Lista secreta de Janot tem R$ 17 milhões em propina. Roseana está entre os que ainda não apareceram…

Fatos ainda não publicados podem revelar que a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e outros políticos maranhenses também estão entre os investigados pelo Supremo Tribunal Federal (SFT) no âmbito da Operação Lava Jato. O jornal O Estado de S. Paulo noticiou que algumas petições feitas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ainda estão mantidas em sigilo por determinação do ministro Edson Fachin, relator da operação no STF. A chamada “lista secreta” incluiria pagamentos de vantagens indevidas em nove campanhas eleitorais, num total de R$ 17,43 milhões. Em 2016, Roseana foi citada em documentos de um ex-diretor da Odebrecht, como uma das beneficiárias de doações irregulares da empresa nas últimas três décadas.

A ex-governadora, o senador Edison Lobão (PMDB), e o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (PV) aparecem na lista do ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Barbosa Silva Júnior, o BJ, com o nome de cerca de 200 políticos que receberam doações ilegais e propinas da construtora.

Na residência de BJ, no Rio de Janeiro, foram encontrados papeis e arquivos de 30 anos de movimentação fraudulenta da empresa. As planilhas continham codinomes relacionados a valores de obras públicas, recibos de transações bancárias e remessas de recursos ao exterior.

Na lista, onde cada beneficiário dos favores da empreiteira tinha um codinome, Roseana Sarney é identificada como ‘Princesa’. Os outros membros da família Sarney listados, Sarney Filho e Fernando Sarney, foram apelidados, respectivamente, de ‘Filhote’ e ‘Filhão’, em uma referência ao pai, o ex-presidente e ex-senador José Sarney.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *