Começa a recuperação do canal Cohab-Cohatrac

Obras já estão sendo feitas no canal Cohab-Cohatrac

A prefeitura de São Luís já começou a solucionar o problema das áreas em torno do canal Cohab-Cohatrac afetadas pela chuva no início de fevereiro. Ao longo das últimas três semanas, cerca de 60 homens trabalham na terraplenagem e serviços de reconstrução do canal como limpeza, aterramento, proteção das áreas laterais e recomposição de estruturas destruídas.

A Secretaria de Urbanismo e Habitação (Semurh) conseguiu negociar a remoção e desapropriação de parte das famílias que têm casas sobre o canal. A próxima etapa é a urbanização do canal, que já tem orçamento previsto, e contempla a construção de sistema de iluminação, espaços de convivência como praças, ciclovias e pistas para caminhadas, além do trabalho de revitalização das águas do córrego, o que depende do tratamento da rede de esgoto do local.

Apesar de ser um canal de drenagem de águas fluviais, tornou-se depósito de dejetos do esgoto. “As margens do canal têm extensão de cinco metros. Este espaço será aproveitado com a construção de equipamentos para que sejam utilizados pela comunidade”, informou o superintendente da Gerência Executiva do Programa de Aceleração do Crescimento (Gepac), Roberto Sousa.

NOVA PAISAGEM

Como ficou o canal após forte chuva no início de fevereiro.

A avenida 2 do 4° conjunto da Cohab, uma das que mais sofreu por causa das enchentes, apresenta uma outra paisagem. As bocas de lobo foram liberadas, a lama e o lixo foram retirados das casas e calçadas e as famílias mais atingidas conseguiram retornar aos lares. Dois tubos de 1,2 m de diâmetro foram instalados para que a água da chuva seja drenada direto para o canal. Toda a estrutura de tubulação foi aterrada para evitar novos deslizamentos do terreno próximo ao canteiro central.

O aposentado José Ribamar Pinheiro, 61 anos, vive há 50 anos no local e nunca tinha presenciado um alagamento tão intenso. “Na verdade, isto acontece especialmente por causa da construção de um shopping aqui na área. O sistema de esgoto do shopping não tem capacidade e joga o excesso para as ruas. Como choveu muito, a água não teve saída e entrou nas casas”, contou.

Pinheiro e muitos moradores receberam a visita do prefeito Edivaldo Holanda Júnior no momento em que as famílias ainda tentavam recuperar móveis e tirar a lama de dentro das casas. “Esperamos que a realização desses serviços impeça novos alagamentos”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.