‘Assassinato de jornalista no é um atento à democracia’, diz Sarney

GABRIELA GUERREIRO
DE BRASÍLIA

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), divulgou nota nesta terça-feira (24) para cobrar a investigação do assassinato do jornalista Décio Sá, morto a tiros dentro de um restaurante na avenida Litorânea, em São Luís (MA), por volta das 23h30 de segunda-feira (23).

Sarney afirma que recebeu a notícia com “grande indignação e profundo pesar pessoal”. Sá tinha um blog de política e trabalhava no “Estado do Maranhão”, jornal da família Sarney, da qual era próximo politicamente.

“Brutalmente assassinado, o jornalista foi pioneiro no jornalismo online maranhense e tinha como principal virtude profissional a busca pela notícia, pela reportagem investigativa, que a muitos incomodava, mas também lhe garantia um espaço único no cenário jornalístico e uma legião de seguidores”, disse o senador.

O presidente do Senado recebeu alta hoje do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Segundo sua assessoria, ele deve ficar na capital paulista por uma semana, na casa de seu filho Fernando Sarney, antes de retornar a Brasília.

Na nota, Sarney afirma também que o crime “hediondo, brutal e cruel” tem que ser desvendado para que os culpados sejam punidos para “despertar, cada vez mais, a consciência para a proteção e o respeito à liberdade de imprensa”. “Seu assassinato, além de uma atrocidade, é um atento à democracia.”

Dirigindo-se aos jornalistas, Sarney diz ainda que os colegas de profissão de Décio devem se engajar para que “essa covardia não fique impune, que a polícia identifique os assassinos e a justiça seja feita de forma exemplarmente rigorosa”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.