Em entrevista a O Imparcial, Márcio Jerry anuncia TV Cidadania

Por Diego Emir, de O Imparcial

marciojerryConsiderada como a principal marca do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) nos primeiros seis meses de governo, a transparência e o diálogo fazem parte da efetiva política de comunicação implantada pela nova gestão do executivo municipal. O responsável por conduzir o serviço, o secretário municipal de Comunicação, jornalista Márcio Jerry, fala sobre os avanços na democratização da informação para a sociedade.

Na primeira fase de governo é destacada a participação popular nas discussões nas tomadas de decisões do governo e o anúncio é que essa parceria deve continuar. Márcio anuncia que nos próximos dias será o lançado o Conselho Municipal de Comunicação, que visa ampliar o canal de debate para implantação de políticas públicas de comunicação na cidade. O dispositivo é um pré-requisito para implantação do Canal da Cidadania, que prevê a instalação de televisões públicas, que tenham a intenção de disseminar o conhecimento para a população.

Jerry ainda fala sobre a imagem de São Luís, fora do estado e o que está sendo pensado para atrair turistas e também melhorar as condições para a população. Confira na íntegra a entrevista:

 O Imparcial – O que podemos destacar de avanços nos últimos seis meses no quesito Comunicação em se tratando da administração Edivaldo Holanda Júnior?

 Márcio Jerry – Olha o governo Edivaldo Holanda Júnior tem como uma de suas premissas, o dialogo permanente com a sociedade, tem como um de seus fundamentos a participação, a mobilização social e a transparência. Tudo isso só se alcança com uma efetiva política pública de comunicação. E o que norteou o trabalho da Secom até este momento foi a diretriz do prefeito de aperfeiçoar o dialogo com a cidade de São Luís em mão dupla. Não apenas de divulgar as ações do governo, mas ser parte do processo de mobilização permanente da sociedade, então temos feito isso de forma permanente, buscando implantar mecanismos de participação, dialogando com a cidade, obtendo um bom dialogo com a imprensa e isso tem marcado a ação da comunicação da prefeitura. Além disso, lançamos algumas inovações: implantamos o portal da transparência de fácil acesso, o diário oficial disponibilizado na internet, ainda criamos a rádio web, que é uma experiência de rádio exitosa pela internet, que valoriza em 100% a música maranhense e estamos participando para outras plataformas. Nós estamos pleiteando junto ao governo federal, a outorga do canal da TV Cidadania.

 E como funcionaria esse Canal da Cidadania?

 O Canal da Cidadania é uma possibilidade aberta da legislação brasileira da comunicação, em que cada município do país, faz jus à exploração desse canal e é possível graças ao advento da TV digital, onde podem ser operadas várias faixas de som e imagem. Dessa forma a prefeitura de São Luís pleiteia a TV Cidadania, recebendo a outorga, nesse espaço além do conteúdo da própria prefeitura, podem ser veiculadas de forma paralela na mesma plataforma, dois canais comunitários, um faixa da Câmara Municipal, outra do governo estadual e mais um do governo federal, caso seja requisitada, então é um espaço fabuloso, fundamental e indispensável a cidadania. Uma TV pública, uma TV cultural, voltada a estimular o dialogo com a sociedade, a veicular conteúdos educativos, se inserir no processo geral para educação plena para toda população. É algo que nos anima muito, que o prefeito Edivaldo nos recomendou que buscássemos com muito interesse, portanto já iniciamos o processo para que tenhamos em breve a TV Cidadania em São Luís.

 A TV Cidadania prevê um espaço para o governo do estado, dessa forma podemos imaginar, que pode existir outra área em que a parceria institucional pode ocorrer?

 Olha inicialmente faremos a parte que cabe a Prefeitura. Que é viabilizar a outorga do canal e em seguida prevê na lei orçamentária de 2014 e no plano plurianual a construção de uma TV pública em São Luís. O que os outros vão fazer, não depende da gente, mas vamos esperar e que se organizem, especialmente os movimentos sociais, para que façam parte da operação do canal. Temos também a diretriz de buscar a participação das Universidades para que possamos ter um esforço complementar. Inclusive a UFMA, já tem garantida a veiculação da TV Universidade, o que vai ser um ganho muito grande para o espectro da comunicação na cidade, tudo isso areja bastante o ambiente da comunicação. Vamos ter mais diálogos, indispensável para democracia.

 Em se tratando na divulgação da cidade de São Luís como está ocorrendo esse trabalho?

 Especialmente com a secretaria de Turismo, temos um trabalho de divulgação dos grandes eventos, mas o maior atrativo que a cidade pode ter é melhorar as condições de vida para seu povo. Melhorar sua infraestrutura urbana, melhorar as praias, o Centro Histórico. Não adianta ainda promover São Luís, se a cidade tem uma serie de déficits. A prioridade é preparar a cidade para ser um grande potencial turístico, o qual ela já possui. Por isso temos um plano de investimento para proporcionar uma nova feição urbana para São Luís. Assim que ela ganhar uma melhora no seu padrão de vida, ela vai projetar sua imagem para o Brasil e o resto do mundo. Temos o grande desafio de mudar essa realidade de sermos os últimos em tudo, afinal temos potencial, temos riqueza naturais, históricas e culturais para mudar essa história.

 No começo do ano, o senhor foi acusado de criar um Programa de Comunicação, que visava regular alguns comunicadores. Existe esse projeto?

 Olha isso é um absurdo, isso é um atentado a inteligência das pessoas. Ninguém faz um programa de políticas de comunicação contra alguém, mas sim a favor, e no nosso caso é do lado da sociedade, desenvolvendo uma comunicação democrática, baseada nos direitos humanos. Então temos que fazer um programa de comunicação humana e não contra grupo A ou B. Eu, como secretário de comunicação, eu cuido da política de comunicação do prefeito e daquilo que o prefeito me delegar, não cuido de luta político-partidária ou de grupo A ou B, isso eu faço na condição de cidadão. Mas isso não contamina e nem poderá contaminar a ação institucional da secretaria, que eu zelo de forma extremamente rigorosa, para que tudo seja feito de acordo com a legislação, o que preconiza com a política que o prefeito Edivaldo determina, que busca respeitar o cidadão. Por isso é uma estupidez imaginar a construção de um Programa para combater quem quer que seja. Repito energicamente, isso jamais existiu e existirá sobre o meu comando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *