câmara os vereadores estão distribuídos em vinte partidos políticos.Com uma representatividade de trinta e um (31) vereadores, a Câmara Municipal de São Luís atualmente conta com vinte (20) partidos, nos quais estão distribuídos os representantes parlamentares da população ludovicense. Das duas dezenas de agremiações partidárias, as que têm maios representação são o PDT e o PSDB, cada uma com quatro vereadores. Os seguintes: Eidimar Gomes, Gutemberg Araújo, José Joaquim e Josué Pìnheiro.

Em seguida as bancadas com dois representantes cada são em número de quatro (04). Sendo elas PCdoB – Professor Lisboa e Ricardo Diniz; PP – Francisco Chaguinhas e Manoel Rêgo; PRP – Nato Sena e Sebastião Albuquerque e PSL (Chico Carvalho e Isaias Pereirinha). Os demais partidos dispõe cada um de um vereador.

Até a presente data (06) foi informado a distribuição de trinta (30) vereadores por partido, pois do conjunto de trinta e um (31), apenas a vereadora Luciana Mendes não informou se mudou de partido, já que sua filiação original é o PTdoB.

MESA DIRETORA

Presidente – Astro de Ogum (PR)

1º Secretário – Pavão Filho (PDT)

2º Secretário – Pedro Lucas (PTB)

1º Vice-Presidente – Francisco Carvalho (PSL)

2º Vice-Presidente – Josué Pinheiro (PSDB)

3º Vice-Presidente – Ricardo Diniz (PCdoB)

3º Secretário – Marlon Garcia (PTdoB)

4º Secretário – Bispo Paulo Luiz (PRB)

5º Secretário – Professor Lisboa (PCdoB)

………………………………….

Barbosa Lages (PDT)

Ivaldo Rodrigues (PDT)

Osmar Filho (PDT)

Eidimar Gomes (PSDB)

Gutemberg Araujo (PSDB)

José Joaquim (PSDB)

Francisco Chaguinhas (PP)

Manoel Rego (PP)

Nato Sena (PRP)

Sebastião Albuquerque (PRP)

Isaias Pereirinha (PSL)

Rose Sales (PMB)

Beto Castro (PROS)

Edimilson Jansen (PTC)

Fábio Câmara (PMDB)

Armando Costa (PSDC)

Estevão Aragão (SD)

Marquinhos Silva (DEM)

Bárbara Soeiro (PSC)

Honorato Fernandes (PT)

Roberto Rocha Junior (PSB)

Luciana Mendes (Ainda não está informado)

Política maranhense em notas

Defesa da democracia em São Luís

naovaitergolpeO dia em que o golpe militar completa 52 anos foi marcado por manifestações em defesa democracia em todo país. Em São Luís, manifestantes se concentraram na Praça João Lisboa e seguiram até a Praça Deodoro em ato contra a tentativa de golpe, com o impeachment da presidente Dilma. 600 pessoas participaram do ato realizado no Centro, segundo a organização. A Polícia Militar informou que não vai divulgar os números.Aos gritos de “não vai ter golpe”, eles reivindicaram a permanência da presidente Dilma no mandato. O movimento é organizado por integrantes de movimentos sociais, estudantis e centrais sindicais.

Imperatriz contra o golpe

IMG-20160331-WA0102Em Imperatriz, o grito contra o golpe foi ainda mais intenso. Mais de 1,5 mil manifestantes se reuniram na Praça de Fátima.  Na valente cidade da região tocantina, as bandeiras vermelhas e do Brasil tremularam pedindo respeito à democracia. O professor Paulo Maciel, um dos organizadores do ato em Imperatriz, afirmou que é preciso lutar já que, “inconformada com os avanços sociais, uma minoria elitista, quer, de todas as formas desmoralizar um dos maiores símbolos da democracia brasileira: o voto, promovendo um golpe chamado de impeachment”.

Data histórica lembrada na Assembleia

othelino0703O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) aproveitou o dia 31 de março, aniversário do golpe militar no Brasil, para sair em defesa do estado democrático de direito no país, em um momento de grave crise institucional. “Não se pode cassar governo por impopularidade, pois quem faz isso é o povo nas urnas, assim como aconteceu no Maranhão, em 2014, quando a população resolveu dar um basta no domínio do grupo Sarney. Não se pode passar por cima da democracia”, frisou. O deputado recordou que, em 31 de março de 1964, o Brasil passou a viver uma das  páginas mais tristes da sua história com o golpe militar e as consequências mais danosas e mais graves possíveis para o país.

Mais um em defesa de Fernando Sarney

joaomarceloO Deputado Federal João Marcelo de Souza (PMDB-MA) é membro titular da  CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) instalada na última terça- feira (29) em Brasília, para investigar  denúncias envolvendo as entidades CBF e FIFA. No senado, o pai de João Marcelo, senador João Alberto (PMDB-MA) preside a CPI do futebol defendendo os interesses da CBF e, consequentemente, do vice-presidente da entidade, Fernando Sarney.

Tudo para última hora

sebastiaoalbuquerqueOs vereadores ainda sem partido na Câmara Municipal de São Luís deixarão mesmo para os 45 do segundo tempo a decisão. Ricardo Diniz (ex-PHS), Sebastião Albuquerque (ex-DEM), Bárbara Soeiro (ex-PMN) e Luciana Mendes (ex-PTdoB) não fecharam ainda com nenhuma legenda. Somente Estevão Aragão acertou com o PSB. O prazo encerra no sábado (2). Ou seja, restam dois dias para articular.

Chaguinhas e Rêgo ficam no PP

elizianemanoelchaguinhasDepois de terem anunciado que estavam se desfiliando do PP em virtude da filiação de Wellington do Curso, os vereadores Manoel Rêgo e Chaguinhas decidiram ficar no partido. Os dois esbravejaram e anunciaram que estavam de saída para um partido que apoiasse a pré-candidata Eliziane Gama. Mas o prazo estava encerrando e as portas de todas as legendas possíveis já estavam fechadas. Foi o jeito voltarem mansinhos. Os vereadores disseram que mesmo se Wellington for candidato a prefeito, irão fazer campanha para Gama. Será uma situação muito curiosa.

20% dos vereadores de São Luís ainda procuram partido

vereadoressempartido

O troca-troca partidário não acabou com o final da janela para quem tem mandato. Pelo menos seis vereadores de São Luís se desfiliaram, mas ainda buscam novas legendas. O prazo de filiação encerra dia 2 de abril. E a indefinição continua no Palácio Pedro Neiva de Santana.

O vereador Ricardo Diniz já deixou o PHS e ainda discute a filiação. O PRTB é cotado.

Bárbara Soeiro deixa o PMN. O partido de Eduardo Braide perdeu os dois vereadores eleitos pela legenda. Astro de Ogum já está filiado ao PR e Bárbara ainda busca legenda.

Sebastião Albuquerque não é mais do DEM. Já houve conversa com PEN e PHS. Mas o PR entrou forte como possível destino.

Estevão Aragão tem sua saída do SD anunciada há mais de seis meses, mas continua esperando a definição do quadro para se filiar.

O PTdoB perdeu dois dos três vereadores que elegeu. Luciana Mendes e Manoel Rego deixam o partido. Os dois estão com um pé no PP.

Mais uma demonstração de prestígio político e popular de Edivaldo

20160302_202722_resizedEm plena noite de quarta-feira, o prefeito Edivaldo reuniu centenas de pessoas no Residencial Paraíso, na Área Itaqui-Bacanga. O prefeito anunciou obras de asfaltamento no bairro e deu grande demonstração de força popular e política.

Reunindo muitos vereadores, o prefeito voltou a demonstrar força política nos bairros. A líder comunitária, Eliene Moraes, que é presidente da União de Moradores do bairro, fez um discurso emocionando, ao lembrar que as melhorias já são aguardadas há muitos anos. “Temos um bairro com grandes necessidades de água, lazer entre outros. E agradecemos muito ao prefeito por olhar para nós. Ele nos recebeu, nos ouviu e nos atendeu”, salientou.

Edivaldo teve grande receptividade e foi aplaudido pelos populares. Como de costume, tirou muitas fotos e deu muitos abraços. Serão 7 km de asfalto e 4 km de bloquete, requalificando quase a totalidade do bairro.

Pavão dá recado direto

O vereador Pavão Filho (PDT) lembrou da história de luta do bairro desde a ocupação. E ao falar das ações da prefeitura e do governo do estado em parceria, mandou recado aos adversários de Edivaldo, que pregam que farão uma mudança gigantesca em um “passe de mágica” se chegarem à administração municipal. “O prefeito sofreu muita perseguição nos dois primeiros anos. está começando agora a parceria com o governador. E esta parceria tem que continuar. Ninguém me diga que vai assumir essa prefeitura e mudar as coisas com uma ‘vara de condão’, porque só quem faz milagre é Deus”, alfinetou.