Polêmica da pesquisa: confusão entre Flávio Dino e Sérgio Muniz no TRE

A decisão do juiz Sérgio Muniz ainda vai dar muita confusão. O juiz proibiu o instituto DataM de publicar pesquisas na capital. O instiuto já tinha uma pesquisa pronta para sair amanhã (210 no jornal O Imparcial. Resultado: muita reclamação por parte da coligação de Edivaldo Holanda júnior (PTC) e a confusão foi para dentro do TRE.

O presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB) foi ao TRE falar com o procurador eleitoral sobre o problema. Ao chegar, esbarrou justamente com Sérgio Muniz e os dois começaram a discutir a decisão.

Flávio chamou Muniz de incompetente e respondeu que incompetente era o comunista, que também esbravechou que fez concurso para se tornar juiz federal e Sérgio foi colocado no TRE. “Então me tira daqui”, respondeu e Palavrões foram trocados. Quando os ânimos já estavam muito acirrados, Muniz empurrrou Flávio.

Flávio Dino foi ao TRE acompanhando dos advogados Carlos Lula e Rodrigo Viana para audiência com a procuradoria eleitoral. Foi quando, contam testemunhas, surgiu o juiz Sérgio Muniz, que partiu para tomar satisfações com Flávio Dino.

O presidente da Embratur disse há pouco que tomará as medidas contra o que considerou “abuso de autoridade do juiz e tentativa de coerção em função das críticas legítimas que fez à decisão proferida hoje à tarde determinando a proibição ao Instituto Data M de divulgar pesquisa sobre intenção de votos em São Luís”.

A confusão é por conta da decisão de Sérgio Muniz, baseada em representação da Coligação “Pra fazer muito mais”. A alegação é que não existiam registros de votos em branco ou nulo. Em caso de descumprimento, a multa é de R$ 1 milhão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.