Governo Roseana vive dias de crise com aliados

Do Blog do Domingos Costa, com edição

Crises com aliados marcaram semana política do governo.

Crises com aliados marcaram semana política do governo.

Os fatos políticos nesta semana, não foram nada agradáveis para o grupo Sarney. A semana foi marcada por crises com aliados da primeira linha: Priscylla Sá, Ricardo Archer Júnior e Stênio Rezende foram alguns aliados que entraram em choque com o Palácio dos Leões.

Logo na segunda-feira 09/12, a deputada estadual Priscylla Sá (PEN) foi à Tribuna da Assembleia  e demonstrou toda sua indignação por não ter sido convidada para participar da solenidade de assinatura do convênio celebrado entre a Prefeitura de Presidente Dutra e o Governo do Maranhão. A deputada governista apadrinhada pelo dono da Mirante, Fernando Sarney, disse que os secretários de Roseana estão distribuindo convênios de acordo com seus interesses políticos.

“O que me revoltou foi a articulação do Luis Fernando. Isso que me chateia, pois me boicotarem dentro da minha cidade, não posso aceitar”.  dsse a Deputada.

Na terça-feira 10/12, foi a vez do ex-secretário de Articulação Política de Roseana que teve passagem relâmpago pelo Governo, Ricardo Archer,  após ser  exonerado por conta da lei da Ficha Limpa, conseguiu emplacar o filho, suplente de deputado federal Ricardo Antônio Archer.

O problema é que os aliados não confiam em Ricardinho para resolver seus problemas. Quando alguém é direcionado para a pasta tentando resolver algum pepino, logo dispara: “Revolver com esse menino o quê? Ele não tem poder de resolver nada!” 

Os próprios aliados da família Sarney murmuram pelos corredores do Palácio Henrique de La Roque reclamando das desarticulação do Governo.

Na quinta-feira 12/12, o deputado estadual Stênio Rezende (PRTB) mandou um recado para a Governadora Roseana Sarney e seu pré-candidato a governador Luis Fernndo, disse: “Se for assim eu não voto em nenhum candidato do PMDB”, se referindo a tentativa via Justiça da cúpula do seu antigo partido, o PMDB, de tentar tomar seu mandato por infidelidade partidária, em virtude do parlamentar ter deixado a legenda para se transferir para o PRTB.

A declaração, que pra muitos, beira a radicalidade, foi em resposta ao Agravo que o PMDB impetrou para recorrer da vitória de Stênio Rezende no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão. A insistência do partido na tentativa de tomar seu mandato, fez o Deputado Estadual declarar que não deve votar em nenhum candidato do PMDB para o Governo do Maranhão.

Roberto Costa teve que por panos quentes e pedir para que o partido não recorresse da decisão que permitiu a saída de Stênio do PMDB.

A crise continua forte dentro do grupo Sarney.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.