Gestão democrática: eleição para gestores integra comunidade escolar

Foto: Handson Chagas/Secom

Foto: Handson Chagas/Secom

Idealizada em 2015, a gestão democrática, instituída por meio do Decreto nº 30.619, de 2 de janeiro, atende a uma reivindicação legítima da comunidade escolar. Hoje, o sistema educacional do Estado comemora a libertação dos modelos históricos de gestão excludente e autoritária. Depois de 11 meses de um processo de mobilização junto à comunidade escolar, com culminância nas eleições para gestores escolares no último dia 10, a educação estadual começa a ser posta em melhores patamares.

Professora há oito anos e parte integrante desse processo, Nilcimar Velozo, 31 anos, ressalta as mudanças positivas vividas no atual cenário da educação. “A gestão democrática chega em momento oportuno em que se tem a necessidade, cada vez maior, da participação efetiva de pais, alunos e professores nos processos decisórios da escola e na validação do planejamento do Plano Pedagógico Anual (PPA)”, afirma.

Ao assumir o compromisso político-pedagógico de mobilização da comunidade escolar para a implantação da gestão democrática, as 19 Unidades Regionais (UREs) do Estado do Maranhão, desempenharam papel fundamental de imersão no ambiente escolar e capacitação dos atores envolvidos. Foram meses de trabalho dedicados à divulgação do projeto que é parte da macropolítica educacional do eixo Gestão Educacional no qual, uma das principais ações foi o processo seletivo para a função de gestor escolar.

Com o objetivo de contribuir para a melhoria dos indicadores educacionais do estado, as comissões das Unidades Regionais (formada por alunos, professores, representante de sindicato, diretores e gestores das próprias UREs) somaram forças na divulgação da temática e fomentaram a participação coletiva.

A realização de seminários e reuniões sobre gestão democrática (visão, gerência e diálogo) formação de gestão com liderança, capacitação para uso dos instrumentos nas eleições, informações sobre mudanças no panorama educativo e divulgação dos demais objetivos, foram algumas das ações que orientaram a comunidade escolar durante o processo.

O resultado desse amplo trabalho foi um total de 1.369 inscritos para os cargos de gestores (Diretor Geral e Diretor Adjunto), de 450 escolas e distribuídos em 489 chapas.

A Unidade Regional do município de Codó, no território do Cocais, contabilizou a participação de 21 escolas no seletivo para gestores. Candidatos de 11 delas permaneceram até o fim de todas as etapas realizadas em encontros formativos, debates nas escolas, videoconferências, formação continuada e exame de certificação.

A gestora da URE de Codó, Fátima de Abreu, enfatiza a oportunidade que o Governo do Maranhão proporcionou à comunidade escolar o poder de escolher gerentes educacionais capacitados para execução de práticas participativas. “Estamos muito felizes em participar desta ação inédita que foram as eleições. Enfim, tivemos a oportunidade de formar e escolher líderes educativos. Foi o primeiro passo rumo à gestão cooperativa”, ressalta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *