Mais Educação não pode ser comparado com Educação em Tempo Integral

O prefeito João Castelo (PSDB) está afirmando que a prefeitura possui 79 escolas com uma educação em tempo integral. O prefeito dá a entender que falta apenas as crianças almoçarem na escola para que a Educação em Tempo Integral seja implantada onde existe o programa Mais Educação.

Na realidade, não há que se confundir o progrma Mais Educação, do governo federal, que é limitadíssimo com a Escola em Tempo Integral. Basta ver como funciona a escola Liceu Ribamarens, que é, de fato, de tempo integral. As 79 escolas municipais de São Luís que participam do Mais Educação, estão anos luz distantes da Educação em Tempo Integral.

Primeiro que, na minha visão erradamente, o governo federal entrega toda a administração e recursos do programa aos diretores de escola, transferindo os recursos para compra de material e pagamento de bolsas dos monitores. Com nossos “ótimos” gestores escolares, o sistema vira um caos e não atinge seu real objetivo.

O projeto oferece poucas vagas, uma vez que as atividades do Mais Educação precisam de espaço, e a escola está ocupada à tarde com os alunos do ensino regular vespertino, e pela manhã, com os alunos do ensino regular matutino. Estas poucas vagas são escolhidas a gosto dos gestores, e os alunos fazem as atividades nas quadras e/ou bibliotecas.

Como a bolsa dos monitores é uma miséria (aproximadamente meio salário mínimo), eles abandonam o programa em meio às atividades. Os alunos também vão se desmotivando aos poucos, deixando as atividades. Vale frisar que o programa estabelece critérios para escolha dos alunos, devendo haver alguns em estado de vulnerabilidade, e outros, bons alunos para ajudar.

Caso houvesse uma fiscalização criteriosa, verificariasse que dos alunos inscritos no Mais Educação em São Luís no início do ano, bem menos que a metade ainda participa. Porém, os recursos do governo federal já foram transferidos desde o início do ano para aquele quantitativo de alunos, o que pode significar, um ralo de dinheiro público muito grande. Cada escola da rede municipal participante recebeu mais de R$ 100 mil para a implantação do programa.

O espaço será o principal entrave para a escola em tempo integral. O Mais Educação é somente para um pequeno grupo de alunos com atividades em espaços restritos. Na escola em tempo Integral, todos os alunos da manhã, ocupam o mesmo espaço á tarde com atividades, e isto atinge diretamente outro sério problema da educação de São Luís: a falta de vagas. As escolas da capital não possuem espaço para todos os alunos de uma determinada comunidade, que precisam assistir aulas em vergonhosos anexos (casas e sobrados alugados pela prefeitura).

Agora, comparar um programa que não está sendo efetivado nem próximo do ideal com Educação em Tempo Integral não dá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.