Os bilhões que envolvem a Ferrovia Norte-Sul e as propinas do Clã Sarney

O mapa acima mostra a grandeza da obra da ferrovia Norte-Sul e consequentemente o gigantesco desvio de dinheiro público com esta obra envolvendo a engenharia Valec, grupo político de Valdemar da Costa Neto e o grupo político de José Sarney.

Estima-se que foi gasto cerca de R$ 8 bilhões com a obra que está prestes a completar 30 anos e nunca transportou uma carga sequer. Ex-executivos da Odebrecht afirmaram que o grupo político do ex-presidente José Sarney recebeu 1% de propina nos contratos da obra entre 2008 e 2009.

Os valores de Sarney somam quase R$ 800 mil, no que foi identificado até o momento na ‘Planilha da Propina’ da empreiteira. De acordo com o ex-executivo Pedro Carneiro Leão Neto, os pagamentos eram feitos a Ulisses Assad, então diretor da Valec, que se referia ao político do Maranhão como ‘o Grande Chefe’ e ‘Bigode’ para solicitar a propina na obra.

Trem na Norte-Sul só parado com Sarney em cima. Mas bilhões foram despejados na obra.

Mas pela enorme obra e os valores envolvidos, a quantia de propina pode ser muito maior. A obra que já consumiu milhões, teve um trecho inaugurado em 2014 e ainda assim nunca funcionou é uma das maiores vergonhas nacionais com tanto dinheiro público escorrido pelo ralo.

As delações sobre Sarney e Costa Neto foram enviadas para a Justiça Federal de Goiás, onde já existe processo sobre o caso. Por lá, a Valec já teve bloqueado mais de R$ 7 milhões por conta dos desvios da obra. Conforme o inquérito conduzido pela Polícia Federal em Goiás, foi constatado que o consórcio integrado pelas empresas Construtoras Aterpa S.A e Ebate Construtora Ltda superfaturaram os serviços no contrato de R$ 31,2 milhões, recebendo por serviços não executados.

1 pensou em “Os bilhões que envolvem a Ferrovia Norte-Sul e as propinas do Clã Sarney

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *