Mais IDH: a missão de acabar com a vergonha do analfabetismo no Maranhão

analfabetos-300x188

Um milhão de maranhenses adultos não sabem ler e escrever

Em pleno século XXI, são cerca de 1 milhão de adultos analfabetos no Maranhão. Mais uma marca das décadas de atraso no estado, e um dos entraves para o desenvolvimento. Por isto, O governo deu um passo importante para combater uma das grandes vergonhas do Maranhão e junto com a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e a Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (FAPEAD) assinou o convênio de cooperação com o Movimento dos Sem Terra (MST), para a Jornada de Alfabetização “Sim, eu Posso” – Círculo de Cultura.

A ação será desenvolvida em parceria com a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (SEDHIPOP), inicialmente em oito municípios maranhenses com menor IDH: Aldeias Altas, Governador Newton Belo, Água Doce do Maranhão, São João do Caru, Itaipava do Grajaú, Santana do Maranhão, Jenipapo dos Vieiras e São Raimundo Doca Bezerra.

Flávio atua em três frentes para combater o analfabetismo e estabeleceu metas para tirar o estado da situação vergonhosa

Flávio Dino atua em três frentes para combater o analfabetismo e estabeleceu metas para tirar o estado da situação vergonhosa

Além do “Sim, Eu Posso”, o governo também já desenvolve o Programa Brasil Alfabetizado (PBA) em 106 municípios do estado, atendendo 45 mil alunos, com 5.900 turmas comandadas por mais de 5 mil alfabetizadores.

“Alfabetizar é um grande desafio, por isso a gente precisa reunir forças e energia para que, juntos, possamos alcançar bons resultados. O movimento de alfabetização é uma causa muito importante e ainda temos muito o que fazer. Cabe-nos transformar uma realidade injusta e por isso vocês estão aqui”, afirmou Flávio Dino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.