Após Datafolha, Lula decide antecipar lançamento da pré-candidatura

Gazeta do Povo – Após divulgação da pesquisa Datafolha, o PT decidiu marcar para a semana que vem o lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ato deverá ocorrer na próxima quarta-feira (7), em Minas Gerais, estado governado pelo petista Fernando Pimentel. Dirigentes do PT de Minas estão organizando às pressas o ato. O lançamento deverá acontecer em Belo Horizonte.

Um dos responsáveis pela organização, o secretário-geral do PT, Romênio Pereira, afirma que será um ato em defesa da democracia e do direito de Lula concorrer. Acrescentando não haver impedimento legal à sua realização, Romênio ressalta que a pesquisa Datafolha mostra a ausência de substitutos de Lula para a disputa presidencial. Segundo Romênio, entre os nomes postos “não há um único capaz de levantar o dedo para Lula”. “Se alguém se eleger sem Lula na disputa, vai ficar com a pecha de ilegítimo”, disse.

A intenção é evitar que o feriado do Carnaval quebre o ritmo adotado por Lula desde o início das caravanas que protagonizou pelo Nordeste e Sudeste. Minas é o único estado do Sudeste administrado por um petista. Na noite desta terça-feira (30), dirigentes do partido chegaram a sugerir que Lula lançasse sua pré-candidatura no Nordeste, onde lidera com folga as pesquisas. Mas prevaleceu o argumento de que estaria se refugiando em uma zona de conforto.

Segundo o Datafolha, Lula mantém liderança nas pesquisas mesmo após sua condenação pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) no caso do tríplex do Guarujá.

O petista lidera o primeiro turno em todos os cenários em que seu nome é colocado, com percentuais que variam de 34% a 37%. No segundo turno, venceria o tucano Geraldo Alckmin (49% a 30%) e Marina Silva, da Rede (47% a 32%), além do deputado Jair Bolsonaro.

Para PT, Datafolha mostra que excluir Lula é cassar o direito de voto da maioria

Diante do resultado da pesquisa Datafolha, a comissão executiva nacional do Partido dos Trabalhadores disse, em nota, que excluir Lula seria “cassar o direito de voto da maioria dos eleitores”. “Excluir Lula do processo eleitoral significaria cassar o direito de voto da grande maioria dos eleitores, o que lançaria o país numa crise política e institucional de consequências imprevisíveis, mas inevitavelmente trágicas”, diz o comunicado.

Para o partido, a pesquisa “confirma que Lula continua sendo o candidato da maioria da população”. “Mesmo condenado por julgadores injustos e massacrado pelas manchetes e editoriais, Lula não perdeu um só voto. Ao contrário, sua vantagem sobre os adversários cresceu nas simulações de segundo turno”, diz a nota.

A executiva nacional do PT diz que “a opção por Lula cresce na medida em que o governo ilegítimo tenta desconstruir o legado de desenvolvimento com inclusão social dos governos do PT; na medida em que os golpistas retiram direitos, entregam nossa soberania e aprofundam a crise social”.

Na nota, o partido critica, além da Justiça, a imprensa, a quem acusa de praticar “odiosa perseguição política”.

Metodologia da pesquisa

A pesquisa Datafolha foi realizada nos dias 29 e 30 de janeiro, após, portanto, o julgamento no TRF-4, que ocorreu no dia 24. O Datafolha ouviu 2.826 eleitores em 174 municípios. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou menos. E tem um nível de confiança de 95%, o que significa que, se for repetida 100 vezes, em 95 os resultados vão estar dentro da margem e erro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR 05351/2018. O levantamento foi encomendado pelo jornal Folha de S.Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *