Oposição tenta articular chapão para eleger metade da bancada federal

Simplício tem articulado chapão da oposição.

Simplício tem articulado chapão da oposição.

A união dos partidos da oposição e torno da candidatura de Flávio Dino (PCdoB) passa também pela articulação das alianças para compor as chapas da eleição proporcional. Os partidos de oposição podem formar pela primeira vez um chapão para a eleição de deputados federais. A chapa uniria os partidos aliados na prefeitura de São Luís PCdoB, PDT, PSB e PTC; e pode incluir ainda os partidos que tem caminhado pela terceira via: PSDB, PPS e PP em uma única chapa pode fazer com que a oposição junta eleja entre nove a dez deputados. Mas a articulação ainda é difícil.

O principal articulador da tese é o deputado federal Simplício Araújo (PPS). O deputado vê como a melhor opção para que todos os deputados destas legendas consigam se eleger e fazer com que este campo político tenha a maior bancada federal do Maranhão. Simplício teve uma reunião na noite de ontem (22) com o deputado Waldir Maranhão (PP) para tratar do assunto. Ele tentado convencer todos os parlamentares da vantagem de fazer a grande coalisão.

O argumento de Simplício é que este chapão viabilizaria a eleição da maioria, por agregar mais votos de outros candidatos, aumentando quociente e o voto de legenda por conta da candidatura de Flávio Dino. “O que eu tenho colocado aos deputados é o quanto seria favorável para todos estarem na fusão. Eu os pergunto: quer concorrer a duas ou três vagas na chapa do Flávio Dino? Concorrer a três na terceira via? Ou concorrer de nove a dez no chapão? Os candidatos regionais acrescentam muito, além dos votos de legenda pela candidatura forte do Flávio. Só os votos de legenda elegem um deputado”, pontuou.

Rubens Júnior, que será candidato a federal, aprova a formação.

Rubens Júnior, que será candidato a federal, aprova a formação.

O deputado estadual Rubens Pereira Júnior (PCdoB), diz que é favorável à coalisão para aumentar as chances. Para ele, no caso da eleição para federal o ideal mesmo é a montagem de um chapão, enquanto que para deputado estadual, podem ser dividas em duas ou três chapas. Porém, o pré-candidato a deputado federal crê que o mais importante neste momento é unir em torno da aliança majoritária. “Devemos neste momento nos focar mais em tentar formular uma aliança para candidatura majoritária. Acho que as discussões sobre a aliança proporcional só devem avançar mesmo no ano que vem”.

O presidente estadual do PDT, Julião Amim, que deverá ser novamente candidato a deputado federal, disse que o partido está aberto ao diálogo para todas as possibilidades de composição, mas só começará a discutir esta questão após o Congresso do partido e a definição da nova diretoria estadual.

Eleição de tucanos como Carlos Brandão também será facilitada.

Eleição de tucanos como Carlos Brandão também será facilitada.

O deputado federal Domingos Dutra (PT), que deverá se filiar à Rede de Sustentabilidade, também concorda com a tese. Dutra trabalha para ser candidato a senador dentro do grupo de oposição. “Claro que tendo uma candidatura a governador forte, o chapão se fortalece. As chapas menores esfacelam muito os votos. Por isso eu concordo com esta tese de que é melhor para todos. Inclusive para o candidato a senador”.

O presidente do PSDB, Carlos Brandão, também disse que o momento ainda é de conversas e não pode dizer se é melhor sair sozinho ou coligado. Para Brandão, o PSDB ainda precisa decidir seu destino na proporcional, para a partir daí, discutir qual o tipo de coligação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *