Igor Lago defende eleição para o Diretório do PDT

Igor Lago

O ex-presidente da Comissão Provisória que dirigia o PDT maranhense, Igor Lago, filho do ex-governador Jackson Lago, afirmou que seu grupo irá recorrer em todas as instâncias possíveis dentro da legislação pedetista para que o presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, não efetive Julião Amim no comando do PDT no Estado. Segundo ele, o grupo de Weverton Rocha e Amim está indo de encontro à democracia do partido, pois seu grupo é maioria. Igor ainda os desafiou a realizar logo a Convenção e eleger o Diretório Estadual da Legenda ao invés de nova Comissão provisória.

Igor disse estar sofrendo retaliação do presidente do PDT nacional Carlos Lupi, e que o grupo que se opõe a seu nome conta apenas com o apoio na nacional, sendo minoria dentro do partido. “A maior parte do partido deseja a prorrogação da comissão que expirou em dezembro (que era comandada por Igor). Estou sofrendo retaliação de Carlos lupi (presidente nacional) e Manoel Dias (secretário nacional). O grupo que não nos deseja na direção, liderados pelo Julião Amim e Weverton Rocha, é minoria dentro do partido e contam apenas com a Executiva Nacional. Está certo que quem tem o direito de homologar a Comissão é a Executiva Nacional, mas o PDT é democrático e não é feito entre quatro paredes. Se o Carlos Lupi pensa diferente, é problema da consciência dele.”, disse Igor Lago.

O filho do ex-governador Jackson Lago reclama de falta de respeito e consideração. Ele diz que vai recorrer a todas as instâncias cabíveis para que o grupo de Julião Amim não aplique o que chamou de golpe. “Como se não bastasse os problemas com os adversários, temos estes problemas dentro do próprio partido, por conta dos ‘urubus de plantão’. Vamos usar todos os recursos que o Estatuto do partido permite. São sete membros da Executiva nacional que decidem a Comissão Estadual. Entraremos com recurso se formos prejudicados. E ainda cabe o recurso para ser submetido à Executiva Nacional completa”.

Igor ainda desafiou os adversários internos a uma disputa “no voto”. Ele defende que seja realizada logo a Convenção para a escolha do Diretório estadual e não mais uma nova Comissão provisória para dirigir o PDT. “Se eles querem o controle do partido, que ganhem de maneira democrática. Então que marquem a data das Convenções para os próximos 30 dias. Cada um que monte sua chapa e concorra de maneira igualitária. Se eles vencerem, acataremos a decisão. Queremos é discutir os problemas, mas eles querem a política do conchavo”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.