Luis Fernando: “nosso grupo só terá um candidato a governador”

Em entrevista a Rádio Mirante AM, o secretário-chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva, desmentiu o famigerado “Conselho Político” do governo Roseana. Luís Fernando foi taxativo ao afirmar que o Conselho nunca existiu e que o grupo estará unido em torno de uma só candidatura em 2014. Ou seja, entre ele, Edison Lobão e Gastão Vieira, apenas um será candidato a governador.

“O nosso grupo só terá um candidato em 2014 e esse candidato terá todas as chances de ganhar a eleição. Historicamente só temos um candidato a governador em cada eleição e nessa não será diferente. O nosso grupo nunca sofreu ruptura em função de uma dissidência para candidatura majoritária de governador. Nunca o grupo chegou com duas pré-candidaturas e na eleição se rompeu”, afirmou.

Luís Fernando garantiu que o nome que não for escolhido não irá se rebelar e apoiará o unigdo. “Aqueles que acham que o grupo tem mais do que um candidato, podem ter a certeza que só teremos um. E, além disso, quem achar que pode ser candidato e for preterido não vai assumir postura dissidente. Pelo contrário, vai apoiar quem for escolhido. Isso sempre aconteceu e em 2014 não vai ser diferente”.

Para o homem-forte do governo Roseana, qualquer adiantamento da discussão do nome para sucessão é prejudicial ao governo e ao candidato. “Estamos todos voltados para que o governo do estado possa, efetivamente, ajudar os municípios a saírem da situação em que se encontram. Falar em eleição 2014 agora não agrega nada no sentido de melhorarmos a performance do governo e de torná-lo ainda mais eficiente e colaborativo com os municípios. Trazendo essa pauta de 2014 para agora, estaremos prejudicando essas iniciativas”, senteciou.

Outra fator curioso é a contabilidade dos prefeitos aliados que foram eleitos. Mesmo sendo do PSDB, o prefeito de Imperatriz, que há tempos fala a língua do Palácio dos Leões, está contabilizado como aliado. “Dos partidos que compõem a base aliada do nosso grupo, 173 foram eleitos. E há alguns prefeitos eleitos – como é o caso do prefeito Sebastião Madeira, um parceiro importante, que não é da base aliada, mas que tem sua administração aliada com o governo – que contabilizamos como importante para o nosso grupo. Se somarmos situação como estas, teremos 181 municípios”, Ou seja, de 217, o governo já conta que apenas 36 não darão sustentação ao candidato palaciano em 2014.

Luis Fernando sabe que seu nome colocado com tanta antecedência e com concorrentes fortes, só atrapalha seus planos de ser o candidato em 2014. Mas também precisa da unidade, pois se houver uma defecção e Lobão sair candidato mesmo sem o apoio do grupo Sarney, a sua situação fica mais difícil.

Enquanto isso, nos bastidores da política local, a possível filiação de Luis Fernando ao PT para disputar o governo pelo partido da presidente Dilma ganham força. A ala anti-Sarney do PT está empolvorosa com esta possibilidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.