No Maranhão, alunos usam guarda-chuva dentro da sala de aula

Do site Maranhão da Gente

Alunos em Alto Parnaíba dentro da sala de aula com guarda-chuva.

Alunos em Alto Parnaíba dentro da sala de aula com guarda-chuva.

A cidade de Alto Parnaíba, situada a 1.100 km de São Luís, tem apenas uma escola estadual (a Vitorino Freire) criada há mais de 40 anos e que há tempos espera uma reforma. Na rotina dos alunos o guarda-chuva se tornou item de primeira necessidade, especialmente no final do ano quando começa o período chuvoso na região. “No dia de chuva os alunos abrem os guarda chuva perante a aula, para ver se conseguem estudar sem se molhar, ou até mesmo para não molhar o material escolar”, relata Maciane Folha, aluna do segundo ano do Ensino Médio.

Recentemente outra aluna da escola, Bruna Queiroz denunciou nas redes sociais a situação do prédio, e o caso até rendeu matéria divulgada pelo site Maranhão da Gente. Aluna do terceiro ano do ensino médio, Bruna está deixando a escola sem ver a reforma esperada por tanto tempo e outros alunos como Maciane Folha já sabem que vão encarar mais um período de contratempos com a chuva tendo de se equilibrar entre proteger o material escolar da água que cai das goteiras, e ficar concentrados nas aulas ministradas em condições precárias.

A situação da escola já chegou a ser denunciada ao Ministério Público e o tempo de espera por solução dos problemas enfrentados pelos estudantes da única escola da rede pública estadual  na cidade não se resume apenas a atuais estudantes. Andressa Almeida, atualmente na universidade e ex-aluna da escola Vitorino Freire lembra que isto já é uma novela antiga.  “Entrei na escola no 2003 quando fui fazer a 5ª série e saí em 2009 quando terminei o 3º ano, hoje estou terminando a faculdade. Esta promessa de reforma é antiga e principalmente repetida em ano eleitoral”, comenta.

O festival de goteiras no telhado aliado a péssima situação das instalações elétricas da escola de responsabilidade do governo Roseana Sarney já provocou episódios que quase resultam em ferimentos nos estudantes. “Uma vez uma lâmpada explodiu e quase cai em cima de minha cabeça na sala de aula, tive que sair correndo”, revela a estudante que descreve um cenário caótico da escola e relata como principais problemas a fiação elétrica exposta e a água acumulada nos corredores, tornando quase impossível estudar no local.

O site Maranhão da Gente enviou e-mail para a Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual de Educação, indagando quando será iniciada a reforma na escola, que conforme informações repassadas pela assessoria em matéria anteriormente divulgada no site a respeito do caso, será iniciada em 2014 e já havia sido feita até uma visita de funcionários da Seduc no local para averiguar a situação. No e-mail foi solicitada a informação detalhada de que dia será iniciada esta reforma e qual o orçamento destinado a este tipo de serviço.

Promessa oficial

A proposta de Orçamento enviada pelo governo do Estado para a Assembleia Legislativa para o ano 2014 prevê um corte de R$ 23 milhões para á área da Educação. Após protesto de parlamentares de oposição e de professores, o deputado Alexandre Almeida, presidente da Comissão de OrçamentoFinanças, Fiscalização e Controle da Assembleia Legislativa prometeu que esta situação será sanada com a inclusão de emendas que ampliem o valor dos recursos, repondo o que foi cortado no projeto encaminhado pelo governo do Estado.

Longe dos gabinetes da Assembleia Legislativa e do Palácio dos Leões, Maciane Folha e outros alunos da escola estadual Vitorino Freire seguem vivendo a rotina de suplícios que fica mais forte com as primeiras chuvas dos meses de novembro e dezembro e torcem para que  em 2014, a cidade  de Alto Parnaíba entre no mapa de ações  Secretaria Estadual de Educação, que conforme afirmação do secretario Pedro Fernandes em entrevista concedida a Rádio Mirante AM no mês de agosto, disse que a governadora Roseana Sarney iria lançar um programa destinado  a reformar todas as escolas da rede estadual de ensino.

escola-problemas-225x300

1 pensou em “No Maranhão, alunos usam guarda-chuva dentro da sala de aula

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *