Prefeitos do MA, cuidado para não banalizar estado de “Emergência”

Cartaz da festa na cidade em "situação de emergência"

Os prefeitos do Maranhão devem ter cuidado na ânsia de agir mais rapidamente, decretando situação de emergência em seus municípios. No Maranhão, o blog já teve a informação de uma prefeitura que decretou situação de emergência total e outras três em vários setores da administração para agilizar as ações. Os prefeitos podem até estar bem-intencionados (assim espero), mas situação de emergência exige emergência MESMO e a simples vontade de fazer a coisa andar mais rápido.

Uma situação inusitada aconteceu no município de Campo Largo, no Piauí. O prefeito recém-empossado da cidade, Rômulo Aécio Sousa, baixou decreto no dia 02 de janeiro declarando “situação de emergência em toda extensão territorial do município” por 45 dias.

O decreto enumera os “muitos problemas encontrados”, dentre eles: instalações físicas de repartições públicas deterioradas, dasaparelhamento dos órgãos municipais , péssimo estado da frota deveículos, paralisação dos serviços de limpeza, atraso no pagamento dos servidores públicos , atraso no pagamento dos serviços de telefone e energia elétrica e inadimplência com vários órgãos públicos .

Mesmo com todos estes problemas, a prefeitura anuncia que vai realizar festa em praça pública no dia 26 de janeiro em comemoração ao 17° aniversário da cidade. E foram contratadas as bandas Casadões do Forró, Forró Moral e Companhia do Forró, festa que custará aos cofres públicos R$ 60 mil.

Assim fica difícil acreditar em situação de emergência. Por isso, os prefeitos maranhenses devem tomar cuidado para não banalizar o decreto. A Controladoria Geral da União está de olho e já teve prefeito cassado no Estado por conta disso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.